quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

A vontade de Deus

O mundo é maravilhoso, mas é incompleto!

Deus nos fez com um propósito que desconhecemos e desconhecer é a porta de todas as maravilhas.

Onisciente, onipresente e onipotente, Deus correu o risco de nos permitir fazer nossas escolhas e ofendemos a Deus à medida  que nos acovardamos diante dos desafios. O medo nos afasta de Deus!

Se nos foi dada a responsabilidade de escolher nossos caminhos o que poderia ser seguir a vontade de Deus? Se tudo já está escrito nada tenho o que decidir! Precisamos dar um salto.

Nada acontece sem Deus permitir, mas muito deixa de acontecer se não tomarmos a iniciativa de realizar. Nós somos as ferramentas de Deus e somos responsáveis pela nossa própria manutenção. Não temos o poder de garantir resultados porque a soma de acontecimentos que interferem no nosso planejamento está fora de nosso controle. Veja bem, Deus não está interessado em controlar as coisas. Deus já definiu como as coisas se relacionam e anseia por novas combinações resultantes de nossa ousadia. As forças se aglomeram e ou se anulam por inspiração de Deus.

Deus é não-ação. Os seres existentes são ação, inclusive nós! Entre todos os seres alcançamos uma presença dominante, porém trilhamos um caminho de agressão e violência que poderia ser sereno se houvesse maior compreensão da obra de Deus. Se houvesse maior confiança! Se assumirmos o propósito de agir com menos defesa e suspeitas poderemos realizar muito mais e caso haja traições que a decepção seja vivida depois de tudo concluído.

Devemos ser prudentes e vigilantes, porém não paralisados pela dúvida. A falta de fé nos destroi.

Deus prometeu a Terra Prometida e no entanto ela já era ocupada por um outro povo. Nada que Deus oferecer estará passivamente nos esperando. O mais intrigante de tudo é de não estarmos autorizados a conquistar as coisas de qualquer jeito. Inteligência e astúcia são qualidades admiradas por Deus, mas precisamos agir movidos pelo amor e nunca pelo ódio.

A vontade de Deus nada tem de mistério se houver comunhão com o Criador e a criação. Contemplar tudo depois que acontece é uma das melhores maneiras de oração. Não há nada de novo debaixo do sol!




Hy Ho!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Honrar pai e mãe: um critério

É comum filhos e pais se desentenderem por haver expectativas irreais de uns sobre os outros.

Somos o tempo todo envenenado com vãs expectativas e muitas delas, acredito, foram desencadeadas pela psicanálise ou quem dela se aproveitou. Com o objetivo de identificar as causas dos conflitos o uso parcial e irresponsável de seus postulados  mais alimentou conflitos que os sanou.

"Somos, desde o parto, agredidos por nossos pais". Embora haja o desconforto de sair da barriga quentinha da mamãe e aprender a se defender da rudeza da vida com o papai na melhor pedagogia "aprenda a ser homem, seu merda", não há motivos para considerar que os nossos pais queiram o nosso mal. Porém, o pouco que se divulgou da psicanálise (no dia a dia só encontramos doutores em orelhas de livro) acabou justificando gestos de ingratidão por parte dos filhos glamourizados com ares de intelectualidade.

Não pretendo descrendenciar a psicanálise, é fato que estamos sujeitos a toda sorte de agressões e reagimos inconscientes a elas. Muito se compreendeu sobre nossas atitudes depois da pesquisa clínica. A maior violência que sofremos é a repressão e, obviamente, os primeiros a cortarem o nosso barato são os pais. "Não faça isso", " Não tem o porquê, não faça, e pronto; tenha certeza que é para o seu bem". Cansados, estressados e oprimidos por mil fatores, dificilmente - por mais que queiram - conseguem oferecer o melhor para os filhos. Mais que o cansaço há também o despreparo! Conscientes dessa fragilidade, os pais até se permitiram ser desautorizados sobre a educação dos próprios filhos ao dar ouvidos a muitos gurus, pedagogos, terapeutas e até apresentadoras de televisão (que não vivem a realidade de cada um). Um adolescente se queixar disso e até fazer estripulias para chanar a atenção, além de engraçadinho, é tolerável porque o faz por falta de informação e imaturidade, mas um comportamento de insatisfação permanente por parte de um adulto é sintoma de inutilidade.

Se alguém solicita o seu tempo para fazer-lhe ouvir falar mal da própria mãe - dou um conselho - deixe esta pessoa falando sozinha! Principalmente se for no trabalho, daí piorou! Ela não trabalha, não deixa você trabalhar ou os demais funcionários e, por mais que você queira ajudar, as coisas não irão melhorar, pelo simples fato de você estar dando atenção a um ingrato, egoísta e cheio de justificativas para a própria dor. Se você for o chefe e esiver em condições de demiti-la, então, demita. Está em jogo o seu futuro, das tarefas a realizar e da empresa.

Honrar pai e mãe não só é a atitude correta a ser praticada por todos mas também possui este lado prático como um excelente critério na seleção de suas parcerias.

Não se pode perder tempo e quem não reconhece o valor de quem mais lhe dedicou  tempo e zelo não irá valorizar o tempo de ninguém.



Hy Ho!

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Quem ama o pai e mãe mais que a mim não é digno de mim

Jesus aparentemente nos confunde com frases compiladas pelos evangelistas.

Lembremos mais uma vez que Jesus nada deixou escrito. Embora a Bíblia seja uma livro sagrado ao qual devemos devotar imenso respeito isso não nos isenta de algumas iniciativas para compreender os textos.

Há uma contradição, se levarmos os escritos a ferro e fogo, entre o que está escrito e o que nos ensina a tradição. O grande fundamento da sociedade é a família sendo a grande referência das pessoas. Ter uma família ou não é de grande impacto na construção da personalidade das pessoas.

Contestador de todo comportamento judaico de seu tempo, Jesus poderia ser tomado ao pé da letra, já que honrar seu pai e sua mãe é um dos mandamentos de Moisés. Apreciemos com mais vagar e atenção: em outro momento Jesus diz não pretender revogar a lei. Em meio a contradições podemos considerar que Jesus mal sabia o que falava e, segundo a fama de beberrão, estamos autorizados a pensar que a incoerência seria resultado do excesso de vinho.

"--- Mas Jesus chutou o balde com o sábado, que também faz parte dos dez mandamentos e disse que a lei foi feita para o homem e não o homem para a lei." Alguém pode muito bem dizer isso sem estar errado,o que aumenta a lista de contradições.

Então vamos partir de outro ponto, de maior relevância! Amar o próximo a como a si mesmo!

Seria justo amar qualquer pessoa sem distinção e virar as costas justamente para quem o amamentou e protegeu durante toda a infância? Claro que não! Jesus disse o que disse para aliviar a dor dos órfãos e não para desprezar a relação familiar. O que, de outra parte, na mesma porretada, Jesus criticou foi o projeto familiar se sobrepor à vontade de Deus.

"--- Sou fulano de tal" e o mais desastroso "--- Sou filho de fulano, neto de cicrano e bisneto de beltrano" A família mais que uma rede de solidariedade sempre foi uma empresa, o que levava a todos a se sujeitarem aos planos de um patriarca com matrimônios acordados por interesses alheios ao bem estar dos envolvidos somente com o objetivo de acumular riquezas.

Isso é trazer a espada em vez de trazer a paz, colocando noras contra as sogras. A família como empresa não agrada a Deus. A honra que os filhos acabam devendo aos pais não resulta de gratidão, mas, de modo mesquinho, passa a ser o retorno de um investimento. Muitas famílias são vazias porque são a continuação de contratos mal feitos e sem o selo do amor. Deus é amor! Jesus esteve o tempo todo dedicado a nos lembrar desta grande verdade.

Todos estão convidados a nascer de novo. Esta é a bênção! Livrar-se dos condicionamentos e deixar de ser objeto dos propósitos de terceiros para estar plenamente em comunhão com Deus e participar da maravilhas que Ele já providenciou, conhecendo em segredo as suas necessidades.

Você, na condição de pai ou mãe, poderá trazer mais felicidade aos seus filhos colocando Deus acima de você mesmo, porque seus filhos já foram presentes providenciados por Deus.


Honre seu pai e sua mãe! A misericórdia de Deus é infinita e confirma-se a todo instante, tanto é que na falta de um ou outro haverá consolo! Lembremos de um  dos últimos gestos de Jesus diante da angústia da própria mãe ao vê-Lo crucificado: "Mulher es aí o teu filho", indicando ao apóstolo João e a João, pedindo que cuidasse de Maria  "João, eis aí a tua mãe".
 


Hy Ho!

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

A lei

A palavra lei significa: aquilo que deve ser lido, portanto, por extensão, o que deve ser conhecido por todos, uma vez que a escrita foi desenvolvida com o propósito de fixar as ideias e delas nos servimos para consultas em caso de dúvidas ou controvérsias.

A Bíblia traz ao nosso conhecimento normas de condutas e relatos das experiências de reis, profetas e devotos para nos inspirar na prática de bons costumes a fim de reduzir os conflitos dentro do convívio social.

Seguir a lei agrada a Deus, temer a Deus nos poupa de excessos, mas tudo isso pode não ser suficiente porque não é o mesmo que fazer a vontade de Deus. A lei não tem nenhum valor só porque está escrita, há quem a siga sem conhecê-la.

Por outro lado, há quem cumpre o dever com a esperança de desfrutar de direitos como recompensa. Essa é a coisa mais idiota que existe porque o direito não é recompensa do cumprimento dos deveres, é consequência! Se você usufrui de direitos sem cumprir os deveres então saiba que alguém os cumpre por você. Se você pouco importa com isso então saiba também que quando alguém se cansar desta situação reclamará por justiça. Somos o que dividimos e o seguidor de Jesus compreende  a alegria de tirar o peso dos ombros de alguém sobrecarregado em pagar os débitos da própria imprudência ou por ser logrado por terceiros.

Acomodar-se no "fiz a minha parte" é medíocre. Quem definiu qual é a sua parte? Um contrato? De que maneira um contrato pode prever todas as circunstâncias possíveis?

Conheço algumas maneiras: evitar o novo, não ousar, não criar! Bom, isso é o mesmo que morrer!

Entendeu de onde vem tanta dor?

Deus quer que sejamos fonte de vida e por isso, como criador, nos fez segundo a sua imagem e semelhança para que criemos. Foi esse o fôlego! O mundo fica mais leve se nos propusermos a ser esse fôlego! Ventilar o ambiente com a chama do Espírito Santo emitindo luz e calor. Nada refresca mais que o fogo do Espírito Santo!

Desarmar as armadilhas do condicionamento e despertar as pessoas desse transe de coisas certas e previsíveis é temperar a vida com o sal da terra que fomos convidados a ser.

O medo é o mesmo que a morte! Seguir a lei por medo e sem alegria é demonstrar não compreendê-la e torná-la sem valor. Um novo mundo nasce com a Boa Nova e insistir no erro é privar-se de viver maravilhas! Porque só quem está em comunhão com Deus sabe o que é vida! Vida criativa, vida sem limites, vida sem dor!

Fazer a vontade de Deus é muito radical !

Conhecer a lei, cumprir seus deveres, fazer a sua parte é um bom começo, porém é apenas um começo.



Hy Ho!

sábado, 26 de janeiro de 2013

Igrejas gay

O noticiário desta semana trouxe, por ocasião do aniversário da cidade de São Paulo, a inauguração de uma igreja gay na capital paulista. A notícia foi recebida com maus olhos por Silas Malafaia, presidente do Conselho de Pastores no Brasil, que foi taxativo ao dizer que não há interpretação bíblica que aceite a homoafetividade, porém é duvidoso e tendencioso afirmar que exista alguma citação que a condene.

A data me chama a atenção porque a citação mais famosa é a de São Paulo na carta aos romanos, mas lembremos que Paulo não conviveu com Jesus e portanto não participou das pregações do Mestre. Paulo, grande perseguidor dos seguidores de Jesus, converteu-se depois da morte e ressurreição de Jesus. Compreende? Jesus nada deixou escrito, o que nos faz confiar nos relatos dos discípulos e Paulo não era um dos discípulos.

Os próprios discípulos, que conviveram dia a dia por mais de 3 anos, demonstravam dificuldades em absorver os ensinamentos e compreender as atitudes de Jesus a ponto de o Mestre, com toda compaixão que o caracterizava, irritar-se com eles por diversas vezes.

Nos quatro evangelhos a homoafetividade não é mencionada, não há opinião contra ou a favor. Ao lembrar as palavras de Jesus, percebemos que o chamado para o Reino dos Ceus era para todos. Se prestarmos atenção às palavras também podemos perceber que o fato de todos serem unidos na mesma fé e promoverem a comunhão não se impunha um convívio entre culturas e comportamentos incompatíveis, o que havia era uma feliz acolhida por quem aderisse ao evangelho sendo o principal critério de ingresso ao  grupo o firme propósito de não cometer mais pecados. Isto é, se um grupo não aceitar a comunhão com os homoafetivos essa é uma decisão do grupo, porém o grupo não pode impedir que os homoafetivos busquem, por si próprios, a comunhão com Deus. Veja só: quem é o pastor para afirmar que Deus deixará de amar alguém ?

Difícil aceitar a homoafetiviade? Sim, há muitos motivos culturais que dificultam a aceitação e o mais óbvio é de ser uma relação sem possibilidades de procriação, entre outros; porém há quem seja homoafetivo, e daí? Quem é você para impor limites à misericórdia ilimitada de Deus?

Não podemos viver de migalhas da Palavra e muito menos dar aos homens autoridade maior que a de Deus.

Se os homoafetivos são constrangidos e desprezados nas diversas igrejas que existem, fazem muito bem ao abrirem uma igreja onde eles possam estar livres dos preconceitos das pessoas. Imagino que isso demorou a acontecer!

Entre as palavras proferidas pelo Mestre existem estas registradas: "Ide e aprendei o que significa: misericórdia quero e não holocaustos; pois não vim chamar justos, e sim pecadores ao arrependimento".

Se a homoafetividade é pecado ou não caberá ao coração de cada um definir com a iluminação do Espírito Santo, mas isso somente será possível se as pessoas adquirirem intimidade com a Boa Nova,  o que justifica e legitima uma igreja gay, enquanto nosso preconceito continuar nos cegando.



Hy Ho!


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Cegos guiando cegos

É comum encontrarmos na internet depoimentos de adolescentes com 15 anos de idade afirmando serem ateus desde os13 ou 14 anos e quanto mais cedo o adolescente assumir o seu ateísmo a ele concedido maior importância.

Parece divertido, mas isso é um grande atraso para eles e para a sociedade. O mais preocupante é que adolescentes influenciam outros adolescentes e ser ateu hoje tornou-se uma condição para ser aceito de um grupo que posa de inteligente.

Desafiar os dogmas sempre teve uma aura de inteligência, mas os que os supostos inteligentes desconhecem é que não precisa ser ateu para desafiar os dogmas e condicionamentos sociais. Jesus fez isso sem ser ateu e só o fez porque os dogmas e todos os ritos atrapalhavam a sua comunhão com Deus. Ler a Bíblia e orar nos permite compreender isso muito bem.

Existem adultos tão cegos como os adolescentes. No passado até era possível tolerar, mas hoje não! Pelo simples fato de termos à disposição em nosso idioma traduções da Bíblia, umas com linguagem mais acessível, sem  mesóclises e conjugações nas 2° pessoas do singular e do plural, e outras específicas para jovens ou para crianças.

Admiramos a ousadia de São Francisco de Assis e não conhecemos a ousadia de Jesus, como se São Francisco não fosse um seguidor radical de Jesus. O dogma sempre privou os crsitãos desse radicalismo ou loucura santa. Seguir Jesus exige um pouco de fúria. Por favor, não confundir com fanatismo!

Eu fico pasmo ao ver as pessoas contentando-se com migalhas das Escrituras lidas por padres e pastores,  sendo que a Palavra esta aí. Isso não passa de um condicionamento de quando a Bíblia era um livro raro e ainda escrito em latim e a população inteira analfabeta. Hoje não há mais o porquê de ser assim! A não ser por um condicionamento de subserviência. Deus e Jesus nada têm a ver com as imposturas do Vaticano e de demais denominações evangélicas porque foram os homens que erraram, e, por uma ignorância que hoje não se justifica.

Outro sintoma imbecil de tal cegueira é dizer que as Escrituras não são confiáveis por terem sido manipuladas pelas autoridades religiosas. Se alguém ousar realizar o que texto atual nos apresenta louvará a Deus por uma possível retirada de conteúdo do texto. Mais uma vez vigora um intelctualismo tolo e vil.

Das alterações mais citadas são as do relacionamento conjugal de Jesus com Maria Madalena e da ausência de relatos sobre a infância e adolescência de Jesus. Quantas distrações para tentar evitar que a Bíblia seja conhecida e admirada!

O que importa tais episódios diante dos feitos e ensinamentos de Jesus contidos na Bíblia?

Tentar fazer uma psicanálise de Jesus é um intelectualismo fútil para não dizer inútil!



Hy Ho!

domingo, 20 de janeiro de 2013

Quem comigo não ajunta, espalha

Compatibilidade é a coisa mais importante  numa equipe.

Não se trata de ser igual ou pensar igual, nada disso! É querer a mesma coisa, ter o mesmo objetivo e alcançá-los pelos mesmos expedientes. Porque dizer que quer a mesma coisa e tentar alcançá-la por meios diferentes é muito falso; é incompatível!

Basta observar um simples fato, nem sempre é possível alcançar o objetivo ou participar de seus resultados e o patrimônio que construímos para nós e para a comunidade é o caminho, a maneira de fazer. Um testemunho bíblico do que estou falando é o que aconteceu com Moisés. Ele guiou o povo até a Terra Prometida e não colocou os pés nela, por misericórdia pôde vê-la, mas não pisá-la.  Do caminho foi compartilhado como caminhar de um modo que agrada a Deus, que está em harmonia com o que ele criou.

Já ouvi, pessoas inteligentes, que admiram os traficantes (iaginemos que seja por falta de reflexão), dizendo o quanto eles são bons administradores e da capacidade de organização em suas atividades. Bom, administrar com violência é uma técnica promissora desde as equipes mais remotas. Chicote no lombo, castigos, mutilações, desprezo e escárnio fizeram muita coisa funcionar e possibilitou a construção de palácios e monumentos colossais. E daí? Prédios são demolidos com a mesma violência com que foram construídos. Para que tanto choro e ranger de dentes?

Não basta o mesmo objetivo, é necessário o mesmo jeito de fazer:  isso é cultura! A compatibilidade é fruto da cultura, mesmo que não seja um fruto exclusivo dela. Uma empresa sofre porque seus membros não desenvolveram a cultura de trabalhar, por exemplo, e depois não se dedicam para encurtar a curva de aprendizagem dos afazeres dentro da empresa.

Tempo é dinheiro e esperar alguém sem disposição aprender a realizar as tarefas do ofício é um martírio, consolidando a perda de tempo, recursos, expectativas e energia.

Quem comigo não ajunta, espalha porque me atrasa e me atrasando prejudica a todos: eu ,que pretendo alcançar um objetivo, e as pessoas que se beneficiariam deste objetivo. O seguidor de Jesus é quem realiza as tarefas de acordo com os objetivos do Mestre. Os objetivos não precisam fazer sentidos para nós, e, nós, por intelectualismo imbecil ou por astúcia, pedimos explicações constantemente, talvez, com a intenção velada de fugir do serviço.

Seguir Jesus é trabalho. São os obreiros os verdadeiros seguidores, há quem vai à Igreja como vai a um clube ou a um spa e pouco se interessa em melhorar o que precisa ser melhorado nas relações e no mundo, considerando clamar o suficiente para a própria redenção.

A Igreja é o espaço da comunhão, o espaço físico deste encontro é apenas conforto, pois o sagrado está no coração do fiel.

Ser fiel é compatibilizar-se, voluntariamente, com a maneira de o Mestre agir. Pouco importa o quanto você errou antes de ser tocado pela Palavra, o que importa é a sua disposição em participar da realização dos planos de Deus.



Hy Ho!


quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Jesus, the life coach

Eu vi estes dias o termo life coach e fiquei encantado.

As pessoas solicitam o apoio de outras constantemente e o life coach é uma pessoa disposta a atendê-las no aperfeiçoamento dos relacionamentos pessoas e profissionais, enfim, rumo ao sucesso.

Uma vida melhor é sucesso e o que vemos é que nem sempre o sucesso é uma vida melhor. Essa dissonância parece ser a regra porque os desafios e as exigências são inéditas e não desenvolvemos habilidades o suficiente para enfrentá-los.

Acomodar-se é cômodo no começo e incômodo no meio e no fim. Quem sonha com o Paraíso não merece ancançá-lo porque a devassidão e a luxúria preenche a maior parte de nossas fantasias.

Tudo está num pé de falta de compatilibilidade! Quando os objetivos são divergentes é uma grande utopia esperar alguma colaboração. É essencial compreender para colaborar e para compreender exige-se um mínimo de compatibilidade.

Vários idiomas dificultam a comunicação e sem comunicação pouca coisa se faz. Se fossem somente os idiomas, mas há as crenças. Certas crenças nascem não das culturas mas, a cultura é exatamente o conjunto de experiências comuns, mas há o insondável das experiências de solidão.

A doença e tragédias pessoais criam identidades que ultrapassam diferenças de idiomas e culturas. Quem era leproso era rejeitado independente de ser judeu, egípcio, grego ou romano. Duas identidades se sobrepõem neste caso: ser leproso e ser rejeitado, isto é, duas dores.

A dor cria empatia e identificação porque todos sabem, de uma maneira ou de outra, o que é dor. A alegria não tem este alcance, porque sempre está associada à opulência e, como os recursos são escassos, diante desta crença poucos podem ser felizes.

Separar a ideia de alegria da de opulência nos leva à Graça e novamente erramos em pesar que a Graça é um antídoto para a dor, logo, somente os que sofrem são merecedores dela.

É aqui que eu me atrevo a dizer que Jesus é o melhor life coach! Primeiramente, a ideia de que a alegria não depende da opulência é um fator importante em sua Doutrina. Em segundo lugar, a Graça não é exclusiva para quem sofre (Isso deixou muita gente confusa até hoje). Em terceiro, e não menos importante, é de que sofremos unicamente porque aceitamos o condicionamento social.

Se formos precipitados concluiremos que a Doutrina de Jesus é um manifesto de ruptura, a primeira vista sim, porém com uma reflexão mais calma perceberemos que Jesus nos propôs a Restauração. Houve corrosão da Lei por vícios e desobediência dos homens, porém, a lei era perfeita desde o Éden.

A compreensão de certas essências dependem do convívio e é para isso que existe a Igreja, sendo ela, início e o fim de toda colaboração.

Vamos edificá-la?



Hy Ho!


sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

O jejum é poderoso

O jejum traz várias vantagens para quem o pratica tais como: economia de dinheiro e de tempo e, o melhor, desintoxica  o corpo e a mente.

O jejum santo displina o praticante a sair do condicionamento social. É usual pensarmos na privação de refeições quando o jejum é mencionado, mas é possível e recomendado jejuar sobre qualquer assunto. Visto desta maneira, o jejum é uma ferramenta para a liberdade! Jesus, como mestre, nos instrumentalizou para vivenciarmos a liberdade. Não foi Jesus quem inventou o jejum, porém, além de praticante, foi um severo crítico de quem o praticava, contraditoriamente, por simples condicionamento.

Não sobra dinheiro para fazer a assinatura de um jornal? O jejum ajuda você! Neste caso, ao se privar de uma refeição por semana que seja, você tornará uma quantia de dinheiro disponível para fazer a assinatura. Esse foi um exemplo prático com um máximo de vantagens porque além da disciplina adquirida, você é beneficiado com a desintoxicação, da independência de um condicionamento social e ainda adquire conhecimento de fatos relevantes para as suas decisões de qualquer abrangência.

Você já ficou sem a sua liberdade? Já se preparou para a fatalidade de um dia perdê-la? Não que você faça algo que mereça, José do Egito foi preso injustamente por meio de ardil. Nesta condição não se come o que deseja, não conversamos com quem preferimos e não há opções de atividades.

Erramos inconscientemente por puro condicionamento! E procuramos muitas coisas que poderíamos dispensar também por puro condicionamento. Patrocinamos ideologias que rejeitamos por desatenção e condicionamento.

Quanto desperdício existe pelo consumo irrefletido? Um deles, além da compra por impulso, é a inflação porque quanto maior é a procura maior será o preço de algum produto.

Caminhar por uma trajeto desconhecido é uma forma sutil de jejum, porém não menos poderoso. Você abre mão do cenário que lhe traz a sensação de segurança. Quando se pratica percebemos que sensação é apenas sensação porque em casa estamos sujeitos a qualquer atrocidade. Segurança messmo somente na comunhão com Deus.

Podemos jejuar de um lazer que nos agrada muito. Perceba, isto não é penitência ou punição é um exercício para que você possa suportar com mais tranquilidade quando algo lhe é tirado. Um exercício que o capacita a se recompor em qualquer privação.

Podemos jejuar de relacionamentos... Há relações que mais parecem vícios que relações...e não só conjugais, de trabalho, amizade.

Podemos jejuar da imagem que tentamos emitir para as pessoas. Não precisamos ser reconhecidos como inteligentes em todas as ocasiões ou  fortes ou simpáticos.

O jejum prepara você para aproveitar qualquer adversidade. No início parece algo como conter impulsos depois de desintoxicado você fica feliz por fazer escolhas, por respeitar a vontade de Deus e o Seu tempo.

Um dia sem internet é um ótimo jejum, então, até segunda-feira!




Hy Ho!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Orar

Orar é a ferramenta mais eficaz para estabelecer a comunhão com Deus.

Se precisa ser de joelhos? Caso queira! Porém, ajoelhar-se é mais penitência que oração.

Jesus recomenda que seja em sigilo e evitando repetições vazias porque Deus já conhece o seu coração antes que você se manifeste.

Se Deus responde? Responde, mas nunca ouvi nenhuma voz de trovão! Sim, existe muito poder na comunhão com Deus, se fosse para explicar como é não haveria expressão melhor como a de ouvir uma voz de trovão dentro do peito. É assim, somos limitados para comunicarmos entre as pessoas, mas, com Deus não há limites!

Recitar preces decoradas foi um expediente pedagógico para incentivar os novos na fé, infelizmente, tudo que é pedagógico falha ao infantilizar a comunicação. Manter a pureza de uma criança é requisito essencial para testemunhar o reino dos ceus, mas é equivocado infantilizar a mentalidade e as relações.,Jesus nos ensina a ser simples como uma pomba e ao mesmo tempo ser cauteloso como uma serpente. De que maneira decifrar o enigma desta esfíngie? Manter a conexão com Deus por meio da oração.

Agradecer, ser grato é promover o estado de graça e despertar a generosidade nos corações endurecidos. No silêncio de seu quarto você cultiva esta vinha. Também é possível orar caminhando e observando os lírios do campo. Também pode ser deitado sobre a relva ou na cama olhando para o teto. É possível orar em atividade. Está fechado o semáforo? Ótimo, alguns segundos para orar! Quem ora é mais sereno e sendo mais sereno toma decisões melhores. A confiança no Pai e em si mesmo se fortalece.

Desenvolva a coragem para assumir os desígnos de Deus! Como uma brisa o Pai infla o seu íntimo e lhe inspira a realizar tarefas importantes para o bem de tudo ao seu redor. Orar também lhe dá esta coragem, porque tudo vem de Deus e nada acontece sem Ele permitir. De Deus surge toda a autoridade inspirada pelo Espírito Santo e a oração sempre confirma a presença de Deus!

Ore, não como penitência, muito menos para pedir e jamais para se exibir! Porque não existe nada que você precise sem que Deus já tenha providenciado. Ore para se fortalecer na fé e desenvolver toda coragem para estar a serviço do Senhor!



Hy Ho!

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

O inimigo semeia o joio

Que contradição!

Os discípulos de Jesus possuem muitos inimigos porque ser a luz do mundo incomoda e afirmo o quanto isso é uma grande ironia.

Os discípulos de Jesus se afastam de qualquer discussão vazia e não ostentam coisas fúteis; vivem o Poder, o Reino e a Glória mais no íntimo que exteriormente. Vestem-se sem o esplendor dos lírios, alimentam-se como se alimentam os passarinhos e pouco se importam se haverá onde recostar a cabeça. Parece a descrição de um eremita ou andarilho, mas é algo extraordinariamente mais profundo, isto é, vive-se o dia e  louva-se o pão de cada dia porque acumular com euforia consiste em estar cego para todas as belezas permanentes da vida. A ideia não é privar-se de tudo e sim ser um contraponto a um consumo insano.

Se o consumo fossse limitado aos objetos... mas muito mais que objetos consumimos ideias! As ideias de sucesso, de prosperidade, de felicidade, de comportamento familiar, de amizade estão impregnadas de joio.

Por isso, os seguidores precisam desenvolver a cautela e vigiar o campo. Estará lá o joio porque o inimigo semeou, mas deverá ser arrancado somente depois de crescido para que não prejudique o trigo enquanto o trigo não estiver firme.

Por exemplo: quantos deixaram de acreditar no amor por terem ouvido "eu te amo" de lábios irresponsáveis ou imaturos? Quantos estão desanimados por terem sido tratados como bobos quando confiaram em alguém? Isto é, o amor não deve deixar de existir porque as pessoas são irresponsáveis e muito menos a confiança.

Tentar arrancar o joio antes que cresça é perder a chance de recomeçar! Porque no início tudo segue os mesmos rituais de sedução, ou seja, esconder defeitos e exaltar virtudes ou projetar grandes proezas e aventuras.Gato escaldado tem medo de água fria, não é? Porém, sem arriscar novamente o novo não se concretiza.

Cristalizar paradigmas irrealizáveis faz parte da estratégia do inimigo e sugestionar os distraídos a tais modelos é o danado do joio. O joio é sutil porque o seu fracasso e frustração garantem a sobrevivência do inimigo.

O inimigo vive oferecendo uma série de produtos para aliviar os males de todos os equívocos e hipocrisia: pílulas contra depressão, cursos para alcançar uma visão específica de sucesso, moradias para um modelo de felicidade familiar, apetrechos contra a solidão e assim por diante.

Só é possível separar o joio do trigo por meio da oração! Justamente por isso o inimigo lhe oferece um leque atraente de distrações também.

O impacto de seguir a Jesus é gigantesco e é algo que ressente a muitos porque os discípulos são leves, ainda que sob perseguições. Nada há neste mundo que possa preencher o encanto da comunhão com Deus, isto é, sucesso, família, felicidade e, principamente, solidão é muito melhor com Deus.



Hy Ho!

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Luz do Mundo

Os discípulos de Jesus são a luz do mundo!

Não é recomendado aos discípulos omitirem o testemunho, a lâmpada deve estar na parte mais alta da casa e não embaixo da cama. Os seguidores de Jesus deixam a timidez e a omissão para as baratas. Assumir o desconforto de algumas privações pela sinceridade fortalece a fibra e o caráter, além de desestimular os erros.

A vida é curta e exatamente por isso que não temos tempo para insistir no erro. A melhor maneira de colaborar com o mundo é diminuir o que executivos chamam de curva de aprendizagem. Há muito o que aprender? Há ! Mas isso não pode servir de desculpa para fugirmos do compromisso de restaurar o Reino dos Ceus.

Somos a luz do mundo porque as pessoas decidem as próximas ações a partir de nossas palavras, gestos ou omissões. Sem solicitarem os nossos conselhos, em silêncio, somos referência para um rol de atitudes e suas respectivas consequências. Longe de querer controlar as coisas, pois isso é pecar pela soberba, é essencial adquirir consciência do impacto de nossa presença. Porque ser luz do mundo é impactar da melhor maneira tudo que se encontra ao nosso redor.

Há também um excelente motivo para sermos atentos de nosso impacto: Jesus é o nosso fiador, mas é muita cretinice deixar que Ele pague por nossos erros. Na história da humanidade percebemos o quanto foi prejudicada a imagem de Jesus por relacioná-lo a projetos desastrosos de poder. O Espírito Santo tocou o coração de Paulo, que deixou de perseguir os discípulos de Jesus e passou a propagar a Palavra nos principais pontos do império romano até que um dia Roma se curvou a nova fé, no entanto, o Vaticano foi extremamente cruel e dizimou as opiniões divergentes, isto é, não mais lutava contra os opressores, com o monopólio das Escrituras restrigiu o acesso à Palavra e colaborou com os piores opressores. Hoje, Jesus é rejeitado pelos assombrosos erros do Catolicismo. Depois o Espírito Santo iluminou Guttenberg, que tornou a Bíblia mais acessível com a fácil reprodução; depois Lutero, que a traduziu do latim e do grego para o dialeto local a tornando cada vez mais acessível. O Espírito Santo inspirou tradutores de todos os idiomas aumentando o entendimento de Jesus entre quase todos os povos. Calvino impôs um rigor aos seguidores de Jesus, que promoveu mais angústia do que compreensão da Palavra.

A Palavra viva transborda com a inspiração do Espírito Santo e nos convida para vivificarmos a Lei, porque é necessário buscar sempre o significado de "misericórdia quero e não holocaustos"

Atualmente, as Escrituras, apesar de ser o maior best seller de todos os tempos, não passa de um amuleto e de objeto de decoração,  permanecendo fechada na estante ou aberta em algum salmo ou em alguma belíssima gravura, ou seja, a única página amarelada do precioso volume; o mais triste de tudo, simbolizando pessoas atrasadas, preconceituosas e tapadas.

A Biblia deve ser lida, com reflexão e carinho, para que os discípulos engrandeçam o nome do Mestre e iluminem o mundo.


Hy Ho!

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

A seara é grande e poucos são os trabalhadores

Há muito o que fazer para o mundo melhorar!

Avançamos na ciência e tecnologia, desenvolvemos sólidas estruturas políticas, porém somos frágeis moralmente. Não falo de defeitos, falo de objetivos escusos, de sabotagem de talentos.

É digno alguém que reconhece o próprio erro e procura acertar. Arrependido e consciente dos danos causados por atos maldosos, a pessoa escolhe entrar pela porta estreita. Que mais podemos fazer a não ser amar tal pessoa?

Existem erros por condicionamentos. Todos são programados socialmente e muitos destes erros revestem-se de virtudes! Erramos sem saber, agimos assim ou assado porque todos agem da mesma maneira. Porque cada grupo possui um projeto distinto e de horizontes restritos, isto é, a sobrevivência, como se tudo fosse faltar amanhã. A consequência é um requinte de avareza msiturada à perversidade. Zelo com os nossos e desprezo pelos demais. Deixamos de partir o pão e, a exemplo dos cães, o escondemos.

O seu coração estará onde estiver o seu tesouro! Pobres corações endurecidos, busquem primeiro a Deus e tudo o mais lhe será acrescentado. O reino dos ceus é o tesouro que nenhum ladrão pode roubar e que nenhuma ferrugem irá corroer.

A boa nova precisa alcançar a todos para que os atos se modifiquem! Amar não é nada piegas, amar é restaurar a dignidade. O reino dos ceus é um projeto de horizontes mais amplos e o convite é esse! Fortalecer um empreendimento maior que nós mesmos nos fortalece.

Senti-me tocado e levarei a mensagem por onde caminhar. Amarei por hoje e deixarei os aborrecimentos de cada dia para cada dia. O que é possivel fazer hoje para ser testemunho da palavra e de todas as marvilhas que o Senhor permite acontecer em minha vida?

Começarei com uma prece para desenvolver a serenidade: Sei que sou uma ferramenta para os seus planos, Senhor. Prevaleça a Sua vontade sobre a minha, pois os Seus propósitos são perfeitos. Ensina-me a compreender o Seu tempo para que o meu coração se acalme e para que em mim não haja mais fúria, para que em mim haja somente a pureza de Sua sabedoria.



Hy Ho!

domingo, 6 de janeiro de 2013

O Glutão

Ora, ora, ora...se tivéssemos que confiar no julgamento dos fariseus e escribas sobre Jesus esta seria a sentença: um glutão e bebedor de vinho que senta à mesa junto com publicanos e pecadores.

Não só sobre Jesus; João Batista, que pouco comia ou bebia, era tido como endemoniado.

Quem julga corre sempre o risco de errar em seu julgamento, ainda mais se for no embalo dos outros. Logo João Batista, o novo Elias, ser rotulado como endemoniado. Chegaram a dizer também que Jesus expulsava os demônios com a participação do maior entre os demônios. Comentários que irritavam profundamente! Por isso, há de termos cuidado com a doutrina dos fariseus!

Difícil identificar os fariseus? Nem tanto! Os fariseus são os burocratas, os doutores da Lei, que fizeram dos mandamentos mera superstição. Havia pães exclusivos aos sacerdotes que nem ao rei era permitido tocar, o único que ousou foi Davi. Um grande escândalo.

Os fariseus orgulhavam-se de jejuar, mas por mera superstição. E quando fazemos algo por superstição desagradamos ao Senhor. Também desagrada ao Senhor exibir o rosto de contrição por estar jejuando. Orar em pé nos templos ou gritar nas esquinas para se exibir. Os fariseus promoviam um espetáculo horroroso de suposta demonstração de fé, enquanto o glutão simplesmente ceiava com os discípulos.

"Comei e bebei em memória de mim. Carne da minha carne, sangue do meu sangue! " Uma grande humilhação aos experts em sacrifícios e abluções. Nem sequer lavar as mãos os discípulos de Jesus lavavam antes de comer. Escândalo e repugnância para os almofadinhas do templo diante de um só gesto.

É fácil de entender! Os fariseus sobreviviam dos rituais e agir deste ou de outro modo exigia o aval destes profissionais da fé  que dedicaram anos de estudos para fazer tudo perfeitinho e o glutão chega e dissemina um ritual tão simples que até um analfabeto pode ministrar.

Quem não se compraz em comer e beber com os amigos sinceros? Em agradecer os frutos da terra e do trabalho? Deus estará presente entre dois ou três reunidos em nome Dele, basta crer e mais nada.

O jejum como superstição é apenas enfado para Deus e auto-fragelo para quem o pratica. O jejum santo é aquele consciente de uma crise crônica de  abastecimento num país árido. O jejum santo é aquele com a consciência de que ao se privar do alimento você aumentará o excedente que atenderá a provisão de outras pessoas. O jejum santo é aquele que ao reduzir o consumo equilibra a inflação. O jejum santo é aquele que, por fim, educa o seu próprio corpo para futuras e recorrentes privações.

Ao passo que, em companhia do noivo na celebração do casamento, o mais elegante a fazer é desfrutarmos da festa para não desapontá-lo.




Hy Ho!

sábado, 5 de janeiro de 2013

Mal é o que sai da boca

"--- Preciso lhe contar uma coisa, sabe o Zezinho? Então, menina...escuta só este babado..."

Somos difamadores por nascença!

Além de cuidarmos da vida dos outros, falamos pelos cotovelos o que ouvimos alguém falar. Sempre vendendo o peixe que nos venderam. É um imenso regalo.

Somos seres sociais e a comunicação é um elemento essencial de união e falamos o tempo todo sem o devido senso de utilidade daquilo que falamos. Sentimo-nos solitários no silêncio mesmo ao lado de várias pessoas.

Falar é uma estratégia de mantermos a atenção das pessoas em nós. Também traz uma sensação de segurança. "Não falamos nada por mal", "Cuidamos dos outros com a esperança de que eles também cuidem de nós". De fato, isso procede e não podemos esquecer do grande serviço prestado pelas senhoras debruçadas nas janelas ao intimidar os estranhos.

Num cenário de constantes conflitos é justo que cada grupo se defenda e o falatório extrapola seus nobres motivos iniciais para se tornar uma mercadoria importante. De um certo modo, esperamos algum prêmio pela informação que trazemos.

Sim, não é novidade nenhuma, sabemos que há olhos e ouvidos em todos os lugares. Por isso, vale mais a informação mais detalhada e minuciosa, o que explica a eufórica pescaria.

Transitamos por um entulho de redes e anzois e depois nos queixamos do mundo paranoico.

Há os talentosos que narram episódios com humor e dramaturgia e se a informação não for relevante, pelo menos, valeu o divertimento.Vale o bilhete e paga a viagem. Tem gente que tem o dom de falar, mas peca por não acrescentar nada edificante.

Atentos a qualquer sinal de ameaça, todo estranho é suspeito e pode alterar nossos planos e desmanchar tudo que fizemos com muito custo e pesar. "Pior, pode ser uma péssima influência para nossos jovens!" "Desandar os custumes!"

Difamar é um expediente eficaz de defesa e ataque porque precisamos de um mínimo de apreciação dos fatos para tomarmos as nossas decisões. Com boatos e intrigas somos conduzidos para o abismo e há quem sabe tirar o melhor proveito disso.

Apurar os fatos ,investigar as fontes e os propósitos de alguma informação nos toma tempo, um tempo que raramente temos. Mas, não alimentar o sistema não só evita o nosso erro como também o tantas outras pessoas.

Se ainda não temos controle sobre o mal que sai de nossas bocas, podemos ceiar e mantê-las ocupadas mastigando e deixe que falem que somos glutões!




Hy Ho!

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O Reino dos Ceus está Próximo

A consciência das pessoas é tão pesada que muitos entendem a frase O Reino dos Ceus está Próximo como uma ameaça.

João Batista anunciou e depois Jesus continuou com este anúncio.

O Reino dos Ceus está  tão próximo, tão próximo que está apenas a um gesto de distância. Um aceno, um sorriso.

"-- Ah, só isso? Eu beijo, abraço meus amigos e sorrio pra todos e o mundo continua esta porcaria!"

Muitos são corteses e simpáticos, claro que são, mas por protocolo, por regras sociais. Sabemos que falta sinceridade na maioria das vezes. O Reino dos Ceus está onde está a Verdade e a Verdade está onde está o verdadeiro.

O que você sente? É o seu sim, sim ou não, não que irá transformar o mundo para melhor. Seja frio, seja quente, mas jamais seja morno, porque os mornos serão vomitados pela boca.

Não gosta do patrão? Procure outro emprego!

"-- Pra quê? Todos os patrões são iguais!"

Então, seja autônomo. Desbrave outras possibilidades e deixe as pessoas livres do seu mau humor, de suas intrigas ou lamúrias.

Guardamos uma ideia de Paraíso que nos enfraquece: a de recompensa. Recompensa de quê? Por sofrer? Por trabalhar? Por estudar? Não estamos fazendo nada que não seja por nós mesmos.

Outra ideia que nos enfraquece: de que o descanso virá depois da morte. Fora o óbvio desta ideia ,que não contesto, para quê se apoiar na morte como única solução para os seus conflitos?

O Reino dos Ceus é refeito todos os dias e esta é a grande obra que podemos realizar.

Não espere Deus lhe dar o Reino dos Ceus, realize-o agora! Se você ainda é incapaz de perdoar, então não perdoe, é suficiente evitar o convívio. Com o tempo amadureceremos e seremos capazes que realizar maravilhas e aceitar os próprios limites permite que o Espírito Santo nos ilumine!

Desnecessário ser um doutor da lei, procure ser verdadeiro e dar um passo de cada vez.

Observe o paralítico em quem você se tornou, levante-se e ande!



Hy Ho!



quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

A Multidão é Múltipla

Ide e pregai até os confins da terra...

A palavra, a palavra! Mas em qual idioma?

O árabe fala porta e o judeu entende maçaneta, o italiano fala martelo e o polonês entende serrote. Como seria isso possível?

 Com o mesmo idioma há controvérsias de significados ou percepções diferentes devido às emoções e mágoas. Por isso a fórmula "quem tiver ouvidos para ouvir, que ouça" faz todo o sentido.

O convite dever ser feito a todos, porém ninguém dever ser arrastado. Há muito trabalho a fazer e por isso o foco na busca das ovelhas perdidas da casa de Israel. Justamente, os que estão cansados... porque não é em todo solo que as sementes germinam. Há quem já conhece a palavra e se afastou dela por muitos motivos e hoje sofre atribulações, mas que merece ser reerguido na fé.

A multidão é confusa e a confusão é terra árida. Tão fraca, por ocupar-se apenas de si mesma, que é incapaz de nutrir  um grão de mostarda, o menor entre as sementes.

O fiel deve ser água para quem tem sede, abrigo para quem está ao relento, mas será  fermento apenas para o pão que será embebibo em vinho, à mesa com os eleitos. Portanto, a palavra não é para qualquer pão e muito menos para qualquer mesa. E que o pão não seja soberbo para não ser humilhado.

Muitos serão chamados, mas poucos escolhidos. Perdoar e ser manso não significa perder tempo tolerando babaquices!

 A palavra é uma convocação para um novo comportamento. Caso não haja novo comportamento é porque a semente não germinou.

O reino dos ceus está próximo.



Hy Ho!

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Ano Novo e a Velha Cruz de Cada Um

O Ano Novo começou  e muitos fizeram vários votos de mudança!

Mudar sempre foi necessário e é o anseio da maioria das pessoas.

Mas, por que é tão difícil mudar?

Respondo: porque todos nós carregamos a nossa cruz, marcada bem na testa, e nos divertimos em apontar e intensificar a cruz de outras pessoas, deixando-a ainda mais pesada!

O seu gesto, e principalmente a sua palavra, possui um valor maior ou menor por você ser negro ou branco, brasileiro ou francês, homem, mulher ou homoafetivo, balconista ou advogado, cruzeirense ou flamenguista, casado ou solteiro, empregado ou desempregado, religioso ou ateu... numa esfera menor...até por ser de uma rua ou de outra!

Pois é, cada um deve carregar a sua cruz, gostando ou não!

Quem está autorizado a dizer o quê sobre o quê?

O filho do carpinterio poderá fazer algum milagre ou nos ensinar sobre Deus? Desde quando? Ainda mais o filho de uma gestação incompreensível, isto é, Maria estar grávida sem ter se deitado com o marido! Que escândalo, que cruz!

Diante da cabeça pequena e de boca miúda podemos concluir que tudo que for incompreensível será uma enorme cruz e o ano novo começa tão pesado para todos enquanto tivermos o costume de olhar a palha nos olhos do próximo e não enxergamos a trave que temos sobre nossos próprios olhos.

Amar, entre tantas definições, pode ser considerado o propósito de deixar a vida mais leve; a nossa e muito mais a do próximo, ele que sempre é a vítima de nossa mesquinharia.

Se há dúvida de como começar a amar, uma boa dica é a de apreciarmos o gesto e a palavra do próximo sem o julgarmos pela embalagem, porque seremos medidos pela mesma régua pela qual medimos a todos!


Bom ano novo, bom renascimento!



Hy Ho!