sábado, 20 de abril de 2013

Pedra de tropeço

De pescador de homens à pedra de tropeço foi a trajetória de Simão, conhecido por Pedro, dentro da consideração  de Jesus.

Simão foi o primeiro ou o segundo discípulo, dependendo do evangelista, a ser chamado por Jesus. Era um pescador e acompanhou Jesus por todo o seu ministério. A confiança que Jesus depositou em Pedro confirmou-se em decepção no final da jornada. Pedro deixou de vigiar enquanto o Mestre orava no Getsêmani. As 3 solicitações de Jesus para que Pedro, João e Tiago continuassem vigiando enquanto Ele orava demonstrando a sua angústia em cumprir o destino da crucificação não foram suficientes para evitar que dormissem. Estes 3 apóstolos (os mais antigos entre os 12) talvez gozassem de uma consideração diferenciada porque tiveram a honra de serem convidados por Jesus para presenciar a transfiguração, ver Moisés e Elias e a ouvir a voz de Deus dizendo que Jesus era o Seu filho amado. Para percebermos que a intimidade não fez deles os apóstolos capazes de corresponder à reponsabilidade de suas tarefas.

Pouco antes, durante a última ceia, Jesus havia avisado que Pedro  O negaria por 3 vezes antes que o galo cantasse.

Também, muito antes, ainda na Galileia, quando Jesus explicou que deveriam ir a Jerusalém para a celebração da Páscoa e para cumprir a Sua missão, Pedro quis dissuadi-lO. Ao que Jesus respondeu: "Arreda, Satanás! Tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitais das coisas de Deus, e sim das dos homens."

Estes descuidos e covardia de Simão acabou por descredenciá-lo a ser o início de qualquer Igreja identificada com a Mensagem de Jesus. As epístolas do apóstolo também contrariam o Evangelho por apresentar recomendações de submissão às autoridades constituídas e preocupação excessiva em ajustar o comportamento para que as pessoas tivessem opiniões favoráveis sobre os cristãos.

Estar ao lado de Jesus, por si só, é uma honra imensurável, mas isso não justifica nenhuma devoção ao apóstolo. O Catolicismo, definitivamente, demonstra não ser a Igreja de Jesus porque não passa de um grande projeto de poder em que Deus é preterido por toda sorte de idolatria com cultos direcionados à valorização dos erros. Pedro foi tão incrédulo quanto Tomé e caprichoso quanto Judas Iscariotes.

Se ser apóstolo fosse o suficiente para ser santificado Judas Iscariotes deveria constar como santo. Distorcer a Mensagem de Jesus é pior que entregá-lO aos fariseus.

O comportamento de Simão, o Pedro, é tão reprovável pois o Mestre diz que quem quiser salvar a própria vida perdê-la-á!




Hy Ho!

Nenhum comentário: