sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

No suor do seu rosto comerá o seu pão

Tudo é trabalho!

Só há uma maneira de sermos felizes: trabalhando!

Nada acontecerá sem o nosso empreendimento e nossa dedicação ou de outras pessoas. A diversão? Todos precisam descansar, se descontrair, mas entendamos que o nosso tempo livre depende dos serviçoes de outras pessoas. Enquanto nós nos divertimos estão trabalhando o DJ, o garçom, o porteiro, o segurança, a cozinheira...

Não precisamos ser obcecados pelo trabalho, mas não seremos felizes se não o relizarmos com disposição e talento. A sociedade se desenvolve ao permitir a expressão de vários talentos, de permitir que alguém faça uma tarefa que goste e ofereça o melhor de sua habilidade.

O trabalho absorve 8 ou mais horas de nossos dias. Quem é feliz no trabalho é feliz em qualquer lugar, mesmo que cansado! É gratificante realizarmos um trabalho importante! Um trabalho que crie um mundo melhor. É o trabalho um elemento essencial de nossa identidade. Quando as pessoas perguntam quem somos, de modo automático, falamos sobre a nossa profissão. Porque trabalho é pão.

Um trabalho melhor significa um pão melhor, é o que estamos condicionados a pensar. Porém, nem só de pão viverá o homem. Por isso é muito mais importante com quem nós compartilhamos o pão que o pão em si. Muitos sofrem procurando o sucesso, mas o sucesso está muito mais relacionado com a auto imagem que com os frutos saboreados. Esse não é um manifesto contra o desejo de comprar um iate, trabalhemos e compremos! Sejamos felizes ! Mas não estraguemos o mundo enquanto não o pudermos comprar!

Auto imagem e trabalho são uma coisa só, porque ninguém contrata um profissional com uma fama ruim, sem boas referências ou indicações. Certo, muito bem, e o marketing pessoal existe para facilitar o contato e a venda de serviços. Mas não se pode viver somente de marketing pessoal. Isso pode promover os sepulcros caiados, isto é, pessoas que são belas por fora e podres por dentro. Nada mais decepcionante! Ver o suor do nosso rosto jogado fora por alguém que não se dedicou o bastante para merecê-lo. Só nós sabemos o quanto suamos.

Na estratégia do marketing pessoal é muito utilizada a escama de bem-feitor. Dar esmolas, ser pio o bastante para doar certas somas à caridade. Novamente sepulcro caiado. Prejudicar o todo para construir uma imagem de generoso é uma prótese perversa no tecido social. Nada diminui o mal que causamos ao termos sido negligentes. Alívio de consciência e auto promoção: a mediocridade se alimenta disso. Quanto menos hipocrisia, maiores as chances de um mundo melhor. De tão arraigada, a hipocrisia se tornou condicionamento incensada de virtudes.

Valorizemos o nosso tempo e o tempo de todos. Respeitemos o suor de nosso rosto e do rosto de todos. Isso é amar o próximo como a nós mesmos. Precisamos estabelecer parcerias comprometidas com bons resultados. Precisamos entender que a oportunidade que nos foi dada de trabalhar para ganhar o nosso pão poderia ser dada a  outra pessoa. Não outra pessoa que necessitasse mais, mas uma outra pessoa que trabalhasse melhor.

Estabeleçamos parcerias e façamos da melhor maneira o nosso trabalho, não há caridade que compense isso! A caridade não deve ser uma obrigação, a sua beleza está na espontaneidade e o trabalho deve ser feito com alegria, por isso sejamos honestos ao concorrer a uma vaga de emprego. A empresa não existe para nos alimentar, ela existe para ser próspera. Gostemos do  patrão ou não. Não é para ele que nós trabalhamos e muito menos para nós, o trabalho é a atividade que promove um mundo mais prático, harmonioso e agradável para todos.

Se a motivação for só o nosso pão seremos  pessoas  miseráveis para sempre porque o trabalho não passará de castigo.


Hy Ho!




Nenhum comentário: