quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

O valor das idéias à procura de harmonia

Das idéias de Jeca Tatu Monteiro Lobato deu conta e as de Jerico deixem comigo !

A harmonia, se ninguém tocar na natureza, nasce do chão. Porém, desde que adquirimos a habilidade de alterar as coisas, a harmonia passou ser de responsabilidade nossa e a sua falta é a evidência incontestável da nossa incapacidade. Se a harmonia nasce do diálogo, é de suma importância lembrar que o diálogo nasce do respeito. A=B, B=C; logo: A=C; chegamos a uma fórmula simples na qual percebemos que a harmonia e o respeito se igualam. O que nos permite definir o respeito como o primeiro passo para tudo. Este seria um exercício desnecessário desde que todos lembrassem o que diziam as nossas avós.

Usar o expediente de afirmar que quem cala consente, impedindo as pessoas de falarem é uma tremenda falta de respeito. Deixá-las falarem sem dar a mínima atenção também é uma falta de respeito. Fazer estica e puxa da Constituição Federal, Estadual e da Lei Orgânica do Município significa não dar ouvidos às idéias registradas em tais documentos, portanto uma falta de respeito. A Lei Orgânica de Jacareí determina que seja acrescentado ao salário dos servidores municipais o repasse da inflação do ano e quando isto não acontece por arbitrariedade do Executivo Municipal somado com a conivência de um Legislativo omisso...repito: falta de respeito.
Pergunto: Quem consegue dialogar com tanta falta de respeito? Quem contesta tal estado de coisas pode ser taxado de desviar o debate para picuinhas pessoais? Reclamar que a carga está pesada é faltar com a harmonia? Não aceitar o chicote e a mordaça é ser baderneiro?

A oposição em Jacareí se fortalece porque assim foi eleita em outubro de 2008. A união do grupo ante todo esforço do governo municipal em desarticulá-la ofende o absolutismo de uma mediocridade que se angustia com a sua própria decrepitude. O povo está cansado de artifícios, paliativos e outdoors. Em outras palavras: o papinho furado não cola mais! A simpatia histriônica extrai, no máximo, o bocejo da platéia. Por isso é impossível acreditar nos rogos de diálogo e harmonia solicitados pelos vereadores do governo na primeira Sessão de 2009. Tal súplica não nos convence.
A oposição veio para servir e fazer servir. Convocar a intelectualidade para o trabalho e deixar o fastio voltaireano que, com a máxima rir e fazer rir, desvirtuadamente, acalentou o sono dos acomodados.
Debater idéias é o que mais quero, mas lembrando que as idéias são vestidas de palavras e que o fiador das palavras são os gestos. Idéias fracas; palavras vazias; gestos desastrosos. Esta concatenação de fatos foram tão bem ilustradas nos últimos 8 anos em Jacareí. A ruptura deste círculo vicioso será realizada com uma oposição que veio pra valer.


Hy Ho!

Nenhum comentário: