segunda-feira, 20 de março de 2017

Amar o inimigo é o desafio

Jesus, o único Mestre, é enfático quanto à recomendação para amarmos nossos inimigos como condição para sermos filhos do Pai. Mateus 5 e Lucas 6
Amar apenas quem nos ama não traz galardão nenhum !
Vigiar e orar sobre o tema é essencial porque os inimigos, talvez, sejam as pessoas mais adequadas para nos ensinar sobre o amor.
Se é difícil para quase todos definir o que seja amor, para definir o que seja um inimigo não encontramos a mesma dificuldade, mas com cuidado, percebemos que também não é um processo simples.
O inimigo nos invoca dor. A mágoa e o rancor nos impedem de observá-lo. A ele dirigimos o que desejamos de pior e sortudo é o inimigo que consegue despertar apenas o nosso desprezo.
Quase sempre o inimigo não se contenta com o nosso desprezo e insiste em impôr sua presença.
Como surge um inimigo ?
Quando não o herdamos ele surge da decepção ou da ideia de traição, isto é, dos erros que atribuímos a ele ou dos erros que ele atribui a nós.
O trágico é que apenas os erros das pessoas do nosso convívio é que possuem a força necessária para nos consumir.
Bingo ! O inimigo, na maioria das vezes, era alguma pessoa preferida!
Se alguém falhou com você é porque ela se desviou do seu ideal de perfeição e, por isso, Jesus, o único Mestre, usa o apelo sobre o nosso desejo de sermos perfeitos.
Qual ideal de perfeição deve prevalecer ? O seu ou do Criador ?
Ao ler os livros da Bíblia verificamos que os preferidos do Criador desfilam tantos erros que eles mal parecem modelos de alguma coisa boa.
Seja Jesus nosso grão de mostarda: Jesus um judeu da casa de Davi.
Davi, rei de Israel e Judá, como juiz foi reprovado em seu próprio veredicto quando o profeta Natã levou um caso fictício para ele julgar. Quando Natã revela o nome dos personagens Davi percebe que havia condenado a si próprio de modo mais severo que o Criador o haveria de punir. 2 Samuel 12
Ou seja, Davi, o homem rico, preparou uma emboscada para matar, Urias, o homem pobre, para roubar-lhe sua única ovelha: a esposa de Urias por quem Davi se apaixonou.
Ainda Davi... ele sofreu a guerra contra o próprio filho Absalão cujo triste desfecho foi a morte do filho.
Motivo da guerra ? Um estupro entre irmãos!
Absalão exigia que Davi, seu pai e rei, punisse o meio-irmão Amnon por ter estuprado a sua irmã Tamar e Davi se omitiu. 2 Samuel 13
Difícil não considerar que o Criador tem um dedinho podre para escolher seus preferidos !
Acompanhando a nobre genealogia de Jesus verificamos que judeus são os descendentes de Judá. Mateus 1 e Lucas 3
Judá, nada mais nada menos, idealizou a venda do irmão José como escravo. Gênesis 37
Judá era filho de Jacó e Jacó, auxiliado pela mãe Rebeca, roubou o trono de seu irmão gêmeo Esaú. Gênesis 27
Jesus, justo e conhecedor da Lei, deveria ter uma vergonha de tão ilustre família !
Prato cheio para os maledicentes não nos esquecemos que Davi era bisneto da virtuosa Rute, a moabita. Mas ser moabita é descender do incesto entre Ló e suas filhas, depois da destruição de Sodoma e Gomorra. Rute 1 e Gênesis 19
O que dizer ?
Se existe perfeição na Criação ela é algo diferente daquilo que fomos acostumados a idealizar.
A perfeição nunca foi a ausência de erros, mas a auto correção quando o erro fosse identificado.
Certamente colecionaremos menos inimigos se aproximarmos da verdade, o que implica em nos afastarmos das idealizações de perfeição, e só é possível conhecer a verdade com uma boa instrução.


Nenhum comentário: