domingo, 19 de outubro de 2014

O sopro do vento

A resposta, meu amigo, é o vento soprando...
Por não lermos o Evangelho não coseguimos identificá-lo nas canções, livros, ideologias e gestos de vários autores.
Quem conhece o Evangelho não precisa de livro tal, capitulo não-sei-o-quê e versículo qualquer-coisa. Quem está preso a estas referências é mais um idólatra que evangélico !
Muito simples ! E...xistia autores antes, durante e depois de Moisés e Jesus ! Moisés, adotado pela princesa, foi educado no Egito e Jesus andou pelo mundo antes de pregar. Chegou até nós registros de que 6 séculos antes de Jesus nascer Atenas vivia uma efervescência cultural com vários filósofos, matemáticos e autores de teatro. Puxa, a Grécia possuía colônias pelo litoral da Palestina até a atual Turquia!
Além de Moisés, muitos sábios aprenderam ciência e espiritualidade com os egípcios, entre eles o grego Pitágoras, e muitos aprenderam com os gregos além de Jesus.
Faço refência a dois exemplos, mas o mundo todo foi influenciado pelos babilônios e persas. Os judeus foram escravizados por todas estas civilizações.
A guerra e o comércio mesclaram os costumes e a ciência de todos os povos. Por isso, Jesus advertia que não existe judeu ou samaritano, puro ou impuro e filho de Abraão ou não: Deus pode levantar as pedras e delas surgirem filhos de Abraão.
Por que falo isso ? Porque o leste europeu, que foi influenciado pelas ideias comunistas, está mais próximo de onde Jesus nasceu que de nós. As semelhanças entre o Evangelho e qualquer autor comunista não é mera coincidência. Também é notório que muitas ideias destes pensadores foram retiradas do próprio Evangelho. Os apóstolos viviam em "comunas".
A União Soviética foi um governo desastroso e totalitário mais por limitação de seus líderes do que pela ideologia. Pois a Igreja Católica não demorou para reconhecer que os índios das colônias espanholas e portuguesas possuíam alma ? Afirmaram que os índios eram inferiores porque os padres gramáticos identificaram que na língua indígena não havia o som "efe" e por isso eles não sabiam o que era fé (pela lógica católica os índios também não tinham filhos !).
Mediocridade é mediocridade em qualquer época e situação e é manisfestada por qualquer um que vista farda, batina ou esteja pelado.
Se não acreditarmos nas coisas da terra que testemunhamos jamais conseguiremos acreditar nos assuntos celestiais (João 3:12).
O problema não é este ou aquele Presidente da República ou se ele pertence a um partido vermelho ou azul, o problema é que não participamos dos partidos, não conhecemos a Constituição Federal e não lemos o Evangelho porque ficamos ouvindo a ladainha de um pretenso sábio.
Parece que gostamos da condição de cegos guiados por cegos.
"Como nascerei de novo se não posso voltar para o ventre da minha mãe ?" Pergunta de Nicodemos, príncipe dos judeus e mestre em Israel.
Deve ser por não aguentar a babaquice de tanta autoridade religiosa que Jesus deu um rolê de 40 dias no deserto.
Amor é fundamental

Nenhum comentário: