terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Cegos guiando cegos

É comum encontrarmos na internet depoimentos de adolescentes com 15 anos de idade afirmando serem ateus desde os13 ou 14 anos e quanto mais cedo o adolescente assumir o seu ateísmo a ele concedido maior importância.

Parece divertido, mas isso é um grande atraso para eles e para a sociedade. O mais preocupante é que adolescentes influenciam outros adolescentes e ser ateu hoje tornou-se uma condição para ser aceito de um grupo que posa de inteligente.

Desafiar os dogmas sempre teve uma aura de inteligência, mas os que os supostos inteligentes desconhecem é que não precisa ser ateu para desafiar os dogmas e condicionamentos sociais. Jesus fez isso sem ser ateu e só o fez porque os dogmas e todos os ritos atrapalhavam a sua comunhão com Deus. Ler a Bíblia e orar nos permite compreender isso muito bem.

Existem adultos tão cegos como os adolescentes. No passado até era possível tolerar, mas hoje não! Pelo simples fato de termos à disposição em nosso idioma traduções da Bíblia, umas com linguagem mais acessível, sem  mesóclises e conjugações nas 2° pessoas do singular e do plural, e outras específicas para jovens ou para crianças.

Admiramos a ousadia de São Francisco de Assis e não conhecemos a ousadia de Jesus, como se São Francisco não fosse um seguidor radical de Jesus. O dogma sempre privou os crsitãos desse radicalismo ou loucura santa. Seguir Jesus exige um pouco de fúria. Por favor, não confundir com fanatismo!

Eu fico pasmo ao ver as pessoas contentando-se com migalhas das Escrituras lidas por padres e pastores,  sendo que a Palavra esta aí. Isso não passa de um condicionamento de quando a Bíblia era um livro raro e ainda escrito em latim e a população inteira analfabeta. Hoje não há mais o porquê de ser assim! A não ser por um condicionamento de subserviência. Deus e Jesus nada têm a ver com as imposturas do Vaticano e de demais denominações evangélicas porque foram os homens que erraram, e, por uma ignorância que hoje não se justifica.

Outro sintoma imbecil de tal cegueira é dizer que as Escrituras não são confiáveis por terem sido manipuladas pelas autoridades religiosas. Se alguém ousar realizar o que texto atual nos apresenta louvará a Deus por uma possível retirada de conteúdo do texto. Mais uma vez vigora um intelctualismo tolo e vil.

Das alterações mais citadas são as do relacionamento conjugal de Jesus com Maria Madalena e da ausência de relatos sobre a infância e adolescência de Jesus. Quantas distrações para tentar evitar que a Bíblia seja conhecida e admirada!

O que importa tais episódios diante dos feitos e ensinamentos de Jesus contidos na Bíblia?

Tentar fazer uma psicanálise de Jesus é um intelectualismo fútil para não dizer inútil!



Hy Ho!

Nenhum comentário: