quinta-feira, 29 de julho de 2010

Método BURRO 2° Semana


2° Fase Vermelha


Já nos habituamos com a idéia da progressão dourada.

A eleição é um fenômeno constituído com fatores que nós determinamos, outros dos quais colaboramos e outros que simplesmente acontecem sem a nossa interferência.

Muito do que podemos fazer neste caso é contermos a ansiedade e apreciarmos melhor o cenário. Assim aumentamos as nossas chances de tomarmos decisões mais eficazes.

Nosso objetivo é, até a metade da campanha, nos posicionarmos com destaque. Para daí sermos considerados pelos eleitores. Temos 12 semanas para sairmos da condição de anônimo, entre os 205 candidatos, e chegarmos entre os primeiros.

Com a progressão dourada traçamos esta trajetória com o menor desgaste possível. Desenvolvendo a nossa percepção para despertarmos a percepção dos eleitores.

O que eu entendi é que dos 205 candidatos em 2008 em Jacareí 50 eram realmente competitivos. Sem subestimar os demais, o fato é que os partidos determinam que seja desta maneira porque:

1) As mulheres, infelizmente, são convidadas somente para cumprir tabela.

Ficam sem apoio dos coordenadores de campanha. Falta orientação, folhetos e o resto do respeito.

2) Existem os rolhas.

São candidatos, somente, para não dar espaço para alguém mais competitivo.

3) Muitos desanimam.

Choque de agenda, ciúmes do cônjuge, falta de preparo físico e psicológico, desorganização financeira, falta de orientação e rivalidades com os queridinhos.

4) Existem os espalha-rodinhas.

É a tropa de choque dos queridinhos. Queridinhos são os “previamente eleitos”, as cartas marcadas da eleição.
A tropa de choque confunde os demais e até sabotam, se for o caso. É essencial ser subestimado por ela.

Solidariedade


A solidariedade é o maior diferencial e, certamente, em um meio famoso pelas rasteiras e puxadas de tapete, ao serem grandes parceiros dos candidatos (inocentes úteis) vocês terão muito destaque.

No início todos desconfiarão de vocês e de suas boas intenções, então apenas sejam sinceros. O tempo é o senhor da razão, contenham a ansiedade e deixem-no trabalhar por vocês.

É muito importante motivar todos os candidatos. Eles, muitas vezes, desistem da campanha por vingança, quando percebem a preferência da cúpula partidária pelos queridinhos e de que o discurso inicial de chances iguais entre todos era balela.

Ainda há bastante burocracia nesta fase, ajudem os demais a solucionarem tais coisinhas com rapidez e confiança.

Continuem colhendo informações e as compartilhem com o grupo.

A frase que me fez a cabeça durante este período foi: “ O maior castigo para a pessoa boa que recusa governar é ser governada pela pessoa má.”, é do amigo Platão.






Inté o nosso próximo dedinho de prosa !




Hy Ho!

segunda-feira, 26 de julho de 2010

As portas da percepção






1° SEMANA

1° Fase Vermelha

Vocês conhecem a progressão dourada?

É um fenômeno matemático presente na Natureza de modo surpreendente. Fazendo uma pesquisa pela Internet (vários vídeos bem elaborados no youtube) vocês perceberão a força desta ferramenta.

Resume-se na soma de um número pelo número anterior. Ex: 0 + 1 = 1; 1 + 1 = 2; 2 + 1 = 3 ......... assim por adiante e o resultado desta progressão fica:

0, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, 233.........

Com constância e percepção vocês poderão combinar fatores usando o mínimo de energia, pois a regra de ouro da Natureza é a economia.

Em Jacareí havia 205 candidatos a vereador em 2008 e do que eu precisava era saber como eu estava posicionado entre eles.

O meu objetivo, dentro deste planejamento, era ser o mais votado. Consegui ser eleito em 5° lugar. Convenci-me do êxito deste planejamento, já que fui contemplado com a vereança na minha primeira disputa eleitoral.

AÇÃO:


1) Fiz um pirulito de papelão com o meu apelido (funciona melhor do que o próprio nome), número, sigla e o nome do candidato a prefeito.

2) Enquanto todo mundo chorava porque não tinha chego os folhetos, eu aproveitei, durante a primeira semana de campanha o evento de maior destaque da cidade: a Feira Agropecuária.

3) Sem compromissos agendados, com o pirulito foi muito gratificante a visita nas feiras livres da cidade.

NO MAIS:

Curtia um verso de Olavo Bilac: “De vós e para vós o mel fabrico” e o meu jingle que não consegui gravar e veicular.










Calendário da Semana:



Inté o nosso próximo dedinho de prosa !

Hy Ho!

sexta-feira, 23 de julho de 2010

As 12 semanas

O maior problema de todos é a ansiedade. Administrá-la é o nosso maior desafio.

Estabelecer as metas em 12 semanas nos dá mais segurança do que pensarmos em 3 meses de campanha eleitoral.

A maravilha do algarismo 12 é de podermos dividi-lo por 1, 2, 3, 4, 6 e o próprio 12. Com isso temos uma grande flexibilidade de prazos para as sub-metas da campanha.

Considerem também que o algarismo 12 corresponda ao meio-dia e a vitória ao zênite do sol.

A força desta imagem é de que todo nosso esforço procura fazer com que as pessoas estejam envolvidas com as nossas propostas e reconheçam o nosso valor. Neste momento, o importante é sermos visto por todos, (portanto no ponto mais alto da abóbada) e o mais próximo possível das pessoas (portanto com o máximo calor que pudermos emitir). Isto solicita toda nossa energia. E o foco de nosso planejamento é economizá-la e distribuí-la de forma eficaz.

Então fazemos um semi-arco com uma trajetória do frio ao tórrido.

Usando uma escala de cores que representam a temperatura da luz do sol fica mais fácil visualizarmos todo o trabalho.




Fase vermelha (a mais fria):

Usem-na para reconhecerem o cenário.

São 2 semanas para vocês saberem quantos candidatos concorrem a eleição e quais suas respectivas bases, quantas coligações existem e quais os majoritários confirmados na disputa. Neste momento costuma-se sair as primeiras pesquisas de opinião e vocês podem verificar a aceitação do candidato a prefeito de suas chapas e outras tantas informações.

Colher o máximo de informações possível! Esta é a palavra de ordem desta fase.

Façam um esboço geral do planejamento, porém tão flexível para ser ajustado com a sorte de dados novos.

Fase laranja (menos fria)

Usem-na para aperfeiçoarem o projeto, agendar eventos, reuniões no Comitê. Estabeleçam vínculo com os demais candidatos.

A solidariedade é a essência da boa política. Muitos desanimam da campanha e podem, ao perceberem as chances de vitória de vocês, somarem e com entusiasmo passam de candidatos a grandes colaboradores em suas campanhas.


Fase amarela (quente)

Usem-na para corrigirem a estratégia, se necessário! Já é a metade da campanha e vocês são comentários de muitas pessoas.


Fase azul (muito quente)

Faltam 3 semanas e precisamos errar o mínimo possível. Aqui vocês podem ser os mais cotados para a vitória. É o momento de acreditar sem medo em tudo que vocês elaboraram. Não há mais tempo para mudar o que já foi traçado.


Fase branca (tórrido)

É a hora da colheita. É só curtirem !

Enquanto todos os outros candidatos ficarão aborrecendo os eleitores com o pelo-amor-de Deus-votem-em-mim. Vocês ganharão a simpatia de muitas pessoas com um simples aceno.

Enquanto os outros candidatos emporcalham as ruas com folhetos, muitas pessoas comentarão o fato de não ver nenhum folheto de vocês. Conseqüência: mais simpatia !

Difícil de acreditar? Eu sei !

Mas que funciona, funciona !

Mostrarei com detalhes cada semana da minha experiência de campanha.


Inté o nosso próximo dedinho de prosa !


Hy Ho !

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Número é melodia

Muito se diz sobre um número fácil para a memorização. Isso é essencial, então passem a maior parte do tempo nesta escolha, porque, em época de urna eletrônica, ele é a senha para a vitória.


Também é importante lembrarmos que um número fácil ajuda, mas não é tudo.

O que muita gente deixa de perceber é que a maioria dos candidatos também terá o mesmo cuidado.

Neste caso, há alguns detalhes:

1) Não subestimar os eleitores.

A frase da falta de memória do povo é a afirmação mais esdrúxula que conheço. O povo lembra de fatos (por isso a importância da Credibilidade e do Serviço), lembra de vários telefones, lembra do resultado da final da Copa de 1950, lembra da escalação da Seleção de 1982, lembra da letra inteira da música Faroeste Caboclo, certamente, lembrará do número do candidato, desde que, é claro, esteja interessado.

2) Significado e sonoridade

O número é “qui nem qui iguar” tatuagem, algo que fará parte de vocês e por isso é preciso pronunciá-lo com boca cheia e entusiasmo zilhões de vezes.

Eu escolhi a centena 300 por ser fácil, sonoro, porém o mais gratificante, é a história de Esparta representada com maestria e talento pelo maravilhoso HQ de Frank Miller e pelo cinema.

É a narrativa do pequeno contra o grande, da determinação de quem possui um objetivo e de que somos um instrumento para a realização de algo maior do que nós mesmos. Isto me fortalecia durante a campanha, porque a campanha é um troço muito chato.

E o fato de cantá-lo, além de abrir outras dimensões de contato, já inspira o jingle.

O significado é muito pessoal, mas precisa ser tangível pela comunidade. Quanto à melodia, cantem infinitamente até encontrá-la.

A dica mais importante de todas: façam o laboratório com vários números e saibam o número dos atuais vereadores pelo partido porque quem já é vereador quase nunca o substitui.


3) O mais importante é a legenda

Com todo sabor desta bolacha recheada que é o número 300, ele contém ruídos que precisam ser administrados. Os surdinhos entendem 200, 400 até 800.

Depois, candidatos de outros partidos também o escolheram, daí a importância da legenda. Ela os diferenciará dos demais. E se por acaso, alguém esquecer a centena, mais valem dois votos legenda na mão do que um voando.

Reforcem o número da legenda o mais que puderem. O mínimo que se ganha com isso (e não é pouco) é a expressão da organização partidária. O que terá impacto durante a Legislatura.

Por isso, escolham uma amálgama entre a legenda e a centena. Com um pouco mais de cuidado do que a maioria dos pais tem ao escolher o nome composto dos filhos. Às vezes, uma combinação estranha pode ser inesquecível, principalmente se alguma Natália Letícia foi o maior amor da sua vida.


4) Temperem tudo com muito humor

Tenho um amigo (Nilton, mais conhecido como Bilucas) que sonhava ser publicitário. Ele vivia imerso em vários comerciais de televisão e com muita genialidade definiu a sua filosofia de vida em dois slogans: “Tem coisas que só a Philco faz por você” e “Existem mil maneiras de se fazer Neston, invente a sua”.

Bilucas repetia isto constantemente, nos momentos alegres e nos tristes. De tanto repetir, me convenceu e creio que a eleição pode ser resumida por estes dois slogans.

Tudo é uma combinação de fatores, alguns podem ser determinados por vocês e outros não.

O humor nos dá liberdade para combinarmos vários elementos e nos divertimos com os resultados mesmo que estranhos.


Inté o nosso próximo dedinho de prosa !



Hy Ho!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Método BURRO para vencer uma eleição para vereador

Todos comentam sobre a cabeça de BURRO, feita de jornal, e o fato de bater 2 garrafas pets pelas ruas do centro da cidade . Este foi o aspecto visto por todos, porém sem planejamento não teria um resultado vitorioso.


A única coisa que posso compartilhar com vocês é a Comunicação, já que Credibilidade e Serviço são qualidades muito pessoais.


Antes de tudo, filiem-se a um Partido


É a regra do processo eleitoral e para quem possui Credibilidade e um histórico de Serviços para a comunidade será um passo relativamente fácil.

Lembrem-se de que o Partido já determinou os “queridinhos” e vocês serão mais um dos inocentes úteis, portanto sejam humildes e façam uma estimativa baixa de votos, aproximadamente de ¼ dos votos necessários para serem eleitos. Porque se vocês se apresentam com possibilidade de vencer, o próprio Partido sabota as suas candidaturas.

A maioria dos Partidos caracteriza-se como “Partidos de Véspera”, isto é, não fazem um trabalho permanente de educação, de formação política e de cidadania. Mas possui um ano para fazer um raio X do potencial eleitoral de cada um. Se vocês não forem um dos “queridinhos” e forem candidatos fortes, vocês estão fora!

Por isso contenham a ansiedade e fiquem na penumbra e vão pensando nos seus números.

Em Jacareí-SP muita gente andou pagando churrasco neste meio tempo e ficou chupando o dedo na hora de registrar a candidatura.

Já estamos barateando a campanha !

Inté o nosso próximo dedinho de prosa !





Hy Ho!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

DIÁRIO DE BORDO CCCXLVIII

Sexta Cultural !



Pela manhã, reunião com Sônia Ferraz, Presidente da Fundação Cultural de Jacareí !



Pela tarde, reunião com a equipe de gabinete !




Hy Ho !

DIÁRIO DE BORDO CCCXLVII

Quinta Contatos Imediatos com o Espírito Santo !



Pela manhã, contato com o escritor Vitor Cei, de Vitória/ES, autor do livro O Novo Aeon -Raul Seixas, no torvelinho de seu tempo !


Pela tarde, aula de português da Sabrina !




Hy Ho!

DIÁRIO DE BORDO CCCXLVI

Quarta Chuva !



Pela manhã, visita ao Morro do Cristo !



Pela tarde, protesto em favor da Saúde !



Hy Ho !

quarta-feira, 14 de julho de 2010

O culto à rejeição

Fala-se muito mal dos políticos e o grande paradoxo é que os piores políticos são os grandes beneficiados com tal rejeição. Aos adeptos da teoria da conspiração, quem sabe se não são eles mesmos que promovem a má fama para,justamente, afastar os bem intencionados da Política. Quem sabe?


Mas rejeitamos os políticos por quê?

Talvez permitimos que sejam eleitos os piores para termos alguém para culparmos pelo nosso insucesso. Então o problema não é com eles, é conosco!

A pergunta é: o quanto de nós há nos maus políticos? Somente por meio do auto conhecimento poderemos saber.

De todas as incertezas eu me apoio em uma certeza, a de que temos medo.

Medo de perdermos o respeito de quem nos cerca. Basta anunciarmos o nosso interesse em sermos candidatos que todos torcem o nariz com repugnância como tivessem descoberto algo podre em nós. E o pior, que apenas se confirmou o que todo mundo já sabia a nosso respeito com frases do tipo: não falei, ninguém é gente boa à toa !

Dói, claro que dói! Difícil atravessar o umbral e ouvir agressões de pessoas queridas.

O lado bom é que, com o tempo, percebemos ser tudo fruto da ignorância e que não podemos nos desviar da função de sermos o sal da terra.

Com o senso comum afirmando que todo político é ladrão, ninguém quer pagar o preço por ser nosso amigo.

O mais interessante de tudo isso é que depois da vitória na urna todos lhe pedem um cargo ou outros favorzinhos.

Como violência gera violência, perpetua-se o ciclo vicioso da mágoa e ignorância e desce pelo ralo todo respeito que o povo (substantivo abstrato com problemas concretos) merece!

A eleição é uma corrida solitária!


Inté o nosso próximo dedinho de prosa !




Hy Ho !

terça-feira, 13 de julho de 2010

DIÁRIO DE BORDO CCCXLV

Terça Sabrina !




Pela manhã, leituras, leituras e leituras !


Pela tarde, aula de português da Sabrina !




Hy Ho !

DIÁRIO DE BORDO CCCXLIV

Segunda Consab !



Pela manhã, conversa com, Alexandre, presidente do Consab (Conselho das Sociedades Amigos de Bairro), sobre eleições dos bairros.


Pela tarde, conversa com Dona Lourdes, mãe do jovem Gabriel, para organizarmos um protesto de um ano de sua morte.



Hy Ho !

segunda-feira, 12 de julho de 2010

A quem interessa o voto nulo?

Aos péssimos políticos, porque eles podem ser eleitos ou reeleitos com menos votos.

Voto nulo é voto inválido e por isso abaixa o quociente eleitoral e candidatos que precisariam de 2 mil votos conseguem se eleger com apenas 1 mil. Simples assim !

Eu vejo muita gente que se diz inteligente e vive falando mal de seus representantes, mas querem realmente uma alternativa? Faltam opções eu sei, mas também já falamos sobre isso, não é mesmo?

Para construirmos opções precisamos de muita disposição e alguma antecedência. Foi um trocadilho, desculpe-me (não pude evitar), esqueça a antecedência (viva a Ficha Limpa). Eu falo de organização. Uma alternativa somente será possível com organização. Decidir antes para termos opções porque na urna é muito tarde.

Decidi ser candidato depois que li uma frase do amigo Platão: O maior castigo para um homem bom que não assume o governo é ser governado pelo homem mau.

Percebi, a partir daí, que apenas falar mal e me sentir superior, embora omisso, não ajudava em nada e que deveria deixar os galhos de lado e enfrentar o tronco da árvore. Agir em vez de me lamentar por toda vida.

Para quem gosta de números, a última eleição municipal em Jacareí-SP nos mostra coisas importantes:

De um eleitorado de 145.367 pessoas 21.045 se abstiveram, isto é, foram pra praia, pro sítio ou nem saíram de casa.

Somando os votos dos atuais vereadores eleitos dá 23.610. Portanto, o total de abstenção é equivalente a uma nova Câmara que tanto ansiamos.

Também tivemos 3.415 votos nulos enquanto que o vereador mais votado teve 2.538 votos. Redistribuindo os votos nulos pelos 200 candidatos poderíamos, mais uma vez, recompor toda a Câmara, sendo que muitos perdem a cadeira por 10, 20, 30 ou 50 votos.

O pior de tudo isto é que muitos dos vereadores que permaneceram “cevaram” eleitores durante os quatro anos de mandato fazendo currículos e tirando xerox de documentos, rebaixando o Poder Legislativo a uma simples copiadora. Não é difícil entender porque os problemas da cidade ficam sem solução.

Quem quiser votar nulo que vote, já que a vontade de cada um é soberana, mas dispenso os papos-cabeça sobre a irresponsabilidade dos políticos, porque não vejo nenhum político na praia enquanto o seu futuro está sendo decidido.


Inté o nosso próximo dedinho de prosa !




Hy Ho!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

O importante é vencer

Também acredito nisto, mas considero oportuno fazer algumas considerações.

A eleição é um jogo de cartas marcadas ! Tudo bem, até aí nenhuma novidade porque os velhos truques ou os velhos jargões são os mais eficientes.

Depois o que muita gente não quer aceitar é que o povo sabe votar. E subestimar o povo tornou-se o método perverso de perpetuar muitos parasitas no poder. O povo sabe votar, apenas não tem escolha porque o compromisso da maioria dos partidos nunca é com o povo e por isso seleciona candidatos execráveis. A minha observação é de que na urna é tarde.

Afirmo isto a partir da cidade onde moro. Com 220 mil habitantes sempre reclamamos da falta de opção, como pode uma coisa destas?

Lembro-me de Aristóteles que dizia que quem ganhava a Olimpíada não era o melhor homem da Grécia e sim um dos inscritos. Para se inscrever alguém precisa se sujeitar à burocracia e, logo, aos burocratas. A covardia começa aqui.

O que são os partidos?
São a portas de entrada na carreira política e em Jacareí-SP são, em última análise, departamentos das imobiliárias. As imobiliárias quando não têm diretamente seus proprietários ou gerentes como dirigentes de partidos botam os seus ovos no seio partidário.

Como é feita a seleção de candidatos?
Prioritariamente são selecionados os que fazem parte da turma do gargarejo e para entrar nesta turma muita gente se estapeia e se humilha. Porque é a turma dos vereadores praticamente eleitos. Quanto ao resto é só para alcançar o quociente eleitoral.

Como se alcança o quociente eleitoral?
É uma engenharia no estado da arte que combina a turma do gargarejo (que podemos chamar de queridinhos), esvaziamento de outras legendas, incentivo aos nomes promissores a abandonarem o partido e assumirem legendas menores, muitos inocentes úteis e 30% de mulheres.
Resultado: aos queridinhos tudo (folhetos, carro de som, banners, adesivos, equipe e massagem nas costas) e para o resto o resto.

Inocentes úteis e mulheres
São as grandes fragilidades do sistema: é aqui que você pode entrar e se for mulher a sua entrada está garantida.

Ao superar estas etapas, a competitividade torna-se mais justa e vencer um resultado da sua percepção e planejamento. Se bem que eliminar um parasita da corrida eleitoral já é uma grande vitória e um grande serviço para nação.

Como a regra do jogo é a burocracia, portanto organize os seus documentos e preste atenção ao calendário eleitoral. Você precisa estar filiado em algum partido até 30 de setembro de 2011 para concorrer às eleições municipais de 2012.

Inté o nosso próximo dedinho de prosa !


Hy Ho!

DIÁRIO DE BORDO CCCXLIII

Quinta PC do B !



Pela manhã, reunião da equipe de gabinete !



Pela tarde, conversa com Cláudio Silva, presidente do PC do B em Jacareí !
Pizzada com os servidores da Câmara para comemorarmos o Dia da Pizza !




Hy Ho !

DIÁRIO DE BORDO CCCXLII

Quarta Mozart !



Pela manhã, leituras !



Pela tarde, protesto em favor de melhorias na Saúde Municipal com as presenças do Sr. Manuel, do artista plástico Nero de Deus e de seu galo Mozart !



Hy Ho!

terça-feira, 6 de julho de 2010

Os três “C” da eleição

Comunicação, credibilidade e serviço




A palavra candidato, em sua origem, significa puro ou limpo e vem da mesma raiz de cândida, isto mesmo, o alvejante. Ainda que quiséssemos uma pessoa pura ou limpa para nos governar, depois de tantas decepções e promessas não cumpridas, seria uma grande inocência de nossa parte.

Por isso, imagino que a sabedoria popular preferiu interpretar o verbo alvejar como alvejar o político de balas (nada mais apropriado para quem pretende ser o alvo das atenções durante o período eleitoral) ao invés de alvejá-lo no sentido de tornarem claras as suas propostas e discursos.

A partir daí entendemos a força de todas as expressões de limpeza associadas à política: a antiga vassoura do Jânio Quadros e a vitoriosa Ficha Limpa da atualidade. Há muito a sociedade se esforça (e creio sinceramente que não será em vão tanto esforço) em depurar os processos de escolha de suas autoridades.

Porém, a eleição sempre acaba sujeita aos interesses econômicos, isto é, quem puder dominar melhor os meios de comunicação alcança mais eleitores. O que não é feito sem custo, sem troca de favores com empreiteiras ou sem empregar o sobrinho inútil de algum fulanão.

Um bom começo então é prestar atenção em propagandas baratas porque, à primeira vista, não há compromissos com os conglomerados econômicos.

Uma campanha eleitoral barata pode ser bem sucedida desde que combine fatores essenciais como: comunicação, credibilidade e serviço.

Comunicação – Na campanha eleitoral, temos 12 semanas para fixarmos o nosso número, partido, biografia e o mais importante: os nossos compromissos.


Credibilidade – é uma construção de toda vida, porém, os 10 eleitores que poderão decidir por sua eleição apenas ficam sabendo de seu valor como candidato quando termina a campanha.



Serviço – é a sua capacidade e disposição para realizar seus propósitos. Quase sempre somos avaliados pelo o que fizemos e não pelo o que desejamos fazer.


Eu também sei que serviço não se escreve com a letra “c”, é que muitas regras expressam mais os nossos preconceitos do que a eficiência ou funcionalidade.

Para vencermos uma eleição de um modo diferente precisamos vencer os preconceitos e, o que eu considero mais rico e gratificante deste processo, é darmos oportunidades para muitas pessoas vencê-los.

Percebemos que 12 semanas é um tempo curto para o candidato e longo para os eleitores, portanto, precisamos aproveitá-las da melhor maneira e criativa possível. Não temos uma fórmula definitiva e sim a nossa bem sucedida experiência nas eleições municipais de 2008 para vereador em Jacareí-SP.

Inté o nosso próximo dedinho de prosa !





Hy Ho!

DIÁRIO DE BORDO CCCXLI

Terça Aleluia !




Pela manhã, leituras, leituras, leituras !



Pela tarde, protocolei, finalmente, depois de mais 1 ano, o projeto de lei que denomina a EMEI do Bandeira Branca pelo nome de Jean-Jacques Rousseau. Aleluia !




Hy Ho!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

DIÁRIO DE BORDO CCCXL

Segunda leituras !



Pela manhã, leituras, leituras e leituras !


Pela tarde, pesquisas e organização de dados !



Hy Ho !

quinta-feira, 1 de julho de 2010

DIÁRIO DE BORDO CCCXXXIX

Sexta Raul !



Pela manhã, leituras ao som de Raul !


Pela tarde, visita ao Jornal Diário de Jacareí para apresentarmos o projeto "Memórias do Morro do Cristo", desenvolvido pelo Movimento Social NOVA ATITUDE !

Novamente no gabinete, mais leituras e mais sonzeira do Raul !



Hy Ho !