domingo, 16 de dezembro de 2012

Arcádia de Carmem VI

manuel antônio bandeiras
pousou de zorro
para a maior tela do mundo
se chamasse raimundo
enxada no ombro
lombo de jegue
reboque de muro
lata d' água na cabeça
grandes apuros



bal~


capelinha
de mel~
manjeric~
cravo de bem
com a rosa
volpirinhas
do coreto
inté as sacadas
devoç~
s~ jo~



mais do que
o beijo
eu sou aquele
me ni ninho
que nos viu
beijar
que cutucou
a mãe
na fila
da roda gigante
maçã do amor mor


carmencita
preciso ouvir
tua respiração maior parte do tempo
o limiar
entre o mágico
e o trágico
é apenas
um sopro
os teus beijos são chupar
uvas caminhando debaixo das parreiras
meu pedaço
de universo
é no teu qorpo


mas que
um mito

amar é...

um rito

carmem é poesia


debaixo
de um ipê florido
kama rosa
sorvete de creme
cassis
papaia
massagem
nos pés
beijos jabuticabas
puer eternus

eu garantido
você caprichosa
você garantida
caprichoso eu

debaixo
de um ipê florido
a casa planejada
a felicidade das crianças
e a certeza
de que desejar
é adiar



carmem é poesia

Nenhum comentário: