domingo, 19 de outubro de 2014

Evangélicos, os perturbadores da ordem

Hoje, como os fariseus definiriam os evangélicos ?
Elegantemente, pois os fariseus (super incensados) preservam a elegância antes de tudo, de perturbadores da ordem.
De modo mais contundente, de pais da desordem e, no desespero, de terroristas (fundamentalista é um eufemismo para terrorista !).
A hipocrisia os deixa eufêmicos.
...
Pois é, percebemos que a sociedade está doente quando o simples dever de conhecer as leis que a regem é o maior ato de desobediência civil.
O movimento evangélico, mesmo que isso não corresponda exatamente aos fatos (de fato, não corresponde, ao considerarmos as palavras do próprio Batista quando diz: depois de mim virá quem era antes de mim), mas por força dos registros, nasceu com João Batista.
Preparar o caminho para o Senhor era a sua missão e é a missão de todos evangélicos.
Numa cultura rica em profetas o que havia de inédito nisto ? A divulgação da Lei !
As atividades de Batista e de Jesus não eram inspiradas somente pela revelação. Citar as Escrituras ou repetir o bordão "por acaso, não lestes ?" era um punhal que sangrava os fariseus. Era o punhal que rasgava o veu do templo.
Seria o Brasil preenchido por uma sociedade doente ? Sem dúvida, e não é de hoje !
No Brasil, a lei mais divulgada é o Código Penal. Há quem interessa o Código Penal se não para quem esteja cumprindo pena ?
Os fariseus promovem uma sociedade de almas penadas. Jesus contesta e oferece vida, vida em abundância.
Toda sociedade pode ir além de seu Código Penal. Basta que outras leis sejam divulgadas com a mesma persistência. Por não serem leis punitivas, a persistência chama-se Amor e não rigor.
Somos dotados de Código Civil e da Constituição. Por incrível que pareça, a Carta Magna é a lei mais desprezada de todas.
Não é preciso acompanhar os Legisladores em Brasília para constatar isto. Os Legisladores municipais são os que mais a vilipendiam. Às vezes, por má-fé, outras, por incompetência; mas sempre pelo assédio da Sociedade Civil Organizada.
Uma sociedade que se organiza eleitoralmente sem o objetivo de civilizar-se, ávida que é apenas por recursos governamentais garantidos pelos títulos de utilidade pública ou promoção midiática.
A origem do mal ? O desconhecimento das leis.
A prática predominante, caso não seja a única, é a troca de favores.
Passam-se legislaturas e mais legislaturas atoladas em processos judiciais com ações diretas de inconstitucionalidade, consumindo o tempo e, sem cerimônia, oprimindo o Judiciário.
Numa sociedade doente o Judiciário é oprimido e nele é colocado a pecha de opressor. Saibam disso, é a falta de desconhecimento das leis que reduz o Judiciário a mero capanga dos fariseus.
Daí, a necessidade do movimento evangélico, pois as atividades pastorais e educacionais estão corrompidas ! Velhos sepulcros caiados !
A lei é igual para todos ! Como poucos a conhecem, reduzido é o número de iguais, ou seja, no mercado de favores poucos são os favorecidos.
Uma sociedade doente é aquela em que as leis estão abaixo da mesa dos comensais e garantem apenas migalhas como retorno dos altos impostos.
Amor é fundamental

Nenhum comentário: