quarta-feira, 26 de abril de 2017

Não faça greves, leia Jonas

onas é o livro mais importante da Bíblia !
Se você nunca leu a Bíblia eu aconselho você a começar por Jonas e se você ler apenas este livro entre o 66 que compõem a versão mais reduzida da Sagrada Biblioteca você investirá o seu tempo na mensagem mais profunda de todo o Evangelho.
Jesus deu o sinal de Jonas ao passar 3 dias dentro da sepultura antes de Sua ressurreição para lembrar os 3 dias que Jonas ficou no ventre da baleia.
O tema de Jonas é a capacidade de uma pessoa se permitir a fazer ou não fazer a vontade de Deus e amar o inimigo.
Jonas, um profeta israelita que odeia os ninivitas (atuais iraquianos) e que se recusa a levar a mensagem de Deus aos seus inimigos.
Em vez de ir à Nínive Jonas se dirige ao porto e pega uma embarcação com destino diametralmente oposto.
Depois de uma tempestade pôr em risco a vida dos marinheiros Jonas decide se lançar ao mar para acalmar a tempestade e isso feria o código dos marinheiros; Jonas os convenceu afirmando ser um profeta do Deus de Israel.
Ao se lançar ao mar a tempestade terminou.
Jonas foi engolido pela baleia e passou 3 dias no seu ventre até se arrepender e se comprometer em levar a mensagem aos ninivitas.
Porém, o profeta preservava o ódio e em seu coração duro acalentava o desejo de que Deus destruísse os ninivitas que não se arrependessem.
Jonas torcia para que poucos ninivitas se arrependessem 1
Para sua surpresa muitos ninivitas aceitaram a mensagem do Deus de Israel e Deus não fulminou os relutantes (Jonas esperava uma destruição a exemplo de Sodoma e Gomorra).
Jonas manifesta sua insatisfação com Deus e Deus repreende o profeta.
“Se você lamenta a morte de um pé de abóbora que você não semeou ou cuidou, por que eu não amaria e preservaria a vida de 120 mil pessoas que eu criei ?”
O livro de Jonas são 4 capítulos curtinhos !
Quem estiver disposto a fazer greve à véspera do feriado prolongado poderia aproveitar os 4 dias de “luta” e ler 1 capítulo por dia entre sexta e segunda-feira !
Lute, mas saiba contra quem ou o quê estiver lutando para não ser um instrumento do capricho de terceiros que se beneficiam do seu rancor.
Estamos sendo governados por um presidente da República ilegítimo e imersos num mar de notícias manipuladas por uma imprensa que vive dos anúncios das empresas que sobrevivem de negócios inescrupulosos com o governo.
Ninguém, além de Deus, deseja o seu bem, portanto seja um instrumento de Deus ao usar o melhor que Deus ofereceu a todos: a capacidade de pensar.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Cegos, a vitrola grega

Muitas vezes nos esquecemos que Jesus participou de um mundo altamente helenizado.
Jesus propagou seus ensinamentos 300 anos depois das conquistas de Alexandre, o Grande.
Na Grécia as lendas eram preservadas pelos aedos, uma espécie de violeiro cego de adro de igreja. O audiobook da Era de Ouro, isto é, uma vitrola tocando o vinil colorido que conta a história do Casamento da Dona Baratinha.
Os jovens aprendiam sobre a glória dos guerreiros e deuses gregos ouvindo as apresentações destes poetas cantores inspirados pelas musas e, geralmente, cegos.
Tanto a Ilíada como a Odisseia, tesouro da literatura antiga, são coleções de cânticos do aedo Homero.
O prestígio dos aedos declinou com a popularização da escrita.
Para Jesus que perscrutava se os sacerdotes conheciam as Escrituras deveria ser deliciosa a insinuação de que eles não a conheciam por lê-las, mas por ouvir de terceira mão o conteúdo dos documentos fundantes da ordem social judaica.
Nossa educação ainda não permanece assim ?
Qual a ilustração ou profundidade da intelligentsia local ?
Da frágil média burocracia em que qualquer leitor de história em quadrinhos se torna uma ameaça ?
Quem leu as obras consagradas de nossa literatura ou ciência ?
Um exemplo nacional recente !
Dom Casmurro ? Capitu traiu ou não traiu Bentinho ?
Cegos guiando cegos reduzem o fundador da Academia Brasileira de Letras a este tolo dilema sobre uma obra que nem mesmo é a alfa ou beta de sua constelação criativa.
Não espere que a ilustração por resumos de livros seja o alicerce de uma sociedade ciosa de sua identidade.
Nossos doutores e sacerdotes não conhecem e pouco incentivam que sejam conhecidas a nossa literatura e história, ainda mais quando os documentos denunciam os seus vícios.
Antes de Machado de Assis com seu Dom Casmurro é muito proveitosos ler o Seminarista de Bernardo Guimarães e o trauma do bem nascido Eugênio.
Boa pedida também é a Normalista de Adolfo Caminha ou O Ateneu de Raul Pompeia, o colégio em chamas anterior à demolição do The Wall psicodélico britânico.
Triste Terra Papagalorum e sua Biblia Pauperum !
Leia o Evangelho porque por falta de conhecimento foi destruído o meu povo !
Ou continue cego sendo guiado por cegos !
Advertência: toda planta que não foi plantada pelo Pai será arrancada.
Mateus 15 Lucas 6

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Tudo que é sórdido desmancha ao orar

Nós oramos ou nos entregamos às vãs repetições ?
Vigiar e orar é um binômio poderoso que nos leva ao binômio fundamental : conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.
Se podemos conhecer a árvore pelo fruto e aprendermos com o broto da figueira a proximidade do verão, podemos sempre aprender.
Aprendemos espontanemente sobre tudo e somente deixamos de aprender se o aprendizado for reprimido.
Orar mais do que pedir algo é refletir sobre a solução para alguma necessidade.
Quem soluciona revoluciona !
Com a revolução permanente não há chefes permanentes. A cada novo cenário surge a oportunidade para o brilho de novos talentos.
Fomos condicionados à devoção da cruz, mas a cruz é mais uma homenagem ao assassino do que ao Redentor !
Se lermos o Evangelho com o mínimo de bom senso perceberemos que a cruz é um símbolo de morte e Jesus, ao ressuscitar, superou a morte.
Caso fosse aconselhado aos seguidores de Jesus a ter uma representação do Mestre que teve o poder de ressuscitar representá-Lo morto é um atestado que os seguidores de Jesus foram subjugados a uma idolatria infame.
O fruto cruz indica uma árvore que não pode ser Jesus porque a cruz é um monumento à morte.
Se o resultado de se conhecer a verdade é a liberdade, mais uma vez podemos perceber que a cruz é um símbolo muito distante de qualquer ideia de liberdade.
Ressurreição é liberdade, mas como representar extraordinário evento ?
Tudo se complica ainda mais quando o próprio Jesus nos ensina em João 3 ao explicar a Nicodemos sobre o segundo nascimento que sem compreendermos as coisas terrestres não compreenderíamos as coisas celestiais, portanto, a ressurreição pode ser apreciada com o receio e ceticismo de Tomé.
Sim, bem-aventurados os que acreditaram sem a exigência de “ver”.
Na poesia em que a fé procura meios de expressão devemos, segundo a recomendação do próprio Mestre, cuidar da diferença entre fantasia e absurdo.
Talvez com a dificuldade de representar iconograficamente a ressurreição acomodaram-se os devotos menos exigentes à em representar o Redentor morto sobre o cruel instrumento apoteótico de seu assassinato.
A cruz, ao largo de tantas interpretações, é, em fatos imediatos, a expressão da crueldade, portanto, uma exaltação ao algoz do que ao martirizado.
Há o ditado sobre não se falar de corda em casa de enforcado, mas nos humilhamos e nos deixamos ser humilhados por mais de 2 mil anos com a cruz que humilhou nosso Mestre.

domingo, 23 de abril de 2017

Lutero #1 tese

As 95 Teses afixadas por Martinho Lutero na Abadia de Wittemberg, a 31 de outubro de 1517, fundamentalmente "Contra o Comércio das Indulgências"
Movido pelo amor e pelo empenho em prol do esclarecimento da verdade, discutir-se-á em Wittemberg, sob a presidência do Rev. Padre Martinho Lutero, o que segue.
Aqueles que não puderem estar presentes para tratarem o assunto verbalmente conosco, o poderão fazer por escrito. Em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.
1ª Tese
Dizendo nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo: Arrependei-vos... etc., certamente quer que toda a vida dos seus crentes na terra seja contínuo e ininterrupto arrependimento.

Porque não há coisa oculta

ουδεις δε λυχνον αψας καλυπτει αυτον σκευει η υποκατω κλινης τιθησιν αλλ επι λυχνιας επιτιθησιν ινα οι εισπορευομενοι βλεπωσιν το φως
17.ου γαρ εστιν κρυπτον ο ου φανερον γενησεται ουδε αποκρυφον ο ου γνωσθησεται και εις φανερον ελθη
18.βλεπετε ουν πως ακουετε ος γαρ αν εχη δοθησεται αυτω και ος αν μη εχη και ο δοκει εχειν αρθησεται απ αυτου
Lucas 8: 16-18
Hermes é o equivalente grego do deus egípcio Thot, inventor da escrita.
De Hermes deriva a palavra hermetismo, comumente aplicada com o significado de esconder.
De Hermes também deriva a palavra hermeneutica, que possui o significado de interpretar.
Quem escreve esconde ou revela alguma informação ? Eis a questão !
O que podemos pensar das Escrituras ?
De quem as Escrituras escondem alguma informação ?
Para quem as Escrituras revelam alguma informação ?
Qual é a Boa Nova ?
Hermes era o mensageiro ! O portador das novas !
Não seria por acaso a representação de Thot com a cabeça do pássaro íbis cuja chegada na região antecipava as cheias do Rio Nilo.
Quem nos ensina isso é o nosso querido amigo Jó:
"Quem deu sabedoria às aves, como o íbis, que anuncia as enchentes do rio Nilo, ou como o galo, que canta antes da chuva?"
Livro de Jó 38:36
Se lembrarmos de Moisés, educado no Egito, a sarça ardente determinou que ele liderasse a libertação do povo hebreu, o que nos permite deduzir que a Boa Nova sempre foi o caminho para nossa felicidade.
Há felicidade sem liberdade ?
Moisés conviveu 40 anos no deserto sendo contestado por seus pares.
Deixar o Egito significava deixar a corrupção da idolatria desenvolvida no Egito por sacerdotes sem escrúpulos, jamais desprezar a sabedoria acumulada por tão auspiciosa civilização.
Desde Moisés havia o conflito entre o que se deveria ser preservado e o que se deveria ser descartado.
O que Moisés escondeu ou revelou na Torá ?
Jesus afirma que nada está escondido !
Moisés nos deu a Lei e Jesus nos deu a Graça e a Verdade. João 1
Jesus sempre interpelava os doutores com expressões: “por acaso não lestes nas Escrituras ?” Mateus 12
ou ‘o que está escrito na Lei? Como lês tu ?” Lucas 10
O povo à época de Jesus só conhecia as Escrituras pela boca dos sacerdotes porque o povo falava em aramaico e as Escrituras estavam em hebraico.
A distância entre o povo, sedento de conhecimento, e os sacerdotes que tinham acesso às Escrituras era imensa. Jesus sabia que o povo sofria, na maioria das vezes, por falta de conhecimento. Oseias 4
Lutero (nome adotado, que significa liberto em grego) era doutor em Direito Canônico e se rebelou quando percebeu que os sacerdotes de seu tempo manifestavam os mesmos vícios dos sacerdotes do tempo de Jesus.
O gesto mais revolucionário de Lutero foi o de traduzir as Escrituras para o idioma materno e permitir o acesso do povo ao conhecimento. 1534
O Evangelho no idioma de cada povo foi a sarça ardente que iluminou a consciência de várias nações e libertou muitas pessoas da opressão da idolatria.
O grande sacrílego tentou e ainda tenta sufocar a verdade, mas a verdade sempre prevaleceu e a promessa de Deus é de que sempre prevalecerá.
Ouça a voz do Espírito no vento ! João 3
O que lhe for dito ao ouvido proclame no alto dos telhados ! Mateus 10
Somos convocados a testemunhar a verdade para libertar nossa Nação do jugo dos opressores.

sábado, 22 de abril de 2017

Dieta de Elias à brasileira

1 prato de farinha de mandioca torrada com azeite português ou espanhol
Não precisa levar ao fogo !
Coloque a farinha de mandioca torrada no prato e adicione azeite até a mistura ter a consistência de uma farofa molhada
Beba café, chá ou suco natural de fruta da época
Pratique a dieta 1 ou 2 vezes por semana e santifique-se !
Essa dieta foi inspirada pela leitura do Livro 1 Reis 17
Algumas pessoas receiam jejuar e a dieta de Elias pode servir de transição até o iniciante adquirir confiança para praticar o jejum.
Jejum não é sentir fome e muito menos uma prova de resistência !
Jejum significa esvaziar-se !
A alimentação sem observação e reflexão nos intoxica de sentimentos ruins como a mágoa e o rancor. Esses sentimentos dificultam nossa capacidade de perdoar.
Ao reduzir a alimentação nosso metabolismo reorganiza nossas emoções e conquistamos liberdade para pensar.
Se jejum é esvaziar-se, comece por se esvaziar do condicionamento patrocinado por uma indústria alimentícia perversa.
Lembrando do convite do profeta Joel ao jejum para levantar a Nação a dieta de Elias à brasileira também funciona com uma ótima solução.
A mandioca é um ítem produzido em todo Brasil, principalmente, pela agricultura familiar.
Ao consumir a farinha de mandioca estamos nos alimentando e alimentando a família camponesa brasileira.
A mandioca também é uma homenagem à nossa ancestralidade indígena e suas inestimáveis contribuições.
O azeite de oliva além de nos contemplar com um sabor maravilhoso é um protesto contra a produção de soja transgênica.
O azeite português ou espanhol é uma homenagem à nossa ancestralidade ibérica e mediterrânea.
Observação: Você pode variar a bebida nas porções em horas diferentes, à noite uma taça de vinho dá um toque de celebração ao módico banquete.
Coma e beba em memória do Noivo!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Decifra-me ou te apavoro !

Pão e vinho !
Comei e bebei em memória de mim !
Eu e o Pai somos um !
Criador e criatura: imagem e semelhança !
Vamos analisar ?
Análisar significa desmontar !
Qual a diferença entre pão e vinho ?
Corpo e sangue ? Eles simbolizam essas duas coisas !
Qual a diferença entre corpo e sangue ?
Sólido e líquido !
É possível substituir o sólido por outro sólido e o líquido por outro líquido ?
Rocha e água !
Mas pão não é rígido como a rocha mas é tenro como a terra !
A carne não é rígida como os ossos mas é tenra como o pão !
No princípio Deus fez o ceu e a terra !
Haja luz !
Depois separou-se a porção seca da água e a terra, porção seca, produziu ervas e árvores e cada qual os seus frutos !
Deus viu que tudo era bom !
Após fazer o homem e a mulher, Deus deixou o tesouro de ervas e árvores como mantimento, assim como os animais.
Descobriu-se como tirar melhor proveito dos animais do que simplesmente caçá-los para mantimento: admiremos a lã das ovelhas e os nossos vestuários !
Deus criou o trigo mas não criou o pão !
Deus criou a uva mas não criou o vinho !
Eu e o Pai somos um, isto é, seres com o mesmo talento da inteligência e capacidade de criação: Haja luz ! Fiat lux ! γενηθήτω φῶς ! João 10 Gênesis 1
Comer o pão e beber o vinho em memória de Jesus é uma homenagem ao engenho do homem e prova de sua semelhança com o Criador.
Somos belos porque herdamos essa beleza do Criador e também somos criadores de belezas que são carne de nossa carne e sangue de nosso sangue !
Tanto o pão como o vinho combinam elementos num processo complexo e sofisticado, mesmo na sua expressão mais rudimentar, e são passíveis de aperfeiçoamento continuado e revelam a nossa sensibilidade reprimida por um ambiente ainda desfavorável.
Cada descoberta altera o ambiente e o ambiente alterado promove outras descobertas !
É maravilhoso imaginar o primeiro ser que esmagou o trigo e reuniu a farinha !
Como se deve ter acontecido isso ?
Eu sugiro que o ser humano estivesse habituado a cozinhar o trigo na água e o mingau deve ter secado na vasilha !
Perceba que já é uma criatura habituada ao fogo e o manuseio de alimentos em vasilhas.
Qual a vantagem de esmagar o trigo antes de cozinhá-lo ?
Qual a dificuldade da primeira criatura que sugeriu essa ideia ?
Quanto tempo levou para essa ideia ser aceita ?
Qual evento permitiu que essa ideia prevalecesse ?
Hoje apenas usufruimos dessa solução !
Os eleitos abreviarão os dias de dores e confirma-se a verdade do ditado: um semeia e outro colhe ! Mateus 24 e João 4
Deciframos a eletricidade e ela não nos apavora como antes, mas o encanto dos relâmpagos jamais será extinto.
Entre o primeiro ser apavorado com os ídolos dos primeiros colonizadores crueis e a liberdade do pensamento abstrato houve muitos sonhadores humilhados nos calabouços ou jogados nas arenas para deleite da massa brutalizada.
Comei e bebei em memória dos que enfrentaram o pavor para que nossas dores fossem abreviadas.
Rastejamos de quatro com a nossa inocência sobre a ousadia dos que foram longe em suas duas pernas para explorar o desconhecido porque a nossa civilização será sempre um frágil edifício de palitos construído com as bengalas que os velhos se acostumaram a ter como instrumentos para aliviar os achaques da caduquice de nossas ingênuas tradições.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Pomba e serpente e a esfinge dialética de Jesus

De qual pássaro seriam as asas do caduceu de Hermes ?
Poderiam ser de uma pomba ?
Menciono o caduceu de Hermes porque é o objeto que ilustra a notável citação de Jesus no Evangelho de Mateus 10: “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede astutos como as serpentes e inofensivos como as pombas.” Mateus 10:16
Ser astuto a ponto de se defender do mal e não para praticá-lo é o que todos esperam dos médicos ao conhecerem toda sorte de venenos e não se disporem a envenenar seus desafetos.
As asas da pomba trazem uma ternura que as asas da águia de Roma não trazem, no entanto, a pomba que simboliza o Espírito Santo no momento do batismo de Jesus no Rio Jordão também sugere em hebraico o nome de Jonas, o profeta rancoroso e desobediente.
Há uma proximidade entre o universo grego e hebreu inegável, pois do Egito deriva grande parte de suas erudições.
Para um judeu da Galileia, região próxima dos portos de Tiro e Sidon, às margens de Damasco e num dos extremos da rota da seda, seria usual o contato com tais fusões de símbolos e narrativas.
Mais do que a cruz o caduceu de Hermes seria a melhor identificação para o cristianismo se tomarmos Mateus 10 como síntese do cristianismo, uma vez que é a parte do Evangelho em que Jesus instrui os 12 apóstolos como procederem durante a evangelização, pois não é Hermes o portador de boas novas ?
E a cruz ?
Além da crucificação não ter sido uma punição exclusiva a Jesus ela expõe uma ironia: a cruz é o fim de todo carpinteiro !
Podemos ser a origem do nosso próprio mal por simples dinâmica da dialética e nada nos isenta de tomadas de decisão e da suas consequências.
Adquirir conhecimentos como a serpente para se defender do mal e adquirir conhecimentos como a pomba para não praticar o mal: tal era um dos objetivos do magistério de Jesus.
Em que momento um instrumento benéfico deixa de produzir o bem e começa a produzir efeitos indesejáveis ?
Como a dialética é a capacidade de perceber este momento a sensibilidade precisa ser exercitada.
O método de vigiar, orar e jejuar ! Isto é, observar, refletir e esvaziar-se dos rancores devem ser as práticas diárias de um cristão em busca da verdade e da liberdade para usufruir da vida (zoé) em abundância.
Já é tempo de deixarmos o culto mórbido da cruz e adotarmos a prática da comunicação do caduceu ágil como as serpentes para que a doce mensagem das pombas chegue antes que a mensagem ferina das águias porque ceus e terras passarão mas as palavras de Jesus não passarão.
Ouça a voz do vento em suas orações e o farfalhar das folhas porque os eleitos abreviarão os dias de dores.
Não se abale, porque faz parte do desafio sermos ovelhas entre lobos !
Substitua a dor da cruz pela esfinge da dialética, uma água da qual quem dela beber jamais sentirá sede novamente !

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Do messianismo utópico ao Evangelho específico

É grande a lista de Messias antes e depois do Evangelho !
Messias é uma expressão hebraica que significa “ungido” e os judeus criaram a expectativa do retorno do herdeiro do trono do Rei David para libertar os oprimidos e reconstruir a nação de Israel.
Os judeus não consideram que o Jesus descrito nos Evangelhos seja o Messias esperado.
O que fazer ? Raro encontrar 2 judeus que concordem em alguma coisa !
O hebreu é por natureza contestador porque pela contemplação de um Deus invísivel e o zelo para evitar a idolatria foi desenvolvido nas pessoas mais sensíveis o pensamento abstrato.
O hebreu é bastante racional e intelectualizado e Tomé Dídimo, um dos 12 apóstolos, é o exemplar mais famoso de ceticismo na tradição cristã.
Jesus ficou aborrecido com Tomé Dídimo ?
Não !
Simplesmente encorajou o discípulo a tocar Suas feridas e o consolou com a triste constatação: Bem-aventurados os que não viram e creram ! João 20
Incentivar a fé é diferente de rejeitar a razão, aliás, o projeto é ser inofensivo como a pomba (fé) e astuto como a serpente (razão). Afinal, estarão as ovelhas entre os lobos. Mateus 10
Também fé é diferente de ingenuidade ! Fé, isto é, pistis, como é explicada no livro a República de Platão é uma etapa do conhecimento. Fé é transitar da aparência para a essência do assunto observado.
Conhecer grego, para melhor, compreender as palavras usadas no Evangelho é muito gratificante porque Evangelho em grego significa Boa Nova e quando lembramos do Eclesiastes evidencia-se um desafio à máxima de Salomão “não há nada de novo debaixo do sol”.
O ceticismo de Tomé Dídimo e o enfado de Salomão por se dedicar intensamente à ciência são aflições de espírito. Por isso, o jugo suave e fardo leve de Jesus ao dispensar a frieza das erudições em detrimento do calor da beatitude. Eclesiastes 1
Toda utopia (não-lugar) resvala no escárnio dos pretensos racionalistas !
O Reino dos Ceus como um lugar não terrestre sempre despertou a desconfiança, mas o Reino dos Ceus , mediante a disciplina e resolução das pessoas compromissadas com um projeto, se realiza passo a passo numa revolução permanente em consolidar a liberdade e a justiça.
A zoé (vida no sentido pleno) em abundância resulta da organização da sociedade sem rancores com habilidade de saciar o povo (incluindo os inimigos) com um abastecimento digno.
O que há de novo na Boa Nova ?
Há um salto de perspectiva diante da verdade mais conhecida e mais antiga: somos feitos à imagem e semelhança do Criador e, por isso, nada nos será impossível !
Fiat Lux !
A Boa Nova é uma resposta ao querido Salomão, o maior entre os sábios, que com todo o esplendor de sua glória não chegou a se vestir como um lírio do campo.
Vigiar, orar e jejuar são as práticas que Jesus, o caminho, a verdade e a vida, procurou nos inspirar !
Cultivar a inteligência é manter a sua lâmpada cheia de azeite ! Mateus 25

terça-feira, 18 de abril de 2017

Colonialismo narrativo e a submissão ao analfabetismo

Semana Santa e Inconfidência Mineira são os grandes feriados de abril !
O Brasil possui um vínculo e um Porto Seguro na Semana Santa desde da visualização do Monte Pascoal.
Somos intolerantes à ideia de traição, malhamos o Judas no sábado de aleluia e Joaquim Silvério dos Reis sempre inspirou os linchadores, mas aceitamos que os herois do levante mazombo aurífero sejam tratados como traiçoeiros e aplaudimos tamanha infâmia.
Inconfidência Mineira e o mesmo que dizer Traição Mineira !
Nós brasileiros não devemos definir como traiçoeiros as pessoas que lutaram para defender os interesses do Brasil: soberania e república.
Herdamos os compêndios de História de professores portugueses ou os professores brasileiros não foram capazes de ensinar a História do Brasil com um juízo de valor em sintonia com a perspectiva brasileira ?
A Coroa Portuguesa se referir à insurreição de Minas Gerais como traição é um direito que lhe cabia, mas nós brasileiros, que reconhecemos o evento como um dos mais importantes da nossa emancipação, é um atestado de estupidez.
Há quem chame o movimento político árcade de Conjuração Mineira, mas conjuração ainda soa como um pacto entre pessoas má índole.
A Bahia, que deu régua e compasso aos ícones do tropicalismo, foi muito mais elegante em denominar seu levante de Revolta dos Alfaiates.
Cuidamos tão mal das narrativas que promovem a identidade do nosso país que não me admira a indiferença entre o texto do Evangelho e a prática dos sacerdotes, que, infelizmente, também monopolizaram a educação no Brasil.

domingo, 16 de abril de 2017

Anestesia da cruz

Jesus vale mais pelos ensinamentos que deixou que pela morte na cruz.
O culto pelo Mestre de Nazaré crucificado suplantou a memória de milhares de crucificados da revolta dos escravos liderada pelo gladiador Espártaco 73 anos antes da era cristã.
Considere o horror que ainda nos causa o holocausto da 2ª Guerra Mundial há 70 anos atrás.
Agora, imagine uma morte ser mais importante que todas as vítimas da câmara de gás !
A crucificação era a punição mais severa, humilhante e banal nos governos de Roma, tanto que o suplício de Jesus teve lugar entre outros crucificados.
É um erro patrocinado por Roma lembrar de três cruzes e esquecermos o grande sacrifício do exército de Espártaco que preencheu de cruzes com corpos putrefatos em todas as estradas que levavam a Roma.
O repugnante espetáculo, por si só, além de um dramático aviso a quem quisesse novamente desafiar o príncipe, era uma punição aos olhos e às narinas de todos os cidadãos e visitantes. Jesus foi assassinado 100 anos depois do massacre de Espártaco.
Os padres da “Igreja” trocaram a “lenda” guerreira dos gladiadores pela “lenda” pacifista do rabino. O imperador Constantino fez um bom negócio 300 anos depois!
Todos os insatisfeitos com Roma, quando adotaram os ensinamentos de Jesus, sequiosos pelo Reino dos Céus, morreram, em grande parte das vezes, sem resistência armada e suportaram a escravidão com esperança nas recompensas vindouras da próxima vida.
Claro que herdamos 2 mil anos de equívocos no magistério da Igreja e o Evangelho foi escondido do povo por todo este tempo pelos mesmos sacerdotes que assassinaram o Messias.
Você foi acostumado a ler o Evangelho ?
Quando eu era criança ouvia histórias de pessoas que ficaram “loucas” porque leram a Bíblia.
Quem não ficaria ? Os rituais não correspondem aos ensinamentos de Jesus.
Até hoje nossas práticas devocionais são pagãs.
O catecismo dos padres (Jesus advertiu a chamar ninguém de padre) e dos mestres (Jesus advertiu a chamar ninguém de mestre) não correspondem aos ensinamentos de Jesus. Mateus 23
O jejum (que é uma prática trivial na tradição judaica) é apresentado aos fieis do cristianismo como um “degrau’ de “santidade”.
Por isso, nada “funciona” “plenamente” no mundo “cristão”. Quem aprende a ler (quando aprende) é o primeiro a desconsiderar o que está escrito e a Lei sempre foi aplicada apenas aos desprivilegiados.
Privilégio significa lei restrita a uma pessoa. Uma Lei Privada !
Todos os “esclarecidos” nesta cultura perversa pretendem alcançar um status de autoridade ou nepotismo para usufruir da proteção de uma Lei Especial.
A guerra, que nos horroriza, entre lobos e lobos é mais digna que o banquete dos abutres.
Jesus, impressionado com a capacidade da raça de víboras em emitir palavras doces mesmo possuindo um coração mau, nos alertou que onde houvesse um cadáver ali se ajuntariam os abutres. Mateus 24
Nossa educação procura formar autoridades abutres ! Pessoas mórbidas e famintas pela carniça dos derrotados.
Toda a Tanakh é um documento milenar rejeitando a idolatria e idolatrar a cruz é um disparate com os ensinamentos de todos os profetas, que o Mestre veio confirmar.
Jesus, conhecendo a nossa vocação para rituais, deixou apenas o gesto de abençoar o pão e o vinho para lembrarmos Dele.
Ouça ! Pão ! O pão nosso de cada dia compartilhado entre irmãos e não uma casca de pão ritualística oferecida por um sacerdote !
O plano de Deus foi que Jesus desse o sinal de Jonas durante a Festa da Páscoa para celebrar a liberdade.
Dentro da tradição hebraica (Jesus era um judeu capaz de elogiar as virtudes de samaritanos) o sacrifício de Jesus também não foi uma exclusividade. Os profetas foram perseguidos e mortos pelos hebreus. Mateus 23
Louvores são para o Pai !
Culto de adoração deve ser dirigido ao Criador. É o Pai que deve ser adorado com todo coração acima de todas as coisas.
Jesus foi taxativo ao declarar que nem todos que clamarem por Seu nome será reconhecido por Ele ou entrará no Reino dos Ceus. Mateus 7
Cultuar Jesus é um erro textual !
Com Jesus, o único Mestre, devemos aprender a vigiar (observar os acontecimentos), orar (refletir sobre os acontecimentos) e jejuar (esvaziarmo-nos de rancores) para amar.
Se quisermos demonstrar nosso amor por Jesus devemos conforme Sua amável solicitação “alimentar as Suas ovelhas”, isto é, ensinar o Evangelho, a boa nova de que a salvação deixou de ser uma exclusividade dos hebreus e todos os arrependidos de todos os povos poderão merecê-la. João 21
Leia o Evangelho e viva os ensinamentos do Mestre em vez de idolatrar um cadáver (ídolo propagado pelos sacerdotes) que teve a função de apagar a memória dos milhares de escravos que lutavam pela liberdade ao lado de Espártaco.
Se preferir, você pode continuar com o absurdo da sobreposição de crenças incompatíveis ao prantear a procissão do Senhor Morto na sexta-feira, malhar o Judas (culto ao rancor) no sábado e se lambuzar de chocolate no domingo com a fantasia de coelhos (símbolo pagão da fertilidade da primavera) e seus ovos.

sábado, 15 de abril de 2017

Judas se arrependeu, e você?

A maior dor conhecida pelo ser humano é a traição !
Seja a traição do cônjuge, de familiares, de amigos e até de alianças circunstanciais.
A traição doi ! Todos sabem !
Porém, devemos reconhecer que a traição é algo diferente que a não realização de uma falsa expectativa.
Por exemplo: ficar debaixo de um pé-de-jaca esperando uma maçã cair na sua cabeça revela apenas que você é uma pessoa insensata e seus lamentos despertarão mais risos que compaixão.
Aprendemos que Judas traiu Jesus, mas será que nos ensinaram de maneira coerente este episódio ?
Cuidado para não diminuir Jesus ao malhar Judas.
Sim, os evangelistas descrevem Iscariotes como “o traidor”, mas isso apenas confirma a humanidade dos próprios evangelistas capazes de emitir juízos precipitados com os desafetos.
Faça um teste sobre o que você realmente acredita.
1) Jesus é Deus ?
Jesus foi crucificado sob a acusação de blasfêmia.
Os sacerdotes ficaram ofendidos com os ensinamentos de Jesus e conspiraram para assassiná-Lo.
Ele não guardava o sábado (curava as pessoas no sábado !), não incentivou apedrejar a mulher adúltera (pêga em flagrante, sinta o capricho dos fariseus !), não jejuava à vista das pessoas (nem sequer lavava as mãos antes de comer !), mostrava que os samaritanos eram mais virtuosos que os judeus (!)...e, por fim, não só declarou ser Ele Deus mas também que nós somos deuses (pronto, blasfêmia insuperável !) João 10:31-39
2) Se Jesus é Deus Ele havia determinado a atitude de Judas Iscariotes !
Jesus poderia evitar a traição ou as consequências dela, tanto é que durante a última ceia afirmou quem O entregaria e acalmou a hesitação de Iscariotes e apressou sua delação.
Jesus participava de um plano. O de mostrar o sinal de Jonas, isto é, estar sepultado por 3 dias a exemplo do profeta que ficou 3 dias no ventre da baleia. Mateus 12:39
Iscariotes tinha alguma escolha ?
Se acaso não fosse Iscariotes haveria de ser qualquer outro entre os 12 apóstolos presentes na última ceia.
Dos 12 quem lutou para que Jesus não fosse preso ?
Pedro cortou a orelha de um capanga do Sumo Sacerdote e Jesus mesmo interrompeu a luta e curou o capanga.
Depois Pedro negou Jesus por 3 vezes e os demais apóstolos nada fizeram a não ser demonstrar desespero.
3) A reconciliação com Deus acontece pelo arrependimento sincero.
Iscariotes se arrependeu e grande foi a sua culpa que quando os sacerdotes recusaram a devolução do dinheiro ele se suicidou.
4) Por que Deus não perdoaria Iscariotes ?
Se o maior ensinamento de Jesus é o perdão seria uma infâmia não perdoar Iscariotes.
No mais, se Judas era o instrumento necessário para que o plano fosse realizado Jesus não estaria sequer ofendido com Judas.
O sinal de Jonas é exatamente mostrar que a misericórdia de Deus é infinita e que somos instrumentos de sua vontade sempre que Ele solicitar.
É essencial ler Jonas (o livro é constituído por 4 capítulos bem curtinhos !).
5) Você é capaz de perdoar Judas Iscariotes ?
???????????????????????????????
Se você não consegue perdoar um personagem histórico tão distante seria possível reunir forças para perdoar pessoas reais que fazem parte de seu convívio ?
6) Onde está o mal ? No erro involuntário de Iscariotes ou na doutrina de rancores que ensinamos e perpetuamos ?
Ser capaz ou não de perdoar Judas Iscariotes é um bom teste para você identificar o quanto ainda você está dominado pela idolatria, isto é, inclinado a acreditar mais em ídolos fabricados pelos sacerdotes do que na própria observação e reflexão.
A Boa Nova é que somos bem-aventurados ! Temos a Bíblia ao nosso alcance de um modo que nenhuma geração antes de nós teve.
Antes, as cópias dos Evangelhos eram apenas em grego e posteriormente foi, por toda Idade Média, de uso exclusivo pelos doutores do Vaticano.
Pouco sacerdotes sabiam ler em latim e as missas foram ministradas em latim até 1960.
Sempre fomos um bando de papagaios supridos pela idolatria da Biblia Pauperum.
Conheça a verdade e ela lhe libertará da idolatria.