quarta-feira, 21 de julho de 2010

Número é melodia

Muito se diz sobre um número fácil para a memorização. Isso é essencial, então passem a maior parte do tempo nesta escolha, porque, em época de urna eletrônica, ele é a senha para a vitória.


Também é importante lembrarmos que um número fácil ajuda, mas não é tudo.

O que muita gente deixa de perceber é que a maioria dos candidatos também terá o mesmo cuidado.

Neste caso, há alguns detalhes:

1) Não subestimar os eleitores.

A frase da falta de memória do povo é a afirmação mais esdrúxula que conheço. O povo lembra de fatos (por isso a importância da Credibilidade e do Serviço), lembra de vários telefones, lembra do resultado da final da Copa de 1950, lembra da escalação da Seleção de 1982, lembra da letra inteira da música Faroeste Caboclo, certamente, lembrará do número do candidato, desde que, é claro, esteja interessado.

2) Significado e sonoridade

O número é “qui nem qui iguar” tatuagem, algo que fará parte de vocês e por isso é preciso pronunciá-lo com boca cheia e entusiasmo zilhões de vezes.

Eu escolhi a centena 300 por ser fácil, sonoro, porém o mais gratificante, é a história de Esparta representada com maestria e talento pelo maravilhoso HQ de Frank Miller e pelo cinema.

É a narrativa do pequeno contra o grande, da determinação de quem possui um objetivo e de que somos um instrumento para a realização de algo maior do que nós mesmos. Isto me fortalecia durante a campanha, porque a campanha é um troço muito chato.

E o fato de cantá-lo, além de abrir outras dimensões de contato, já inspira o jingle.

O significado é muito pessoal, mas precisa ser tangível pela comunidade. Quanto à melodia, cantem infinitamente até encontrá-la.

A dica mais importante de todas: façam o laboratório com vários números e saibam o número dos atuais vereadores pelo partido porque quem já é vereador quase nunca o substitui.


3) O mais importante é a legenda

Com todo sabor desta bolacha recheada que é o número 300, ele contém ruídos que precisam ser administrados. Os surdinhos entendem 200, 400 até 800.

Depois, candidatos de outros partidos também o escolheram, daí a importância da legenda. Ela os diferenciará dos demais. E se por acaso, alguém esquecer a centena, mais valem dois votos legenda na mão do que um voando.

Reforcem o número da legenda o mais que puderem. O mínimo que se ganha com isso (e não é pouco) é a expressão da organização partidária. O que terá impacto durante a Legislatura.

Por isso, escolham uma amálgama entre a legenda e a centena. Com um pouco mais de cuidado do que a maioria dos pais tem ao escolher o nome composto dos filhos. Às vezes, uma combinação estranha pode ser inesquecível, principalmente se alguma Natália Letícia foi o maior amor da sua vida.


4) Temperem tudo com muito humor

Tenho um amigo (Nilton, mais conhecido como Bilucas) que sonhava ser publicitário. Ele vivia imerso em vários comerciais de televisão e com muita genialidade definiu a sua filosofia de vida em dois slogans: “Tem coisas que só a Philco faz por você” e “Existem mil maneiras de se fazer Neston, invente a sua”.

Bilucas repetia isto constantemente, nos momentos alegres e nos tristes. De tanto repetir, me convenceu e creio que a eleição pode ser resumida por estes dois slogans.

Tudo é uma combinação de fatores, alguns podem ser determinados por vocês e outros não.

O humor nos dá liberdade para combinarmos vários elementos e nos divertimos com os resultados mesmo que estranhos.


Inté o nosso próximo dedinho de prosa !



Hy Ho!

3 comentários:

Anônimo disse...

REALMENTE NAO SEI COMO AS PESSOAS PODEM ELEGER UM CANDIDATO COMO VOCÊ.
VC NAO TEM QUASE ESTIMATIVA NENHUMA DE ATENDIEMNTO EM SEU GABINETE.

VC FOI ELEITO POR JOVENS IMACULADOS QUE LEVAM TUDO NA BRINCADEIRA.

CONCERTEZA ESSA VAI SER A PRIMEIRA E ULTIMA ELEIÇÃO SUA

Gabriel disse...

cara isso é som pra cegos seguir um caminho


graxa é lokura ao mesmo tempo maquiavel D+

graxa disse...

cara isso é som pra cegos seguir um caminho


graxa é lokura ao mesmo tempo maquiavel D+