sábado, 16 de março de 2013

Francisco

Gostei de Francisco !

Francisco de Assis foi maravilhoso ao evangelizar e o seu nome vibrando novamente com a escolha do novo Papa mostra que a inteligência pode ser usada para a manutenção do poder e a favor da humanidade.

Há um inegável jogo de poder! Lembremos (os fieis, em sua maioria, são indiferentes a isso) que o Vaticano é um estado, isto é, um país. O Papa, além de pastor do rebanho católico, preside um país. Diferente dos países que são sustentados com os impostos dos habitantes de seu território, o Vaticano sobrevive da doação de seus fieis por todo o mundo.

Na América Latina habita mais da metade dos católicos. O fato de o novo Papa ser argentino não foi uma inspiração do Espírito Santo como eles querem que todos acreditem ou, pelo menos, aceitem. A escolha faz parte de uma estratégia de manter a influência da Igreja em outras ocasiões políticas. Vemos a militância e preferência dos líderes católicos quando candidatos são recomendados ou constrangidos por padres e autoridades religiosas. Então, há muito mais que valores espirituais nesta escolha. Nada contra o objetivo de procurar o poder e manter a hegemonia, a única coisa é que estamos atentos ao jogo. O mesmo Espírito Santo que inspira o critério dos 115 cardeais também inspira todos os crentes do Evangelho. O Evangelho tem como maior objetivo instruir as pessoas para a liberdade e comunhão, compatibilizar as pessoas para que haja colaboração, prosperidade e justiça. Por isso o Evangelho sempre condenou a ignorância e falta de amor.

Francisco de Assis leu o Evangelho e partir desta leitura restaurou o catolicismo, inspirou o renascimento e a reforma protestante e foi cultuado por hippies e é respeitado pela Nova Era. Francisco é um símbolo de coerência e unidade de uma proposta que evolui e se desfaz de si mesma para continuar sendo o que sempre foi: sal da terra, luz do mundo e amor.

Que o comportamento  do novo Papa inspire não só os católicos e que o Evangelho seja redescoberto.

Os países de língua espanhola estão eufóricos e os demais conformados! A dor de cotovelo dos brasileiros foi amenizada com o anúncio de que a escolha do nome foi uma sugestão de Claúdio Hummes, cardeal emérito de São Paulo, a maior cidade do Brasil.


Hy Ho!

Nenhum comentário: