domingo, 8 de julho de 2012

Ritual ou O Pequeno Príncipe para Políticos XV

"--- Que é um ritual?" --- perguntou o principezinho.

"--- É uma coisa muito esquecida também ---disse a raposa.

A raposa define ritual como algo que faz um dia diferente dos outros; horas diferentes, das outras horas.

Isto é, alguma coisa que valorize o momento,  que o faça ser lembrado com emoção.

Não temos energia para fazer de todo momento um momento único. Mais uma vez, coitado do político! Para a pessoa que vê o político pela primeira vez é um momento único e para o político pode não ser, existe um descompasso aí.

Na Agenda dos políticos inclui-se a concorrência de quem promove um ritual melhor do que o outro. Este ritual pode ser o atendimento, um telefonema, uma carta de felicitação pelo aniversário, a solenidade das sessões e a campanha eleitoral.

Sem dúvida a eleição é o ritual mais extenso de todos: 12 semanas de contato direto com a população mais a costura de alianças no período pré-eleitoral.

Tudo isso quase sempre é bastante estressante porque os rituais são rígidos e é possível considerar que são propositalmente elaborados para excluir pessoas. Quem está disposto a aprender maneirismos, gestos e trejeitos como se fossem senhas para interagir com alguém que possa patrocinar seus projetos?

Mais uma vez a lição da raposa: ritual para fazer um dia único? Que nada! Ritual para tornar tudo previsível!

"--- Os meus caçadores, por exemplo, adotam um ritual. Dançam na quinta-feira com as moças da aldeia. A quinta-feira é então o dia maravilhoso! Vou passear até a vinha. Se os caçadores dançassem em qualquer dia, os dias seriam todos iguais, e eu nunca teria férias!"

Há algo que não podemos nos esquecer:  de quem é que aprendemos as coisas! Uma raposa nos ensinará a agir como raposas, pois é só isso o que ela tem pra ensinar. Não há nada de errado nisso! Nós que aprendemos é que precisamos identificar essa natureza!

Claro que é essencial cumprirmos os rituais já convencionados, porém cabe a nós preenchê-los de significados reais tanto para nós quanto para as pessoas, caso contrário, todo evento não passará de momentos tolos e estafantes.

A Sociedade muda, em saltos, de 4 em 4 anos e novas exigências são acrescentadas e muitos continuam oferecendo coisas antiquadas como se fossem verdades eternas. A Sociedade é mais hábil e ágil que as instituições e é saudável e prudente que seja assim , porém o fosso não deve ser tão grande e fundo e é ofício dos políticos construir várias pontes entre gestos e propósitos, entre planos e objetivos e entre memória e significado.

A transparência nos torna previsíveis e isso é importante para quem nos acompanha e com isso somos um alvo fácil, porém seguro antes de sermos atingidos. Tão vulnerabilidade é um gesto de coragem para quem não tem o que esconder.

Mas há muitos rituais obscuros, que só interessam às raposas!



Hy Ho!




2 comentários:

Anônimo disse...

O PSDB de jacareí conseguiu trazer numa batelada gente sem expressão política, gente sem objetivo real, pseudo defensores de causas, e o que é pior seres inimagináveis de volta.
Mas a democracia é isto, o futuro ao povo pertence, boa caminhada, ainda que cercado de raposas, ter que provar que não é uma será sua missão.
De um lado lobos em pelo de cordeiro, do outro raposas famintas...

BURRO disse...

http://www.youtube.com/watch?v=BHT3JQGIcQM