quinta-feira, 30 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LXXIV

Ritual da Infra!

Pela manhã, discussões sobre parecer da Comissão de Finanças e Orçamento sobre o reajuste de salário dos Servidores Municipais. É ilegal, pois não acompanha a inflação conforme determina a Lei Orgânica de Jacareí. O projeto de lei do prefeito oferece 3,15% e o índice de inflação foi 5,95%.

Pela tarde, acertos sobre o Campeonato de Rolimã que acontecerá amanhã no bairro Maria Amélia II.

Hy Ho!

quarta-feira, 29 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LXXIII

Maravilhosa Orquestra de Papel o dia todo!

As crianças vibraram ao pintarem o nosso Cometa Bill!

Também fui ao contador e acertei a minha declaração do Imposto de Renda!

Hy Ho!

terça-feira, 28 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LXXII

Pela manhã, reunião com os vereadores da oposição.

Pela tarde, reunião com a diretora Sílvia Bardy, da Escola Estadual Darci Lopes, Jd. Paraíso, sobre o Festival de Teatro Grego. Ela aceitou sediar em sua Escola a Comédia, pois a sede da Tragédia será a Escola Verdinho, que conta com a direção de Judith Raimundo.

As duas diretoras estão animadas com o projeto e creio que será um sucesso!

Hy Ho!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LXXI

Monday, monday! (ao som de The Mammas and the Pappas)

Muitas conversas e pesquisas!
Leituras produtivas dos Boletins Oficiais do Municíupio.

A equipe esteve nas ruas distribuindo o ZURRO e trouxe ótimos comentários das pessoas.

Hy Ho!

Minha casa, seu voto.

por Demóstenes Torres


04/04/2009
Fonte: Jornal do Dia
Senador Demóstenes Torres*

Completamente divorciado da realidade, o governo quer destinar apenas a cidades grandes o milhão de habitações prometido para o programa Minha casa, minha vida. Poderia ser apenas uma falha de amadores se essa turma já não tivesse se profissionalizado em punir os municípios menores. O movimento de más notícias começou marolinha, mas cresceu tanto para quem resiste em participar do inchaço das metrópoles que até quando anuncia ajuda aparece o estrago.
Foi assim no caso da Medida Provisória 459, com a qual o governo criou o projeto discriminatório das cidades de pequeno porte, e do benefício para o consumo de material de construção tirando no Imposto sobre Produtos Industrializados. Ou seja, quem ficou isento de receber um teto, agora restou com a cabeça ainda mais ao sol, pois os burocratas estão aliviando carga tributária com o chapéu das prefeituras. O administrador que não vai receber as casinholas do governo, não terá condição de construir também com recursos próprios, porque a União abre a mão leve de pesados tributos dos quais os municípios têm fatia.
Asfixiadas, as prefeituras arfam enquanto podem, resistindo à tentativa de transformá-las em comitês eleitorais da candidata oficial. Mesmo quebradas, bancam quase todos os gastos com Saúde e Educação, inclusive os de obrigação federal. A tática do governo é limar os repasses legais a fim de ampliar a romaria de prefeitos em Brasília atrás de verbas. Com isso, os Executivos municipais se tornam gratos e apoiariam até uma estaca, a versão feminina do poste. É o Bolsa Família dos prefeitos.
O estratagema tem dado errado porque os prefeitos vão a encontro no Palácio do Planalto e, ao voltarem, ganham cortes nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios, maior fonte de recursos das cidades menores. A ira dos líderes municipalistas já cai sobre Brasília, em seguidas manifestações, uma indignação que levam à base, que começa a afastar o cartão do Bolsa Família do título de eleitor. Péssimo sinal para o plano de tornar cidades e cidadãos lulodependentes.
O método de gestão só é menos atabalhoado que as metas, todas em ão, milhão, bilhão, isenção, redução, construção. E ilusão. A quimera absurda de tentar resolver os efeitos da crise deixando na chuva o morador de cidade com até 100 mil habitantes. Resumo da política: empregos, renda e benefício longe dos lugarejos. Quem deseja melhorar de vida ou arrumar ao menos um quarto-e-sala para acomodar a família, que vá de mala e cuia para a periferia de alguma metrópole.
Na cidade grande, o retirante cumpre saga diferente daquele que entrou para o sindicalismo e acabou na Presidência da República - bom, acabar não acabou ainda, mas tem somente nove meses de governo, pois se neste ano se dedica integralmente a campanha, deve passar 2010 inteiro no palanque. À espera do milhão de casas e do milhão e meio de empregos, descobre ser apenas um voto que alguém quer trocar por um saco de cimento.

* É procurador de Justiça e senador (DEM-GO)

Mais oposição, menos impostos.

por Rodrigo Maia


20/04/2009
Fonte: Diário de Petrópolis

Governo, todo mundo sabe o que ele faz, pois Lula gasta fortunas com propaganda. Já o que faz a Oposição, sabe-se muito pouco. Para muitos é como jogador no banco de reserva: fica ali sentado, esperando as próximas eleições para voltar ao poder. No máximo critica, reclama, acusa, denuncia, mas não participa. Aí é que está o engano.
O que penso sobre o papel da oposição – e sou oposicionista tanto no plano federal, como Presidente Nacional do DEM, como no Estado do Rio de Janeiro, como todos sabem – é um pouco diferente. Para mim, a Oposição pode ser construtiva. É verdade que estamos no ataque, sempre. Ora denunciando, ora criticando, sempre reclamando o que os governantes eleitos prometeram e não estão cumprindo, sinal que enganaram os eleitores. Mas, vamos além. Procuramos agir, seja apresentando projetos, seja impedindo que se cometam erros. Abrindo caminhos que o Governo não enxergava.
O melhor exemplo desse jeito de fazer Oposição estamos vendo neste momento, quando o Governo Lula passou a adotar idéias que antes renegava e que sempre preconizamos. Para enfrentar a crise financeira que abala do País o Governo está fazendo o que Oposição propõe..
Eis uma história que precisa ser bem contada.
Em 2007 – precisamente na madrugada do dia 13 de dezembro – a Oposição acabou com a cobrança do CPMF, o desastrado e injusto imposto sobre o cheque, que cobrava 0,38% dos ricos (que podiam pagar, folgadamente) e dos pobres, que não podiam.. Foi uma votação dramática em que Lula se empenhou pessoalmente. Chegou a visitar de helicóptero o governador Arruda, DEM de Brasília, para um apelo final. Mas a decisão da Oposição era inabalável e patriótica, não era contra ninguém, era a favor do desenvolvimento.
O CPMF agricultores, comerciantes – gente que produzia e criava empregos. Um imposto que ficava bem para os especuladores financeiros, nunca para produtores.
Errotado, Lula reclamou, disse que a Oposição estava impedindo o governo de gastar com a saúde, no combate à pobreza, para cobrir o deficit da previdência social. Seria uma desgraça. Tanto que imediatamente, tentou aprovar um novo imposto, Contribuição Social para a Saúde, para substituí-lo.
No entanto, o que se viu foi o contrário. Com o fim do CPMF, a arrecadação aumentou em vez de cair, provando-se que a choradeira do Governo não fazia sentido. A Oposição estava certa.
E não se falou mais do assunto até que veio a crise econômica, que Lula tentou gozar, chamando de "marolinha", mas que terminou causando a maior onda de desemprego já vista no País, com as empresas em dificuldade. Que fez então o Governo? Começou a cortar impostos (já cortou o IPI que incide sobre automóveis, motos, cimento e outros produtos) e, diante dos resultados positivos da medida, anuncia que vai continuar desonerando produtos para estimular a economia e acabar com o desemprego.
Ou seja, a Oposição – que está fora do governo – conseguiu fazer prevalecer uma das suas propostas mais firmes para o desenvolvimento, seja na crise seja em tempos de bonança, e que se constitui na redução de impostos. Não se trata de acabar com os impostos, mas de reduzi-los a um nível suportável, pelo menos igual ou próximo aos impostos cobrados pela nações mis adiantadas, já que a carga tributária brasileira, de mais de 40%, é um das maiores do mundo.
Eis o que se pode considerar um tipo de Oposição construtiva. Além do mais, o Governo gasta mal, tem excesso de burocracia, não controla a corrupção. Portanto, não merece autorização para cobrar tanto imposto.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LXX

Pela manhã, leituras importantes!
Conversa com Maristela Prilips.
Contato com os Condutores porque a luta continua (mais um dia de paralisação)!
Entrevista com o Valeparaibano sobre a Av. Davi Lino.

Pela tarde, entrega para os médicos dos convites sobre a palestra sobre diabetes, organizada pela AJD.

Hy Ho!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

VIVA SÃO JORGE GUERREIRO!

DIÁRIO DE BORDO LXIX

Quinta, na Infra!

Logo cedinho o ritual na Infra! O contato com os Servidores fica mais estreito e a confiança, aos poucos, cresce!

Distribuição do ZURRO.

Ainda pela manhã, protesto dos Condutores de Ônibus no Parque da Cidade. A bandeira é a permanência do emprego dos Cobradores nos ônibus.

Pela tarde, serviços de Banco...contas e mais contas!

Avaliação do quadrimestre com a equipe do gabinete.

Hy Ho!

DIÁRIO DE BORDO LXVIII

Quarta atípica!

Não ministrei as atividades da Orquestra de Papel, mas o João Pezão as ministrou com excelência, apresentando às crianças o Cometa Bill.
Devido a Sessão Ordinária ter sido transferida para hoje porque ontem foi o feriado de Tiradentes.
No mais, rotina dos dias de Sessão: reunião com o grupo de oposição e organização da minha pauta para o uso da Tribuna.

Hy Ho!

sexta-feira, 17 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LXVII

Logo cedinho, porta da Infra: panfletagem do ZURRO.

Dia todo em São José dos Campos no Seminário: Problemas e Soluções Urbanas. Mobilidade Urbana e Transporte Urbano com Rogério Belda e Visões Contemporâneas do Zoneamento Urbano: Uso e ocupação do Solo e Planejamento de Bairro com Cândido Malta.

No intervalo: panfletagem do ZURRO na feira livre do Santa Maria em Jacareí. Foi mágico o contato com os feirantes.

Hy Ho!

quinta-feira, 16 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LXVI

Logo cedinho, na porta da Infra!

Dia todo em São José dos Campos no Seminário: Problemas e Soluções Urbanas.Palestras de hoje: Ventilação no Meio Ambiente com Sílvio de Oliveira. Gestão Urbana e Novos Desafios do Ordenamento do Solo com Cláudio Menna Barreto.

Pegamos o ZURRO na Jac Editora.

Ótima aceitação do ZURRO pelas ruas de Jacareí.

Hy Ho!

quarta-feira, 15 de abril de 2009

DESORDEM - Titãs

http://www.youtube.com/watch?v=sjm5vBwexZk

DIÁRIO DE BORDO LXV

Logo cedinho, panfletagem sobre a Associação dos Aposentados Papeleiros, na portaria da VCP. Eu, Joaquim, membros da APAJAR e de outros Movimentos Sociais. O Sindicato dos Papeleiros expulsaram os Aposentados da Sede do Sindicato, por isso fomos esclarecer os trabalhadores.

Maravilhosa Orquestra de Papel !

Recebi vários elogios sobre a Sessão de ontem.

Hy Ho!

terça-feira, 14 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LXIV

Pela manhã, reunião com os vereadores da oposição.

Pela tarde, visita ao Parque dos Sinos. Lugar sem nenhuma condição de edificação, ao meu ver, de leigo. Um enorme brejo com as ruas mais altas que os lotes. Para mim, lá é e, ao que parece, sempre será a Bica do Boi. Então, deixa o boi beber água!

Hy Ho!

segunda-feira, 13 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LXIII

Segunda!

Pela manhã, conversa com Dona Lani, esposa de saudoso Moisés Silva, o Bolacha do Trompete. Foi muito bom falar sobre o velho Moisés e já decidimos que iremos homenageá-lo no Carnaval de 2010.

Pela tarde, manutenção do burromóvel!

Hy Ho!

quarta-feira, 8 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LXII

Quarta-hoje!

Maravilhosa Orquestra de Papel!

Ajustes finais do ZURRO (Informativo do Mandato).

Hy Ho!

DIÁRIO DE BORDO LXI

Terça!

Pela manhã, reunião dos vereadores da oposição com o dirigentes do Sindicato dos Servidores Municipais e do SAAE.

Pela tarde, fotos e filmagem do CEU Jardim Paraíso. A empresa terceirizada estava demolindo uma parte adiantada da obra. Ela precisa ser refeita porque no concreto armado faltava uma melhor estrutura de armação de ferro e cimento. Vale lembrar que a obra já está atrasada.
Reunião com os vereadores da oposição com o jurídico da Casa sobre a questão do reajuste do salário dos Servidores.

Hy Ho!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LX

Segundona!

Pela manhã, leituras importantes!

Pela tarde, consulta com o jurídico e adiantamento de trabalhos da comissão.

Apreciação do boneco do ZURRO, nosso informativo trimestral, que sai, agora, em abril!

Avaliação da semana!

Hy Ho!

Panfletagem 'Hospital,primeiro!'

by Luciana Vieira Augusto Bueno


Parabéns Jacareí!!!
Parabéns Vereador Dario Burro!!!

A campanha Hospital, Primeiro está bombando!!!
Pude conferir in loco, a receptividade da Campanha Hospital, Primeiro!!!
Fiquei feliz e encantada com o carinho que os munícipes tem por Jacareí...e surpresa em perceber como apesar dos pesares a cidade tem força e vontade de acontecer...Panfletando carros vi as pessoas vibrando e concordando com a prioridade e urgência do Hospital, vi, ouvi e vivi pessoas aderindo e pedindo para colaborarem na divulgação...Jovens, entusiasmados e deixando por minutos a paquera, o show, e lendo com atenção... Nos carros, as famílias concordando com a necessidade do nosso Hospital...
Um amigo, adesão de primeira hora, vestindo a camiseta com orgulho e mostrando a todos...

O vereador, voltando aos tempos de campanha , sendo saudado e lembrado por muitos...

Bom... muito bom, entender a importancia e poder participar...
Sorte, muita sorte, saúde e que continuem as adesões de pessoas que acreditam em vc e amam Jacareí...
Parabéns Jacareí...
Vc merecia quem a amasse sobre todas as coisas...

quinta-feira, 2 de abril de 2009

DIÁRIO DE BORDO LIX

Hoje!

Pela manhã, diversas leituras.

Pela tarde, fotos da instalação do palco do aniversário de Jacareí.
Fotos da fachada do supermercado Villa Real. As faixas de anúncio dos preços prejudicam a estética do prédio histórico de grande valor arquitetônico (Fábrica de Tapetes Santa Helena).

Planejamento da panfletagem da campanha 'Hospital, primeiro!' durante o aniversário de Jacareí.

Hy Ho!
Quarta.

Maravilhosa Orquestra de Papel !

Hy Ho!

DIÁRIO DE BORDO LVIII

Terça.

Pela manhã, entrevista na Rádio Mensagem com Donizete Eugênio.
Reunião com o Grupo dos Sete (????)

Hy Ho!

DIÁRIO DE BORDO LVII

Segunda

Pela manhã, reunião de avaliação da Orquestra de Papel com as professoras da EMEI Igarapés. (orquestradepapel.blogspot.com)

Pela tarde, continuação da avaliação do 1° trimestre com o gabinete.

Pelo finzinho da tarde, Assembléia do Sindicato dos Servidores Municipais sobre a questão salarial. Os Servidores não aceitaram a proposta da Prefeitura : 3,15 %, sendo que a reinvindicação era de 20 % e a inflação segundo DIEESE foi de 5,95 %. Também foi definida a ação de realizar protestos como 'paralisações relâmpagos'.

Hy Ho!