terça-feira, 26 de março de 2013

Os que choram serão consolados

Não há maior verdade e também a maior mentira ao mesmo tempo.

Verdade porque quem não reprime o choro se revitaliza naturalmente ao deixar rolar as lágrimas, mas chorar diante de alguém só lhe trará vampiros ao redor.

Ninguém precisa manter o personagem de forte, mas é totalmente nocivo ficar bancando o fragilzinho, exceto quando quem passa por frágil seja um oportunista. Uma isca para se aproveitar da piedade de outros. Porque o que não falta é um bando chorões se dando bem e fazendo um monte de gente de trouxa.

Fico completamente intrigado com a série das bem aventuranças. O conjunto manso + humilde + choroso desenha um perfil de pessoas incompatível com os gestos de Jesus. Alguém que fez tremer os fariseus com as suas ousadias e não e intimidou diante do Império Romano não condiz com quem procura ficar à disposição de pessoas frágeis  e muito menos parece que Ele aconselha que outros também fiquem à disposição. Porque quando é afirmado que os que choram serão consolados aí está implícita a promessa de haver um consolador. Na outra ponta da ideia aqui reside mais um perigo: o de depender de um consolador e alimentá-lo com as nossas súplicas. Predadores nascem e se desenvolvem com a nossa dor e miséria.

Não sei se a ambiguidade de significados correspondem à mensagem original ou se ela foi contaminada pela ignorância, distração ou oportunismo das pessoas no decorrer do tempo.

Creio que Jesus não estava aconselhando a fragilidade como virtude nem como astúcia.

No próprio dicionário também traz a ideia de alívio para a palavra consolo e consolação se relaciona com o termo lenitivo, este pode ser um medicamento que promove alívio.

Chorar por si só já é um remédio! Às vezes, é necessário o incentivo e apoio de outra pessoa para se permitir chorar? Sim, nossa cultura reprime o choro. Quem ler distraidamente pode deduzir que ser um chorão é o suficiente para ser redimido.

Será que a ideia é a da onipresença de Deus? Creio que seja mais coerente e a erupção de lágrimas e seu efeito de alívio para a dor seria a maior prova de sua presença permanente.

De todo modo tem-se a certeza do alívio ao chorar e de como isso é uma Graça Divina.

Motivos não faltam para chorarmos, mas creio que a discrição é tão recomendada quanto na hora de orar ou fazer a caridade.



Hy Ho!

Nenhum comentário: