segunda-feira, 27 de março de 2017

Jesus é grego e o Amor é um banquete

Alguma interrogação ?
??
Você pode ser brasileiro, morar no Brasil e ser culturalmente britânico !
A Constituição do Brasil pode afirmar que o país seja uma República, mas a educação oficial e a mídia podem, na prática, formar mentalidades monarquistas.
Jesus era judeu de origem e, a partir de quase adulto, viveu na Galileia, região helenizada não só por estar próxima de Damasco e da rota da seda como também ser vizinha dos portos de Tiro e Sidom (atual Líbano) e de contato intenso com a civilização grega.
Na Sua infância, lembremos que Maria e José fugiram para o Egito dos Ptolomeus, dinastia dos generais de Alexandre, o Grande.
Nenhum registro confirma onde Ele viveu a adolescência, mas podemos imaginar que sendo carpinteiro por profissão ao ser solicitado pelos comerciantes das companhias marítimas para construção ou manutenção de embarcações que Ele viajou por muitos lugares de grande cultura e que o idioma grego também Lhe fosse familiar. O que explica sua intimidade com a pescaria. Seus primeiros discípulos apresentavam nomes gregos: André, Felipe e híbridos como Natanael Bartolomeu. João e Thiago parecem nomes helenizados ou, se originalmente hebreus, possuem uma sonoridade cosmopolita.
Superadas estas primeiras estranhezas podemos acrescentar que a semelhança de comportamento entre Jesus e o filósofo grego Sócrates (400 anos antes de Cristo) são impressionantes seja na revelação da verdade e justiça ou nas ideias de amor e liberdade como nas condições e acusações que levaram os dois a julgamento e morte.
O Evangelho, apenas por ser redigido em grego, nos permite seguir esses kokos de mostarda, mas as semelhanças entre os dois são fascinantes até na blasfêmia que lhes é imputada.
A obra ‘O Banquete’ como é traduzida ou ‘Simpósio’ no original de Platão os convidados aceitam como atividade fazer discursos em elogio ao Amor.
Estão presentes um médico, um comediante, um trágico, um político e Sócrates.
A estrutura narrativa é um deleite à parte além de bastante esclarecedora: é um narrador contando que ouviu a história de outro narrador que estava presente no referido banquete e cada narrador, a seu tempo, se desculpando ao ouvinte por não lembrar das palavras exatas ou de todos os argumentos apresentados no evanto ocorrido há long, long, long time ago. De modo que o leitor compreende que cada narrador possa acrescentar ou subtrair pontos conforme seus próprios interesses.
Minha vez de resumir a série de elogios ao Amor: cada orador ao elogiar ao Amor se apoiou no conhecimento que possuia da própria profissão, que resultou em elogios às atividades da medicina, da comédia, da poesia e do ciúmes e da sedução.
Coube a Sócrates na condição de último orador apontar os equívocos dos oradores anteriores e de sua exposição resulta que o Amor é uma inspiração.
Por ser a inspiração e anseio para realizar algo belo e benéfico justificaria o equívocos de cada um atribuir ao Amor a características de suas Artes porque suas Artes seriam, segundo a inquirição de Sócrates, efeitos ou resultados ou frutos do Amor.
Como um gênio que é, o Amor escolheria as pessoas e as atividades oportunas para realizar as suas intenções. Caberia ao ser humano esperar pela inspiração para servir como instrumento.
O Amor por preferir o belo e o bem sempre escolherá os justos e sinceros como instrumentos. Portanto, quem pretende ser um instrumento do Amor deve praticar a justiça e procurar pela verdade nos intervalos das inspirações.
O Amor descrito por Sócrates na linguagem evangélica se assemelha a ideia de Graça.
O leitor do Evangelho deve se lembrar do binômio Graça e Verdade. João 1
Amar o inimigo parece algo mais simples agora ?
Inspirar o inimigo parece possível ?
Como se faz isso ?
Saiba que ninguém mais vigia os seus passos que o seu inimigo e se você praticar a justiça e a verdade ele será o primeiro a testemunhar sobre a sua dignidade.
O seu inimigo poderá difamar você e até vender você como escravo, mas a verdade será sempre aliada do justo.
A exemplo de Sócrates e Jesus a verdade lhe presenteará com muitos inimigos em Atenas ou em Jerusalém, por isso lhe desejo coragem.
Este é o Amor que Jesus veio nos ensinar: fardo leve e jugo suave !
Adotá-Lo como único Mestre é uma fonte inesgotável de inspiração.
χάρις και αληθεία  para todos vocês !

Nenhum comentário: