segunda-feira, 24 de julho de 2017

Direita sem Messias: Monarquia, motivação para o adultério

--- O que é adultério, pai ?
--- Pergunte para sua mãe !
--- Então, filho, a própria palavra já diz: adultério é coisa de adulto... e quando você crescer você vai entender...
A família é uma boa maneira de organização e consiste na eficiência da simplicidade de os progenitores proverem as necessidades da prole de alimentação, abrigo, defesa e herança cultural.
O maior legado de uma família é o reconhecimento precoce de uma autoridade, pois a relação entre pais e filhos é mais que o recíproco binômio (às vezes, nem tão recíproco) generosidade e gratidão.
Porém, o governo de um país implica na sucessão e a monarquia prescreve a garantia de um trono vitalício ao filho, e tradicionalmente não basta ser o primogênito, ainda precisa ser do sexo masculino.
Vale dizer que nem só de trono vive a monarquia e qualquer leve parentesco com o rei é fonte de mínimos prestígios ou privilégios que consolidam a distinção, isto é, mesmo sendo bastardo, ser filho ou irmão do monarca não é uma desonra desprezível e,quem sabe, com as artimanhas bem elaboradas a chance de galgar postos cada vez mais altos e de até vestir a coroa.
A primeira entre todas as artimanhas é a de dar um herdeiro ao rei ainda que fora do matrimônio e é aí que o adultério torna-se um efeito colateral real.
Um efeito quase sempre justificado com a urgência em se providenciar um herdeiro homem e a grande ironia é que no afã de garantir mais que um sucessor habilitado eles acabam se matando e deixando o trono novamente desprovido.
O adultério é assim pela monarquia estimulado já que só a ousadia poderá premiar as encantadoras mulheres preteridas pelas alianças políticas oficiais.
Não há expediente mais incoerente de educação que o de premiar um comportamento não recomendável...Pois é, a monarquia é um retrocesso de alto custo !
A República, neste aspecto, apresenta sua superioridade moral porque sem o instituto da hereditariedade não dá azo para que a exclusividade de governar motive a relação extra conjugal e, se caso ela continue a existir na sociedade será por motivações alheias aos assuntos de Estado.
Por uma Direita sem Messias

Nenhum comentário: