quinta-feira, 25 de abril de 2013

Cura

Cura é uma palavra que veio do latim e significa cuidado.

Portanto, quem cura, na verdade, é quem se cuida! E a Fé cura.

Existe algo mais perigoso que a Fé? Creio que não ! É uma grande falta de cuidado acreditar naquilo que não se vê. Também, por outro lado, nada adoece mais que o excesso de racionalismo, isto é, acreditar somente naquilo que pode ser tocado ou, principalmente, visto.

"--- Vi com estes olhos que a terra há de comer!" São aos olhos creditado o fator verdade! Quem garante que o fato visto não passa de uma ilusão? Portanto, nem os olhos são instrumentos tão precisos.

Mesmo assim, há quem precisa ver para crer. É uma exigência de cada um para correr menos riscos ou nenhum.

Ver ou não ver é tão ingênuo quanto! Tábula rasa!

Por isso, o maior mérito é o de crê sem ver porque é daí que surge a inovação. Claro que existem riscos de erros, mas se não arriscarmos é aí que nunca haverá chances de acertos.

As decepções são frutos de erros e os erros são nossos maiores parceiros. Pouco sabemos sobre o mundo e seus fenômenos e errar acaba sendo  inevitável. O que não  devemos fazer é persistirmos no erro por comodidade. Arrependimento e perdão são aspectos desta realidade. Evitar julgar é um grande cuidado, amar o próximo é um gesto de coragem e ter Fé é o maior bálsamo que poderia existir.

A Fé nos impulsiona. A falta de Fé paralisa!

Buscar compatibilidade é um cuidado, porém não é algo fácil de encontrar. Formar a compatibilidade é um caminho mais garantido que esperar encontrá-la espontaneamente. Porém, engana-se quem acredita na aparência de espontaneidade. Se a compatibilidade  é espontaneamente encontrada em alguém, significa, na verdade, que você nós não fizemos o investimento de formação, mas tenha certeza que alguém fez.

Embora tenhamos algo único em nós, grande parte do que somos é modelado por aquilo que acreditamos, em valores transmitidos e por todas as experiências que permitimos ou não passar.

Não agir também é uma forma de experiência. Boa ou ruim, como saber? O que não podemos negar é que não estamos isentos da vida!

Grande parte de nossos erros e consequentes decepções são originadas de compatibilidades parciais ou até mesmo superficiais. Porque a total incompatibilidade intuitivamente evitamos. Por sorte ou por azar a compatibilidade plena é utópica.

A Boa Nova é um processo de formação de compatibilidade. Há quem confunda pregação da Palavra de Deus com o esforço de homogeneização do pensamento ou do comportamento, porque inegavelmente há quem a pregue com este objetivo, mas compatibilidade é fazer parte de um projeto maior preservando a individualidade e toda renascimento e inovação inspirados pelo Espírito Santo!

Se a Boa Nova exigisse alguma homogeneização não nos lembraria de amarmos o inimigo como uma atitude mais ousada e digna que amarmos somente os amigos.

Mas, cuidado! Amar é diferente de conviver e aceitar! Toda a dinâmica de Jesus é altamente seletiva. A porta está aberta para todos porém é estreita e quem fizer mercado da casa de oração deve ser expulso contundentemente.

A Fé nos cura porque nos ilumina e a razão passa a ser resultado das experiências que a Fé proporcionou. Perceba que isto é infinitamente mais rico que o contrário. Priorizar o racionalismo tende a ser estéril!




Cura-se, tenha Fé e colha as suas bênçãos!


Hy Ho!



Nenhum comentário: