terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Leilão de novos e usados

Como é de costume, poucas pessoas estão atentas à eleição mais importante do Município. Dependendo de quem seja o Presidente da Câmara Municipal saberemos a linha de governo que teremos.
Seria alguém com a altivez de um 1º ministro para dar ao colegiado a independência que o dignifica ou um mero contínuo que se sujeitará aos caprichos do príncipe ?
Deixemos a altivez de 1º ministro para as próximas legislaturas, não é ?
No mais, ficaremos com os possíveis contínuos mais ou menos voluntariosos.
Esta nova composição legislativa é, de longe, a mais interessante dos últimos tempos. Fruto da internet, foram eleitos parlamentares sob os olhares presentes dos munícipes e isso legitima a representatividade com uma sotisficação que os caciques partidários mal estão sintonizados.
Imagino que no usual jogo de palito, infelizmente, prevalecerá a mentalidade de mascate e o leilão procederá em aspectos mesquinhos.
A Câmara, graças às intervenções do Tribunal de Contas, reduziu seus cargos comissionados. O que vale dizer que o príncipe leva vantagem nas especulações.
O PSDB possui a maior bancada com seus 3 vereadores de primeira viagem, mas completa a base de sustentação fragmentada com mais 3 vereadores de 3 diferentes partidos, que não somam a maioria necessária para garantir o próximo primus inter pares.
Seria mais confortável se a própria base de sustentação não estivesse dividida, mas está. Pleiteiam o status da presidência Fernando (PSC) e Lucimar (PSDB), o que dá mais fôlego para uma suposta oposição levar a melhor.
Levando-se em conta a experiência, Valmir do Meia Lua (PSDC) seria o presidente natural, rumo ao seu quarto mandato também foi o mais votado nas urnas e pertence ao partido do vice-prefeito. 
Perfeito, não há o que se discutir, mas a política sempre oferece a sedução do exercício de todas as possibilidades.
Fernando acalenta um projeto futuro ? Em 2020 vote no 20 ? Só o tempo dirá ! Claro que para isso se consolidar são necessários passos maiores durante o percurso e ser presidente do Legislativo é um prestígio que valoriza o passe entre futuras alianças e engorda o santinho eleitoral.
Pior do que carnaval, leitor, mal acabou o desfile e o Município é menos importante do que a eleição daqui a 4 anos.
Existem as pretensões de outros players e o vice-prefeito eleito, Sasaki (PSDC), é o mais talhado para ser o próximo majoritário. Sua gestão (com a esposa e o  compadre entre os secretários) terá o cuidado de ninguém atrapalhar o seu caminho.
O que vale dizer que Fernando deverá se contentar com a contraproposta da contraproposta. Não será o presidente, mas o que ele ganha com isso ? 
Ainda os costumes, o primeiro lance dificilmente arremata o leilão !

Nenhum comentário: