quinta-feira, 22 de junho de 2017

Direita sem Messias: Soberania é território

O voto de 2018 será fruto do apelo sobre a soberania do Brasil !
É o assunto mais antigo e com as mais variadas soluções, o que significa que apelar sobre a soberania faz parte do bom senso mas não traz nenhum consenso.
No entanto, há o mínimo de ítens a ser considerado para se evitar as armadilhas mais comuns desde a guerra de Troia, o chifre mais caro da história !
Primeiro e mais importante ponto:
Você nunca compreenderá o motivo da guerra pelas propagandas de guerra porque toda guerra começa pela mentira de que ela é necessária para ser a última guerra...
Se você tem a esperança de que o resultado da guerra seja a paz não perca o seu tempo lendo o texto até o fim !
O resultado da guerra sempre será o conforto de um grupo sobre a humilhação de outro !
O texto não é sobre soberania ?
Por que estamos falando sobre guerra ?
Porque soberania é a necessidade de um território: quando um grupo não possui território soberania significa conquista e quando um grupo possui território soberania significa defesa !
Uma guerra pode se consagrar em paus e pedras ou até em foices e martelos, mas ela começa com a propaganda para legitimar algumas necessidades básicas !
O brasileiro é o defensor legitimado do 5º maior território do Planeta Terra !
Isso não significa que o brasileiro usufrua de todos os frutos e riquezas do teritório, mas construiu historicamente uma preferência jurídica sobre estas riquezas ou potenciais de riqueza !
Quem acredita que não existe guerra no Brasil é porque está cego pela propaganda: basta apreciar os acidentes de trânsito para dimensionar um estrago maior que qualquer conflito civil declarado.
Cito a violência considerada involuntária apenas para mostrar o quanto estanos longe de solucionar a violência escancarada de assaltos e outros ultrajes.
Pois bem, o brasileiro é o pior inimigo do brasileiro, por isso o “brasil”(estoque de pau-de-tinta) não precisa ser invadido por exércitos de outros países !
Voltemos à Troia e aos efeitos da propaganda.
A propaganda de guerra só possui um objetivo: induzir o inimigo ao erro !
Guerra e caçada são atividades tão semelhantes de modo que as habilidades do caçador são quase todas as habilidades exigidas para ser um guerreiro e tudo começa pelo reconhecimento do território.
  1. Qual foi o motivo da guerra de Troia ?
2. Qual é o personagem principal da guerra de Troia ?
Se você procurar por estas 2 respostas você encontrará respostas diferentes sobre muitas coisas que lhe foram transmitidas e propagadas pelos costumes.
Sempre comece pelos dados disponíveis: isso se chama fé !
Fé não é a crença no invisível (mais uma prova de que o objetivo da propaganda conduzida pelos predadores é o de mantê-lo como uma presa fácil: é tudo o que se ensina sobre fé!).
Fé é compreender o invisível a partir dos elementos “visíveis”, isto é, seguir rastros...seguir pistas (a palavra grega para fé é “pistis”) Por isso, é mais seguro seguir aquilo que você vê em vez de se acomodar com os relatos e por isso é mais seguro você procurar os elementos em vez de se acomodar com os elementos mostrados para você.
O personagem mais importante da guerra de Troia é Ulisses (Odisseu) não só porque é ele quem resolve a guerra depois de 10 anos de cerco mas também porque ele possui uma narrativa exclusiva sobre o regresso da guerra, que é a Odisseia, que curiosamente dura 10 anos.
A Odisseia, entre outras coisas, pretende confirmar que Ulisses (Odisseu) é protegido por Atena, o que nos leva a compreender que Ares, o deus da guerra cultuado por Aquiles foi insuficiente para dar a vitória aos gregos.
Óbvio, o deus da guerra é prestigiado pela guerra em si mesma, independente de quem seja o vencedor ! s
Só podem dar fim à guerra os que desde o início preferiam evitá-la: Ulisses (Odisseu) fingiu ser louco para fugir do recrutamento.
Conclusão: quando a guerra começa os pacifistas devem ser os melhores guerreiros para que a guerra termine o mais rápido possível !
Em termos eleitorais, seriam dos que se recusam a votar, o voto mais precioso !
Os candidatos oferecidos pelos partidos cumprem o objetivo do predador (os predadores da República sempre são os manarquistas) de decepcionar e ampliar a abstenção ou voto nulo !
Dicas para o seu voto raro em 2018:
  1. rejeite senadores de partidos que lançam vice-presidente e vice governador pelo seu Estado
  2. identifique o reumatismo monárquico nos grupos que praticam a concentração de poder
  3. incentive o comparecimento dos eleitores ao pleito sem censurar os seus votos porque o baixo índice de participação sempre garantirá a vitória dos piores candidatos
Por uma Direita sem Messias

Nenhum comentário: