segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A nossa maior carência: vocabulário

Todos falamos o mesmo idioma?

Percebo que não!

Há um mito sobre a nossa fantástica unidade linguística, mas não vejo assim!

De fato temos uma unidade política graças a nossa dispersão por falta de narrativas ou por heranças transmitidas por palavras turvas.

Somos de pouca leitura e portanto a nossa comunicação se limita ao utilitário imediato e por sermos muito cordiais temos relativo sucesso no comércio.

Na política é diferente. Precisamos estar atentos aos fatos e a nossa História é deficitária não por falta de acontecimentos, mas porque é mal contada.

Há sempre uma versão oficial confrontada por uma teoria da conspiração e como não temos o costume de ler, acabamos, no período escolar, tendo contato com os resumos de uma versão ou de outra. O tempo urge e é demasiado incoerente exigir de nós uma análise crítica porque ou trabalhamos ou cultivamos a nossa erudição.

Há, sobretudo, uma cisão ideológica nas narrativas e que, não sem razão, acarreta em suspeição. Portanto, se já não temos tempo, ainda precisamos duvidar daquilo tudo que lemos?

Isto é tão trágico porque mina o interesse de todos e fragiliza as nossas narrativas e sem esta importante memória não há como termos consciência dos erros e por isso a chance de evitá-los é muito menor.

Fora o tempo e recursos que se perde com expectativas vãs cresce a frustração diante tantos fracassos que póderiam ser evitados.

Os jovens querem mudar a Sociedade ou, pelo menos, é esta narrativa transmitida a eles. Outra coisa que decorre disto é os mais velhos atribuírem aos jovens esta responsabilidade acreditando que a mudança necessita de excessos e os jovens são o segmento mais indicado porque possuem energia para tais excessos.

Por quê?

Porque para mudar a Sociedade precisamos de uma Revolução e Revolução é confundida com insurreição, revolta ou qualquer coisa cinematográfica que o valha.

Importante lembrar que muitas revoltas só atrasaram o lado da Sociedade em questão e que verdadeiras revoluções aconteceram e acontecem sem nenhuma violência: a informática por exemplo.

Outra confusão angustiante é entre Ordem e Submissão. Podemos manter a Ordem e exigirmos Dignidade quando esta nos falta, mas para que tenhamos sucesso precisamos estar organizados e lermos os Contratos.

Não conseguiremos nada sozinhos e é essencial a Solidariedade ! Um contrato de Solidariedade é complexo e confundimos com Caridade.

Decepcionamos-nos muito fácil? É claro, esperamos que um abacateiro nos ofereça um pêssego!

E como somos frutos de nossas narrativas existe algo de profunda crueldade: sermos induzidos ao erro ao confundir-se imaginação com ficção! Sendo assim, o que esperarmos da imaginação no poder?

Podemos escrever palavras de ordem em todos os muros, mas enquanto nos faltar vocabulário teremos apenas um jorro de criatividade e rompantes poéticos.

Pra finalizar este manifesto vale ressaltar que existe outra pobreza advinda da falta de vocabulário: a de acreditar que só se faz poesias com palavras!

Hy Ho!

2011 - Aliteração - o ovo da pata - Temas Livres - Dario BURRO (DEM) - 2...

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Poder Executivo

O Poder Executivo é o Poder por excelência!

Dentro do imaginário do Povo é isso!

Claro, sedimentado por uma cultura milenar do "quem pode mais chora menos" ou "manda quem pode e obedece quem tem juízo".

O Poder Legislativo ? Poucos o entendem porque ele não é propriamente um "Poder" e sim a diluição do Poder.

Contraditório? Percebo que não, mas é uma ideia bastante sofisticada.

Fatiando a melancia fica melhor a apreciação:

O Povo quer ser atendido e precisa de atendimento, mas desconfia da capacidade do Poder atendê-lo e pela falta de recursos o Poder não consegue atender a todos e começa daí a Cultura de privilégios. " Vou ser amigo do Rei porque assim eu consigo beliscar alguma coisa pra mim".

É quando tudo desanda! Nasce e cresce o Fisiologismo.

Quero expor a anatomia do Poder Executivo Municipal em Jacareí -SP.


1) Gestão de Atendimento


São os serviços oferecidos!

Sabe-se que por determinação constitucional 25% da Receita Própria do Município deve ser investido na Educação e 15% na Saúde.

Se é preciso dinheiro para fazer as coisas está mais do que claro que a função primordial do Município é zelar e executar programas de Educação e Saúde, dentre outras, em que o Planejamento Urbano é a própria razão de existir um Poder Municipal.

Na dimensão humanística e cultural (que visa a promoção da sociedade) temos:

1.a) Educação;

1.b) Fundação Cultural;

1.c) Segurança e Defesa do Cidadão.


Na dimensão técnica e administrativa (que visa reduzir fragilidades) temos:

1.d) Assistência Social;

1.e) Fundação Pró-Lar (habitação)

Na dimensão física e biológica ( que visa a preservação da sociedade) temos:

1.f) Saúde;

1.g) Saae - Serviço Autônomo de Água e Esgoto (saneamento básico)

1.h) Secretaria de Esportes e Recreação


2) Gestão Estrutural

São as pastas que caracterizam a própria Prefeitura, as que fazem o que só a Prefeitura tem o Poder de fazer.

Todos dependem delas!

Na dimensão humanística e cultural temos:

2.a) Meio Ambiente

Na dimensão técnica e administrativa temos:

2.b) Administração e Recursos Humanos;

2.c) Planejamento;

2.d) Desenvolvimento Econômico;

2.e) Assuntos Jurídicos

Na dimensão física e biológica temos:

2.f) Finanças

2.g) Infraestrutura


3) Gestão Política

Seria o próprio Prefeito, com o seu "Poder" discricionário.

Na dimensão humanística e cultural temos:

3.a) Secretaria de Governo

Na dimensão técnica e administrativa temos:

3.b) Gabinete do Prefeito;

Na dimensão físico e biológica temos:

3.c) Comunicação Social


O que mais acontece, por inaptidão do gestor ou por assédio das pessoas acomodadas e/ou viciadas, é que o Poder Executivo funciona mal porque o político não promove a estrutura administrativa, mas quer promover apenas a si próprio.

O Prefeito representa o Município e cuida ddas necessidades dos moradores: é o gerente da hora presente na cidade - executa serviços e busca excelência nesta execução.

Quem é capaz de realizar tal tarefa?

Quem for capaz de preencher as pastas com os melhores técnicos!

Onde se encontra estes técnicos?

Nos partidos mais organizados e comprometidos!


Hy Ho!

2011 - Desinências nominais - o ovo da pata - Temas Livres - Dario BURR...