quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO XXIII

Hoje o expediente começou às 6:30 da matina com um encontro com os Servidores Municipais na porta da Infra.
O assunto era sobre os motoristas que questionam a prática instituída pela Administração anterior e continuada pela atual de permitir que os FGs dirijam os carros oficiais. O ponto de vista dos motoristas é o da desvalorização de sua função. Os FGs (Funções Gratificadas) não são devidamente treinados para dirigir: falta habilidade específica ao tratar os passageiros e preparo e experiência para suportar o stress do trânsito em uma jornada de 8 horas, principalmente em Jacareí em que o tráfego é dos piores. Combinamos uma displina de trabalho em que serão realizados encontros todas quintas-feiras às 6:30H.
Eu e Joaquim voltamos da Infra à pé e fotografamos a condição deficitária da ciclovia em frente à Gates. Não há calçadas e os pedestres andam pela ciclovia, que é asfaltada. Também registramos um buraco grande no início ( ou fim? na esquina da Siqueira Campos) da Conselheiro Antônio Prado. Além do buraco é notório a rua toda craquelada por não suportar o peso dos veículos. Terminamos o nosso safári fotográfico na Bernardino ao documentar a falta de árvores em uma rua com tanta emissão de carbono. Totalmente desconfortável trabalhar ali. As árvores purificam o ar, trocando gás carbônico por oxigênio (isto eu aprendi na 4° série do primário), refresca o ambiente com a criação de micros-climas e amortece o ruído. portanto quem trabalha no comércio local está oprimido pelo calor, pela barulheira e pelo ar insalubre.
Na Câmara, após ler o Diário de Jacareí ( jornal que sai dia sim, dia não). Vamos criar um novo nome para este boletim informativo? Algo mais moderno como talvez, Intermitente News? Bom, transmiti a minha solidariedade com o vereador e presidente da Casa, Diobel, porque foi incrivelmente equivocada a "opinião" do jornal a respeito da iniciativa do presidente disponibilizar mais recursos para os vereadores fazerem os seus trabalhos. O aumento das cotas de gasolina, telefone, cópias e selos é necessário para melhor atender a população. Não é desperdício nem incoerência em tempos de crise. O uso racional depende da consciência de cada parlamentar.

Durante almoço, novamente no Tempero Manero, conversa sobre o Cineclube Jacareí com o gente-fina Milton, da Farmácia Econômica.

Pela tarde conversa da bancada dos Democratas sobre as impressões da Sessão anterior e futuro do nosso Partido na cidade.
Telefonemas de munícipes pedindo capinas no Bandeira Branca II.
Pike agenda a gravação das marchinhas e Joana e Joaquim encomendam as camisetas dos blocos.
O dia acabou com a apreciação dos vídeos da Sessão desta terça e com a pesquisa sobre a expulsão da Heloísa Helena e de outros radicais do PT em 2003.


Hy Ho!

Nenhum comentário: