quarta-feira, 6 de julho de 2011

O Povo é Sopa

Por favor, continue lendo para evitar mal entendidos!

Fazer uma sopa não é nada fácil e esta comparação possui a finalidade de valorizar o Povo mais do que qualquer outra coisa. Uso esta imagem porque gostei muito de um filme dos irmãos Coen: O Brother, where art thou?, no Brasil : E, aí, meu irmão, cadê você? No mais, ver o filme é uma ótima pedida!

Muito se fala do Povo e muito o Povo fala da Política.

E, quando se fala de Política, o Povo entende Poder Executivo porque o Poder Executivo é o prestador de serviços.

Porém é o Poder Legislativo o seu porta-voz (do Povo), mas como temos uma Educação deficiente e ineficaz, fica-se o Legislativo como o porta-voz de súplicas e de esmolas e não como anunciador dos destinos da cidade.

Feitas as considerações iniciais, caminhemos para a ideia principal.

Divido o Povo em 4 grupos distintos, que possuem o mesmo peso qualitativo:

1) Insatisfeitos

2) Satisfeitos

3) Sociedade Civil Organizada

4) Indiferentes


E como se prepara uma sopa?

Com fogo, panela, água, legumes e temperos.


Fogo
As pessoas são despertadas para a Política pela insatisfação, antes disto, permanecem indiferentes.

Quando insatisfeitas se excpressam com raiva e, tal como o fogo, espalha a língua violentamente contra tudo. É uma chama sem controle que aumenta ou diminui conforme o tamanho da ofensa ou desatendimento.

Há uma grande desinformação promovida, por uma lado pelo comodismo em esperar que o poder Público seja o provedor e por outro lado pelos candidatos que, na busca do voto, falam demagogicamente aquilo o que o Povo quer ouvir.

É uma equação que nunca fechará enquanto o Povo não for esclarecido o suficiente para ser senhor do próprio destino.

Esta parte inflamada (flama= chama - com sentido de fogo - em latim) do Povo, que se incendeia nos momentos de imensa irritabilidade, equilibra e intimida as autoridades com o seu ardor.

Este grupo, mesmo quando discreto, possui grande impacto porque as suas queixas correm como um rastilho de pólvora ou, com o seu fervor, aquece o ambiente com o fogo brando.


Panela
A panela é a turma satisfeita, na maioria das vezes, os que estão pendurados no cabide da Prefeitura e, com toda justiça, há os que acreditam no projeto eleito e estão contentes.

São, com todo mérito, os que desfrutam do gosto da Vitória!

Costumam fechar o cerco e, sem porosidade, delimitam quem entra e quem sai do rol de beneficiados.



Pudera, não há espaço para todos! Por isso a importância de uma boa seleção. Este é o maior problema da Política: o de sempre descambar para o Fisiologismo.





Legumes e temperos


É a parte do Povo com identidade definida: tem cor, cheiro, volume, textura e riqueza narrativa.


Muitas vezes organizada e também com personalidade jurídica.


Neste grupo despontam as pessoas notáveis com prática de liderança e realizações em vários segmentos.





Água


O grupo dos indiferentes é o que participa como o grande Juiz, por incrível que pareça!


Eleitoralmente falando, é o que vota em quer lhe der na telha ou mesmo anula o voto ou se abstém.


De fato, de acordo com o meu entendimento, o grupo com maior Poder porque torna qualquer resultado imprevisível e aí está a beleza de ser um eterno aprendiz.


O descompromisso, vamos assim dizer, deste grupo abre o vazio em que os demais disputarão para preencher.


Formado por céticos, ingênuos, resignados, irônicos e debochados o grupo dos indiferentes é água onde dilui todos os esforços sinceros de alguns ou não tão sinceros de outros e determina o realidade da vida: a de ser plena por ser um enigma.






Hy Ho!

Nenhum comentário: