segunda-feira, 18 de março de 2013

Os mansos herdarão a terra

Cultivar a mansidão como bem-aventurança não corresponde aos gestos de Jesus.

Como poderíamos definir manso? Alguém que aceita tudo de boa? Bem, esse não era o perfil dele! O enfrentamento aos fariseus, o atrevimento em colocar em prática uma nova interpretação da lei de Moisés ao não respeitar o sábado com o argumento 'se a lei diz para não trabalhar aos sábados, por que os sacerdotes trabalham aos sábados?', em não jejuar e não exigir o jejum de seus discípulos' ou em 'não lavar as mãos antes das refeições' não corresponde com alguém que aceita tudo!

Compreende a dificuldade em aceitar de boa e sem questionar esta tal bem-aventurança?

Outras definições para manso encontradas nos dicionários em português: que não é bravo, benigno, brando, sossegado, tranquilo, cultivado (quando vegetal),domesticado, sereno, plácido, não selvagem e lento.

Em dicionários em inglês a palavra 'meek' corresponde a: manso, brando, humilde e submisso.

Seja qual for a ideia original das palavras de Jesus, nada do que entendemos como manso atualmente retrata o comportamento do Mestre.

Vejamos a palavra brando, que é uma ideia correspondente apresentada nos dois idiomas: que cede à pressão, mole, suave, fraco, leve, pouco enérgico, afável, meigo.

Creio que a descrição piorou.

Meigo o que é?

Vamos lá: dotado de meiguice, carinhoso, suave, terno, bondoso.

Eu não tenho uma ideia muito favorável de meiguice e por isso não consigo imaginar Jesus cheio de meiguices ou sendo avalista deste comportamento.

Interessei-me pelo termo afável. Afável é quem possui afabilidade e afabilidade significa: cortesia benévola aliada a franqueza, delicadeza ou trato lhano.

Agora eu quero saber o que é trato lhano! Você também não ficou curioso?

Pois bem, lhano significa: singelo no trato, franco ou sincero!

Se levarmos em conta o fator franqueza e sinceridade continua estranha a ideia de submissão.

Observo que existem conflitos, incoerências, inconsistências e dissonâncias de ideias nesta mensagem e fico em dúvida com o que Jesus quis dizer ou realmente disse.

Os sacerdotes controlam melhor um rebanho submisso e meigo e se aproveitaram desta frase para fazer de Jesus um modelo de pessoa domesticada, carinhosa, mole e que cede à pressão dando a estas características a atmosfera de ser bondoso. O que me incomoda é que algo que foge desta caracterização não pode ser considerado bom e tentam exorcizar qualquer um que não seja delicado.

De qualquer forma é certo que os mansos herdarão  a terra porque o que mais encontramos são covardes dominando pela hipocrisia e dominados pela pusilanimidade, ou seja, a covardia é reinante!

Por outro lado, a sinceridade e franqueza assinalada na palavra lhano que poderia lançar uma nova luz sobre o tema, se dilui na palavra lhaneza ao significar afabilidade, simplicidade, lisura, candura.

Candura apesar do seu significado original ser brancura, de tecido sem mancha e nos levar á ideia de puro e puríssimo (assim no superlativo) também se refere à credulidade ingênua.

Nada mais adequado para a fixação de dogmas e outras violências intelectuais que este perfil de devotos de credulidade ingênua para manter a paz conveniente para quem domina as narrativas e escraviza as pessoas. Ao aprisco e ao abate por um pedaço de pasto.

O Jesus que veio trazer a espada não é o mesmo anunciado pelos sacerdotes!

Ou Jesus foi irônico (gosto de imaginá-lo desta maneira! gosto muito!) e profético ao ridicularizar a covardia das pessoas ou o significado de suas palavras foi mutilado pelo nosso analfabetismo somado à má-fé dos falsos profetas.

O fato trágico é: os covardes dominam e nisso consiste a bem-aventurança dos mansos: o de ser alimento dos lobos.



Hy Ho!



Nenhum comentário: