sábado, 8 de abril de 2017

A levedura da omissão

Fomos habituados a imaginar o mau planejando o mal.
Se considerarmos a preguiça uma característica do mau seria estranho o mau ser tão diligente.
O mau prefere o menor esforço não porque o menor esforço se assemelha ao mau mas é porque o mau aproveita o seu tempo precioso, egoisticamente, consigo mesmo.
Não entram no Reino dos Ceus e simplesmente impedem os que querem entrar. Mateus 23
Ao mau basta criar regras com o objetivo de drenar o tempo e a energia de quem ameaça seus interesses.
Sim, num mundo confuso, muitos se sentirão importantes em servir o mau só por cumprir as regras, afinal, cumprir as regras é o mínimo que se espera de uma pessoa boa.
O mau, pródigo em astúcia, ainda conta com a colaboração de pessoas devotadas e comprometidas com o bem.
O lobo em pele de ovelha não se refere a pessoas somente. A camuflagem usada pelo mau confundiu e perverteu valores e é mantida pelas instituições consagradas e tidas como impolutas. Mateus 7
A hipocrisia prevalece porque fomos habituados a não observar, a não refletir e a não fazermos uma desintoxicação de nossos rancores.
Tudo pode mudar e já vem mudando há tempos. Impossível imaginar o mundo antes de Noé.
Considere ! A criatura decepcionou tanto o Criador que a iniciativa foi “re-iniciar” !
Ainda sofremos muito e, por isso, não podemos ser negligentes ou omissos.
Você já fez pão ?
Não é à toa que Jesus, o único Mestre, usa muito a alegoria do pão. Grande parte dos ouvintes de Suas pregações consumiam e fabricavam o próprio pão desde criança.
Vamos lá !
Na receita mais simples precisaremos de farinha de trigo, azeite, sal e água (seria preciso lembrar que a água deve ser limpa ?).
Depois que os ingredientes foram misturados a massa precisa ser colocada no forno para assar.
Muitas vezes está aí a sacanagem !
Você pode adquirir farinha de trigo, outra pessoa pode adquirir azeite e outra trazer a água limpa, mas na hora de unir (associação de talentos, este é o real sentido da palavra igreja, isto é, reunião de pessoas inspiradas pelo Pai e dedicadas a fazer a vontade do Pai) ... na hora de reunir os ingredientes (talentos) sempre haverá um impedimento tácito ou mero constrangimento.
Quem faz as regras ou detém autoridade para interpretá-las ?
O mais triste é de que os poucos que se reúnem acabam sem a possibilidade de fornear seus pães.
Perdem-se os projetos ! Quantos projetos (sonhos, para quem estiver acostumado com esta expressão !) são interrompidos ou abandonados e desperdiçados por falta de acesso ao forno ?
Quem se interpõe entre os pães e o forno ?
Os projetos precisam ser realizados no tempo adequado para não serem levedados e perdidos.
Para a tradição judaica existe ainda uma singularidade.
Os judeus inspirados no Êxodo são rigorosos quanto à levedura da massa. O pão do judeu é sem fermento porque na fuga do Egito Moisés alertou que não haveria tempo para deixar o pão levedando (neste caso a levedura de pouco tempo só para tornar a massa macia).
O episódio da fuga criou a exigência ritual da festa dos pães ázimos. Êxodo 23
Você não consegue fabricar pães em grande quantidade sem levedar se não estiver apoiado por uma equipe com tarefas bem distribuídas e “cronometradas”.
Um grupo mistura os ingredientes à agua e outro grupo forneia imediatamente e isso forma uma linha de produção dos colaboradores com tarefas específicas.
Uma batiza com água e outro batiza com fogo! Um prepara a massa e outro assa !
Temos a dupla João Batista e Jesus fabricando pães (ensinando) e os fariseus sabotando o ensinamento.
João Batista foi decapitado e Jesus crucificado !
Acusação ?
Heresia, apostasia e blasfêmia !
O que a dupla fez foi denunciar a hipocrisia, o fermento dos fariseus, os sacerdotes, anciãos, escribas e doutores da Lei que vestiam a pele de cordeiro e se comportavam como lobos vorazes.
Ao ensinar os fariseus sujavam a água (idolatrias) ou impediam o acesso à agua limpa, sujavam o azeite (idolatrias) ou impediam o acesso ao azeite puro, privavam as pessoas do sal e as distanciam do forno.
Com o tempo as pessoas perderam a noção do que seria um ingrediente de boa qualidade.
Porque uma omissão se sobrepõe a outras omissões e a confusão é transmitida de geração em geração sob o auspício das autoridades constituídas sem a tranquila observação e reflexão do povo e coerência com os ensinamentos e livre exercício da razão.
A omissão em si já é grave, porém a mais grave das omissões é deixar faltar entendimento à comunidade (igreja) quando você possuir o entendimento.
O grande sacrílego se apoia nos ombros de vários supervisores e estes supervisores não prosperam em ambientes em que a reflexão é praticada.
Aliste-se no exército dos eleitos e ocupe postos de decisões e aponte o partido mais sensato em todas as oportunidades.
Por causa dos eleitos os dia de dores serão abreviados, por isso não deixe os sonhos levedarem pela confusão promovida pelos supervisores.

Nenhum comentário: