sábado, 1 de novembro de 2014

O Brasil e o que Aécio chama de medo do PT

 Nós brasileiros desconhecemos a importância de nosso país !
Somos um continente com vários recursos naturais e conseguimos manter um idioma comum para um território gigantesco.
Nada disso foi conseguido sem esforço, sacrifício ou violência !
A diversidade linguística nativa foi debelada com a receita nefasta do simples extermínio de seus falantes.
...
Desde o início o Brasil foi uma constelação de portos e o seu interior desprezado. A vegetação sem utilidade marítima era incendiada sem cerimônia.
Em Portugal não havia tantas pessoas para povoarem o Brasil e seus exemplares mais rudes vieram para cá desbravar.
Este terrítório imenso era (e ainda é) por demais cobiçado e nós que herdamos um direito natural sobre ele o desprezamos com ilusão de outros paraísos de civilização. Idiotas que somos, desde o início o paraíso foi aqui e nós continuamos destruí-lo sistematicamente.
A nossa paz é mantida por consórcios internacionais e sempre, desde Portugal, somos beneficiados por uma diplomacia exímia e competente.
O que isso tem a ver com Aécio, medo e PT ?
O PT é fenômeno histórico e totalmente integrado. Não é um fenômeno novo, mas é vestimenta recente de uma contestação controlada e contida, uma válvula para a caldeira não explodir.
O PT merece respeito devido à sua competência em conter levantes e o que Aécio chama de medo faz parte da farsa para conter a ansiedade de quem teve privilégios adiados.
Quem se aproximar da política perceberá que nunca houve oposição no Brasil, porque é ingenuidade considerar desabafo de instisfeitos como oposição.
Refletem na estrutura política as características da estrutura econômica: monocultura em tudo. É o que vemos na agricultura desde a origem da colonização e consideramos a troca do artigo cultivado como mudanças extraordinárias, o que não deixa de ser em certa medida, pois há alterações de técnicas e habilidades novas são exigidas, proporcionando mercado para novos atores.
Na Eleição de 2014, dos 11 presidenciáveis, 4 participaram do PT (Marina Silva, Luciana Genro, Eduardo Jorge e a presidente Dilma Roussef), isto é, 1/3 dos candidatos foram militantes e exerceram cargos eletivos pelo PT em oportunidades recentes.
Quem disser que o PT não merece respeito tenta negar o óbvio e ninguém nunca teve medo do PT, como diz Aécio, a não ser que seja uma convicção íntima e sincera de quem se coloca à disposição de ser o líder da oposição, mas não reflete um pensamento coletivo.
O PT só alcançou a abragência e sucesso que teve com o patrocínio da Igreja Católica, aliás, Portugal também é tributário do Vaticano, pois obteve todo sucesso colonizador com a dedicação missionária de jesuítas e párocos.
A Igreja Católica predomina no Brasil e é ela tutora senão idealizadora do PT, portanto ninguém teme e nunca temeu o PT.
Socialistas e Comunistas ? Sim, o PT acolheu, porém sempre com a estratégia de acalmá-los e contê-los, tanto é que eles (ou, pelo menos quem brada algum discurso mais radical) foram se afastando e definhando ao longo do tempo: PSTU e PSOL.
Então, o que acontece agora ?
É preciso desmoralizar o PT para ceder lugar para outros protagonistas, para substituir os aproximadamente 50 mil cargos do Governo Federal e financiar candidaturas nos Estados e municípios.
Sempre foi assim, qual o problema agora ?
Os evangélicos ! Não há como fazer isso sem abrir espaço para os evangélicos. A eleição do Congresso evidencia isso !
Este é o impasse e o drama da Igreja Católica, por isso, o assanhamento pela Reforma Política.
A LISTA FECHADA seria uma benção para a Igreja Católica continuar no comando pleno da situação.
Colocar Aécio como candidato natural, desde já, é uma maneira de minar as adesões de Marina Silva, evangélica notável.
O 2° turno mostrou que somar a estrutura de um grande partido com um candidato evangélico é a maneira mais viável de tirar o PT do comando.
Ninguém perdeu o medo que nunca teve e Aécio já está plantando a próxima derrota !
Amor é fundamental

Nenhum comentário: