terça-feira, 12 de abril de 2016

#partidA atrasada: matriarcado ou feminismo?

Criar mais 1 partido no Brasil é um grande desperdício de tempo.
Um partido sem um propósito claro é abusar de toda boa vontade que ainda persiste em nossa sociedade.
Qual a diferença entre um partido feminista e algum outro ?
Um tema aclamado pelas feministas e bastante específico ao movimento é o aborto.
No Brasil existe partido que tolera o aborto. O que não existe, explicitamente, é partido entusiasta do aborto.
Um partido que fosse entusiasta do aborto talvez não conquistaria densidade eleitoral e para conseguir algum êxito esta pauta estaria prudentemente escamoteada sob outras.
Quando os propósitos de um partido não são claros abrem-se as portas para múltiplas correlações, ora, feminismo e aborto são temas correlacionados.
A mulher, que “não nasce mulher, mas torna-se mulher” (afirmação que estou de pleno acordo) possui como aspecto mais marcante de sua singularidade o mistérioso dom de ser mãe.
Quando o imaginário popular cogita a mulher no poder é a figura maternal que prevalece. É desta maneira que se consolida o matriarcado.
Como a palavra grega sugere: matriarcado, governo das mães!
É divertido imaginar um governo de dominatrizes, mas a maioria não permitiria que tal se efetivasse. Governo é segurança, portanto, mãe!
O aborto fere brutalmente a figura maternal.
Criar um partido feminista é um desperdício de tempo até para as feministas se elas estiverem interessadas em ganhar alguma eleição.

Nenhum comentário: