sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Próximo de Casa



Método BURRO

11° semana

2° fase Azul


Não sei se foi por acaso ou por alguma razão estratégica, aconteceu um comício no bairro onde moro, Jardim Jacinto. Apesar de ser habitual vários majoritários fazerem comícios lá, muitos optam por não fazê-lo.

O interessante também é que ninguém sabe da estratégia da campanha da qual participa, há o núcleo duro mistificado que faz coisas ora por caprichos, ora por conveniências particulares, ora somente por fazer. Com a pressão de elaborar uma agenda qualquer coisa é feita, sem critérios, porque alguma coisa precisa ser feita. Aliás, o show tem que continuar para justificar as doações de campanha.

Metade do esforço de nossa candidatura é eleger o prefeito de nossa coligação. Não é à toa que somos candidatos, se seremos eleitos pouco importa para a cúpula, muitos de nós tivemos o aval de participar da brincadeira na condição de cabos eleitorais de luxo para encher o quociente para vereador e para ganhar a Prefeitura: é uma empreitada assumindo riscos, com a vitória sobra uma boquinha, cabidão, teta ou qualquer nomenclatura mais honrosa que quiserem adotar.

Impera o fisiologismo infelizmente e as legendas, ocupadas mais por oportunistas do que por propostas programáticas, carecem de projetos de qualidade de vida e se afogam nos projetos de poder pelo poder (muitos medíocres - para não dizer vazios - e fadados a repetidas derrotas).

Isto vale dizer que todo candidato a vereador participa da eleição com dois bilhetes: podendo ganhar, perder ou ser contemplado com um deles.

Prestigiem todas as possibilidades e como dizia o maravilhoso Foucault: pense na possibilidade de pensar o impensável !

Muitos contatos foram feitos pelo trajeto e depois de uma eleição jamais seremos os mesmos. Seremos notados em todos os eventos e cada aceno terá o seu pedágio.

A urna sempre será um enigma, daí o encanto e beleza da Democracia, mas ninguém nos tirará o passo dado para o Infinito...

Sulcar o processo eleitoral com a nossa presença é consolidar a Cidadania e bater o tapete do Poder ao enriquecer a gôndola de ofertas.

Quanto ao Jardim Jacinto foi um bom comício e com grande audiência, em partes, porque eu fiz uma aposta (valendo um engradado de cerveja “bico molhado”) com a turma do bar de que mandaria, de cima do palanque, um beijo de língua no céu da boca do xarope do João Preto e... mandei. A galera vibrou, mas até hoje o João Preto, que detesta perder, não pagou a aposta.




Inté o nosso próximo dedinho de prosa !


Hy Ho!


4 comentários:

Carlos Figueiredo disse...

Sei que não é referente ao texto, mas gostaria de fazer um pedido.
É preciso fazer alguma coisa pela rua Padre Eugênio, o tráfego está muito pesado, as placas que proibem veículos pesados são totalmente ignoradas e a única fiscalização que vemos é um radar para arrecadar dinheiro. Em horários de pico a situação se agrava.
Uma sugestão seria a Padre Eugênio ficar em sentido único (são joão - flórida) e a chiquinha shurig ficar sentido flórida - são joão.
Moro no Jardim Jacinto a 30 anos, e o bairro não sai da mesmisse, votamos em voce pois acreditávamos que esse cenário iria mudar.
Estamos mais uma vez se aproximando da época das chuvas e vamos ver novamente nosso bairro ser alagado e sem nenhuma providencia pois no início do anos tivemos vários alagamentos e nada foi feito.

BURRO disse...

Carlos, desculpe a demora em responder, fiquei um tempinho sem postar ou acessar o blog.

Agradeço a confiança por ter votado em mim e estou atento aos problemas do Jd. Jacinto.

1) As enchentes: ponto mais preocupante e quem tem a presença do Ministério Público. Por solicitação do Jean Peter,presidente da SAB do nosso bairro, O Promotor Dr. Bednarski abriu um inquérito para apurar responsabilidades da Prefeitura e cobrar atitudes. A partir disto, o promotor pediu sugestões aos vereadores do que poderia ser feito.Enviei por documentos a sugestão de instalar uma bomba de sucção para emergência em momentos críticos. É barato, eficiente e utilizado em grandes centros urbanos.
A idéia é combinar a bomba de sucção com outras medidas que reduzam o volume de águas de chuva como reuso de água e limpeza constante das tubulações.
Por que? A Prefeitura sempre deixa de fazer obras importantes com a justificativa de não haver dinheiro.

2)Sobre a Padre Eugênio: pagamos caro pela falta de Planejamento da cidade. Já é um projeto antigo uma via que ligue a Av. Pensilvânia com o Boliche. Vira e mexe dizem que isto vai sair do papel e nunca sai. O bairro precisa se unir e se mobilizar.

Carlos Figueiredo disse...

É...não precisava ser vidente para adivinhar, oque esperávamos está acontecendo, alagamentos, e estamos somente no início do tempo de chuvas.
A sua idéia é boa, porém precisamos de ações, idéias somente não resolvem nossos problemas, votamos em voce para nos representar e cobrar as ações, se tivermos que ficar cobrando a prefeitura não precisamos de representantes.
Não é aceitável que um bairro praticamente no centro da cidade e com tres vereadores (voce, Diobel e Edinho) seja tão abandonado.
Por favor, queremos soluções e menas conversa.

BURRO disse...

Carlos,

Não é preciso ser vidente mesmo. Concordo com vc!

Nós vereadores cobramos sim. A Prefeitura não faz o que precisa ser feito por motivos não revelados.

A Prefeitura acredita que alargando a saída do córrego em frente à antiga Hoenigas (ICI?Basf) ajudará na drenagem do Jd.Jacinto. Eu não acredito que resolva,mas é o que a Prefeitura pretende fazer. Eu não acredito que resolva, tanto que dei outras sugestões.

Eu não sou engenheiro; vc é?

Então, quando eu falo é isto que recebo como resposta!

É chato, mas a Política é conversa sim. Não há soluções sem conversa.

Por não conversarmos, por não entendermos a intenção de quem ocupa o Poder é que estamos sofrendo a maioria dos problemas.

Fazem qualquer coisa, sem critérios, na véspera de eleição e são aplaudidos porque fizeram alguma coisa.

Foi o caso da nova rua da Capelinha e é de lá que vem o grosso das águas.

Lembra?