quinta-feira, 6 de abril de 2017

O absurdo nosso de cada dia nos dai hoje

A lógica é a disciplina do raciocínio com a pretensão de nos aproximar da verdade.
Desta pretensão somos recompensados ao descobrir fatos úteis que facilitam a superação de desafios e satisfação de nossas necessidades.
Por etapas uma ideia é validada por outra e sobre outras criando uma sequência de fatos e pensamentos que a técnica denomina de antecedentes e consequentes.
Melhor se a ideia inicial puder ser apurada e depurada por uma definição, mas algumas vezes precisamos nos contentar, a priori, com ideias determinadas.
Ideias determinadas são fatos observados que sabemos o que é mas não conseguimos explicar. Porque a regra da lógica consiste em que a explicação seja mais compreensível que a ideia ou fato observado.
Deus é uma ideia determinada porque todas as tentativas de explicação torna Deus mais oscuro do que, simplesmente, aceitar a ideia.
Pois bem, muitas vezes atribuímos autoridade para as ideias iniciais por adoção e este gesto de atribuir autoridade a alguma ideia é a fé.
Portanto, a fé não é uma negação da razão, mas um elemento que possibilita a razão.
Exemplo:
Possuimos o hábito de comer pão diariamente.
Comemos porque temos fé que padeiro produzirá um pão saudável, por sua vez , o padeiro tem fé no moleiro e a farinha jamais estaria disponível ao moleiro se o agricultor não tivesse fé para semear o trigo.
Sobre a chuva quem terá garantia que ela virá no tempo e na quantidade adequados ?
Fé !
Toda esta sequência de atividades não existiria se não tivéssemos o hábito de comer pão diariamente.
Há milênios desenvolvemos e mantivemos este hábito que ele não nos impressiona mais. porém este é o gabarito de ideias e fatos antecedentes e consequentes.
Também adquirimos outro hábito nestes milênios todos: dedicamos nossas atenções mais ao que consideramos útil, ao passo, que aquilo que não demonstra sua utilidade de imediato é descartado ou negligenciado como tolices.
Mas o pão tal como estamos acostumados precisa não só de farinha de trigo mas também de azeite, água e sal, se adotarmos a receita mais simples.
Imagine o absurdo da primeira pessoa que apreciou uma azeitona, antes de ter sido desenvolvido o azeite, e propôs fazer pão.
E o azeite ? Como surgiu se não fosse por fantasia ou feliz acidente ?
Quem acendeu a primeira lâmpada com azeite e barbante ?
Barbante !
As coisas simples de hoje já foram extraordinárias e responsáveis revoluções !
A fantasia é um recurso espontâneo e gratificante porque nos presenteia com o extraordinário. O impossível torna-se possível com o raciocínio disciplinado e o maior problema passa ser somente a quem e ao o quê atribuimos autoridade.
Se você tiver a fé do tamanho de um grão de mostarda nada lhe será impossível! Esta éa grande promessa do Evangelho. Mateus 17
O Evangelho é um método de lógica e procura resolver o maior problema de todos, que é a autoridade da ideia inicial. Jesus é o caminho (método), a verdade (autoridade mais próxima da essência) e a vida (conexão com todos os fatos percebidos e ainda não percebidos) !
A pessoa habituada ao gabarito da lógica consegue antecipar as consequências de fatos observados. Não seriam as pessoas com esta habilidade os profetas ?
Jesus e demais sábios que o precederam tiveram o problema da autoridade. Poucos atribuíram a eles a autoridade que mereciam e não ajustaram o comportamento para evitar os eventos indesejáveis.
Sabemos que somos instrumentos de caprichos de terceiros, dos que detém, de modo legítimo ou usurpado, autoridade para impor ideias determinadas.
Adquira o hábito de desmontar ideias prontas oferecidas porque é no pão que ingerimos todos os dias que está o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. Lucas 12
Desmontar ideias prontas é o que a lógica chama de análise !
Mas não se aflija com os absurdos de amanhã porque é suficiente o absurdo cada dia.

Nenhum comentário: