segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Portas Fechadas

Ser vereador é algo que mexe com a fantasia de muitas pessoas!

E só quando exercemos o cargo percebemos o quanto a as asas são coladas com cera.

A primeira coisa que cai é o seu ritmo. Porque a sua Agenda muda e inevitavelmente se burocratiza.

O maior impacto é de que você se afasta do seu bairro por que é necessário cuidar de toda a Cidade nos seus mais variados temas e não demora surgir o boato de que você não mora mais onde morava e até de que você se mudou da cidade. É impressionante as pessoas preferirem acreditar nisto mesmo vendo você passar todo dia pelo seu habitual itinerário.

Os seus parceiros se afastam e se você realizava algo com o apoio de alguém, tudo agora fica mais difícil ou inviável, porque as pessoas pensam que a ajuda não é mais necessária, afinal, você é um vereador e tem PODER para tudo.

Além de pensarem que a sua remuneração seja uma fortuna, elas se consideram acionistas dos seus rendimentos porque, segundo o imaginário popular, o vereador não trabalha, portanto, não merece ganhar o que ganha e depois supõe-se que exista algum ilícito e não custa nada dividir o saque.

Percebo que haja um sentimento de indenização ou um retorno calculado pelo investimento feito no vereador...porque você não seria eleito sem os votos preciosos.

A população também fica espantada quando ouve como resposta: "o voto é de vocês; elejam quem vocês quiserem !"

Estes exemplos mostram que as primeiras portas que se fecham são as mentes das pessoas, porque se você contempla um, com certeza, desagrada todos os demais.

Muitos não acreditam que haja um projeto para a Cidade a ser concretizado e esperam ser atendidos em suas urgências pessoais.

Existe a acusação de que o Político deixa de cuidar do interesse coletivo para tratar de assuntos do próprio interesse, porém ele nada mais é do que o reflexo de sua própria Sociedade.

Antes de qualquer porta se abrir, as mentes precisam ser abertas.


Hy Ho!

Nenhum comentário: