terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Quem ama o pai e mãe mais que a mim não é digno de mim

Jesus aparentemente nos confunde com frases compiladas pelos evangelistas.

Lembremos mais uma vez que Jesus nada deixou escrito. Embora a Bíblia seja uma livro sagrado ao qual devemos devotar imenso respeito isso não nos isenta de algumas iniciativas para compreender os textos.

Há uma contradição, se levarmos os escritos a ferro e fogo, entre o que está escrito e o que nos ensina a tradição. O grande fundamento da sociedade é a família sendo a grande referência das pessoas. Ter uma família ou não é de grande impacto na construção da personalidade das pessoas.

Contestador de todo comportamento judaico de seu tempo, Jesus poderia ser tomado ao pé da letra, já que honrar seu pai e sua mãe é um dos mandamentos de Moisés. Apreciemos com mais vagar e atenção: em outro momento Jesus diz não pretender revogar a lei. Em meio a contradições podemos considerar que Jesus mal sabia o que falava e, segundo a fama de beberrão, estamos autorizados a pensar que a incoerência seria resultado do excesso de vinho.

"--- Mas Jesus chutou o balde com o sábado, que também faz parte dos dez mandamentos e disse que a lei foi feita para o homem e não o homem para a lei." Alguém pode muito bem dizer isso sem estar errado,o que aumenta a lista de contradições.

Então vamos partir de outro ponto, de maior relevância! Amar o próximo a como a si mesmo!

Seria justo amar qualquer pessoa sem distinção e virar as costas justamente para quem o amamentou e protegeu durante toda a infância? Claro que não! Jesus disse o que disse para aliviar a dor dos órfãos e não para desprezar a relação familiar. O que, de outra parte, na mesma porretada, Jesus criticou foi o projeto familiar se sobrepor à vontade de Deus.

"--- Sou fulano de tal" e o mais desastroso "--- Sou filho de fulano, neto de cicrano e bisneto de beltrano" A família mais que uma rede de solidariedade sempre foi uma empresa, o que levava a todos a se sujeitarem aos planos de um patriarca com matrimônios acordados por interesses alheios ao bem estar dos envolvidos somente com o objetivo de acumular riquezas.

Isso é trazer a espada em vez de trazer a paz, colocando noras contra as sogras. A família como empresa não agrada a Deus. A honra que os filhos acabam devendo aos pais não resulta de gratidão, mas, de modo mesquinho, passa a ser o retorno de um investimento. Muitas famílias são vazias porque são a continuação de contratos mal feitos e sem o selo do amor. Deus é amor! Jesus esteve o tempo todo dedicado a nos lembrar desta grande verdade.

Todos estão convidados a nascer de novo. Esta é a bênção! Livrar-se dos condicionamentos e deixar de ser objeto dos propósitos de terceiros para estar plenamente em comunhão com Deus e participar da maravilhas que Ele já providenciou, conhecendo em segredo as suas necessidades.

Você, na condição de pai ou mãe, poderá trazer mais felicidade aos seus filhos colocando Deus acima de você mesmo, porque seus filhos já foram presentes providenciados por Deus.


Honre seu pai e sua mãe! A misericórdia de Deus é infinita e confirma-se a todo instante, tanto é que na falta de um ou outro haverá consolo! Lembremos de um  dos últimos gestos de Jesus diante da angústia da própria mãe ao vê-Lo crucificado: "Mulher es aí o teu filho", indicando ao apóstolo João e a João, pedindo que cuidasse de Maria  "João, eis aí a tua mãe".
 


Hy Ho!

Nenhum comentário: