quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

PIF & PAF: polaridades políticas

Há os que falam sobre o pêndulo, outros sobre o eterno retorno, outros sobre o medo à liberdade e eu, simplesmente, sobre PIF & PAF.

Não...não é uma dupla de palhaços e muito menos uma dupla sertaneja, são as siglas dos dois impulsos que venho observando na novela política.

PIF: Partido dos Inconvenientes Fantasiosos e;

PAF: Partido Arbitrário Fisiológico.

No início era o PAF com o chefe da horda esbofeteando a todos e corria à boca miúda que a sigla era a própria onomatopéia do processo de decisão.

Para cada discordância ou hesitação era um estrondoso PAF na cara do atrevido e assim caminhava a humanidade com passo de formiga e sem vontade.

Diante de tantas decisões insensatas e nocivas aumentaram a frequência e intensidade dos atrevimentos até alcançarem o auge da inconveniência.

Ao descobrirem a fragilidade do PAF, grande monolito sem mobilidade e força para ter tudo ao seu controle, começou-se a organização e concentração do PIF.

A princípio subestimado e ridicularizado devido às estratégias elaboradas com mágoas, rancores e muitas fantasias. Por timidez dos eleitores e pelos desabafos prolixos, o PIF apenas conseguia resultados pífios nos pleitos. Momentos em que se desmoronavam os castelos de areia e fortalecia o desdém dos correligionários do PAF.

Analisando o êxito do PAF o PIF percebeu que um pouco de controle ajudaria, se não aglutinar pessoas, ao menos evitar a dispersão dos decepcionados.

Por um bom tempo o PIF não crescia, porém também não diminuía.

O PIF reconheceu (não publicamente) alguns méritos do PAF e incorporou mais práticas do gigante adversário. Os fundadores mais sinceros do PIF que perceberam o desvirtuamentos dos princípios do partido foram logo acusados de blasfêmia ou traição.

Banidos, muitos destes fundadores adoeceram e os que continuavam fortes o suficiente para serem incovenientes ainda foram alijados do processo político de maneiras mais dástricas e seguindo um velho ditado dos ditadores do PAF: "acidentes acontecem".

De tantas fantasias alimentadas pelo medo, os fantasiosos foram absorvidos pela burocracia partidária e sentiram os prazeres do fisiologismo. A partir daí, desenvolveram a corrente fisiológica e o "F" de PIF poderia muito bem representar o fisiologismo. Por que não?

Como há na natureza o fenômeno da simpatia o PAF percebeu os movimentos pretensiosos do PIF e também começou alterar a sua postura, pelo menos, na aparência !


A novela continua!



Hy Ho!

Nenhum comentário: