domingo, 21 de abril de 2013

Os filhos do trovão

João e Tiago eram irmãos e foram um dos primeiros discípulos de Jesus e Ele os chamava de 'filhos do trovão'.

Jesus era assim, deu o apelido de Pedro a Simão, também um dos primeiros discípulos, e chamou os filhos de Zebedeu de 'filhos do trovão'. Creio que isso seria uma maneira de Jesus valorizar as pessoas e criar vínculos e intimidade (todos sabemos o quanto a intimidade é a origem de muitos desastres no relacionamento). No caso de Pedro, foi o próprio Simão o homenageado e no caso dos irmãos imagino que Jesus quisesse homenagear o pai deles. Zebedeu é apenas mencionado no Evangelho como pai de dois apóstolos mas sobre a mãe é narrado um episódio interessante.

A mãe dos 'filhos do trovão' pediu a Jesus para que os assentassem ao Seu lado no trono do Reino do Ceus. Um à direita e o outro à esquerda. Jesus, muito franco, apenas responde que ela não sabia o que estava pedindo e depois pergunta se eles estariam dispostos a beber o mesmo cálice que Ele iria beber.

Os irmãos responderam que sim, beberiam, sem ao menos terem ideia sobre o quê Jesus estava falando, isto é, a crucificação.

Jesus, compreendendo a natureza fútil e vaidosa da mãe e da tolice dos dois apóstolos (que poucas coisas aprenderam, é bom lembrar!) e do ciúmes entre os demais, começou a explicar ser o Reino dos Ceus diferente do que tudo que se entende por governo e poder político. No Reino dos Ceus quem quiser ser maior do que outras pessoas deverá servir mais do que todos.

Definitivamente as pessoas tinham uma expectativa equivocada sobre os propósitos de Jesus, incluindo as pessoas mais próximas. Enquanto o Mestre estava ensinando a Boa Nova eles sonhavam com o poder, glória, fama e prestígio.

Com tantas tarefas importantes a serem realizadas, com tantas armadilhas e perseguição, Jesus ainda precisava administrar a babaquice dos próprios apóstolos. Outro aspecto a ser notado é o do projeto familiar. O Mestre evitou que a própria família se glorificasse a aproveitasse a Sua fama e tinha que perder tempo com a pretensão da família dos outros.



Hy Ho!

Nenhum comentário: