sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO XIX

Um mês já se foi !

Janeiro foi maravilhoso ! Um mês de coisas inéditas e de adaptações!

Neste último dia fiquei extremamente feliz logo no comecinho da manhã. Assim que eu cheguei recebi de um servidor municipal uma doação de 300 canudinhos de jornal. Espantei-me pelo gesto e pelo número mágico. 25 300 era o meu número de candidato. Os canudinhos são a matéria-prima do nosso Carnaval Matinê do Jacinto.
Sem dizer para ninguém onde eu estava (porque só assim se consegue fazer alguma coisa por aqui) acompanhei a edição do vídeo que será usado para ilustrar a minha fala na Tribuna da próxima Sessão. Fiquei grato pela habilidade da Rosana da Comunicação. De grande sensibilidade e destreza fez um ótimo trabalho e rápido.
Conversei com Eduardo da Tv Câmara sobre a vaga de assessor em nosso gabinete e se a sua esposa estaria interessada em preencher. Eles eram de São Paulo e ele por ter passado no concurso da Tv veio para Jacareí. por isso precisa fazer viagens constantes para lá. Ela aceitando é uma oportunidade de reunir a família e de trazer uma pessoa bem qualificada para trabalhar em nossa cidade.
Grtificante foi conhecer om Projeto Beija-Flor de Marcos Avlis. A proposta é substituir as sacolas p´lasticas por sacolas de algodão cru. Da longa e prazerosa conversa surgiu uma parceria frutífera. Ele ficou muito empolgado com as petequinhas da sorte do prajeto Florescendo Paraíba. Percebeu a simplicidade, facilidade de execução e dimensão da proposta. Eu o indiquei para ser entrevistado em março pela Sônia Soluna no programa Gente em Destaque da TV Câmara.
Bruno também estava neste momento. Tive a grata surpresa de conhecê-lo hoje e me simpatizei pelas músicas da sua banda de rock, que tratam dos problemas da Amazônia. Ele fará um ato em abril e usará as petecas pra distribuir sementes.
Neste mesmo momento, Freitas do Contur também apareceu e engrossou o caldo. Neste mesmo momento veio veio Williams Clementino e Dudu. Conclusão: a conversa pegou rosca e eu fiquei mais um dia sem almoço.
No pulinho que dei ao Mercadão para um fast pastel encontrei a Joice e ela me disse que a magnífica Maria Antônia vibra quando me vê pela televisão nos dias de Sessão. Diz também que está de pé a participação do Bloco do Girassol no Matinê do Jacinto.

Pela tarde, ainda que com muitas interrupções, conseguimos fazer a avaliação de um mês de trabalho. Estou muito feliz com a equipe tanto realização das tarefas com a motivação permanente. Somos um time vencedor e de bem com a galera da arquibancada. Aqui ninguém perde gol por ser fominha; todos passam a bola para o outro cabecear! Conseguimos visualizar a agenda de trabalho e traçar estratégias importantes para superarmos os diversos obstáculos imaginados.
João Baptista retomaou a pesquisa para a Orquestra de Papel. Alan Patrick nos pediu várias coisas para a Vila Aprazível e já requeremos um orelhão para a praça no final da Gilberto Moreira e outro para a rua Vitória. Disse também que o piscinão da Vila Formosa está uma coisa nojenta e inacabada.
O Sérgio Fernando, do Bloco do Feiticeiro também apareceu e está todo animado com os preparativos. Tocou no assunto Hospital Municipal e na possibilidade de pedirmos a ajuda de algum deputado. Eu lhe disse que os artistas estão organizando um movimento chamado "Hospital Primeiro" em oposiçaõ a notícia de que a Prefeitura irá construir um Teatro Municipal.
O problema nunca foi o dinheiro e sim as prioridades equivocadas da gestão PT.
A minha Imperatriz, i..LU...minada LU, também ajudou a fecharmos o último dia do mês com chave de ouro.


Hy Ho!

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO XVIII

O assunto da manhã foi a notícia indelicada no Diário de Jacareí sobre o suposto nepotismo do vereador Arouca e a sua namorada Kátia. Declaramos nossa solidariedade ao vereador e ele nos informou de que não há inquérito instaurado.
Às 10H eu eos vereadores do Democratas fomos prestigiar a troca do Comando da Polícia Militar. Lá tive a felicidade de conversar com o Promotor Bednarsky, com o Prefeito de Santa Branca Peixinho e vários amigos da Corporação. A Tenente Michele, Bombeiros, reforçou o convite para um café e incentivou as visitas das escolas propostas por mim.
Moradores da Rua dos Ferroviários querem um abaixo assinado para melhorar o trânsito atrás do cemitério. A nova avenida geras grandes transtornos para eles.
Moradores do bandeira Branca dizem que a EMEI recém-inaugurada já apresenta diversos problemas e goteiras e inundações.

Pela tarde Bianca Martinez iluminou o nosso gabinete e tirou algumas fotos comigo.
Cristiane Varela veio nos comunicar oficialmente a sua remoção para a Diretoria da EMEI do Igarapés e agendamos a reunião pedagógica sobre a Orquestra de Papel.
Eu e meu sobrinho João Batista Bueno Neto começamos a pesquisa para elaborarmos as atividades da segunda edição da Orquestra.
José Roberto me convida para praticipar de sua Colação de Grau. ele é um grande colaborardor e está se formando em Pedagogia.


Hy Ho!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO XVII

Hoje consegui provar um pouco do café com leite da Maria Amélia, nossa copeira. Toda vez eu chego adiantado e o café não está pronto, ficou para voltar depois e depois já acabou.

Fico contente porque os assuntos do Jardim paulistano estão caminhando. O meu pedido de informação sobre o número de veículos nas Avenida São João foi aprovado em plenário. O vereador Diobel fez o pedido sobre a área destinada ao Corpo de Bombeiros no São João.

Da Sessão de ontem ainda se ouvem os ecos: o vereador Arouca levanta a questão sobre o pedágio e pediu para que acabassem com a cobrança da guarita avançada para os moradores de Jacareí. Os vereadores Itamar e José Antero fizeram coro ao criticarem a incapacidade do prefeito em aproveitar dos convênios do governo federal. Valmir do Meia Lua falou das ruas sem asfalto em seu bairro. Eu falei das ruas maltratadas pelo trânsito no Jardim Jacinto.

Levei a carta com o voto de pesar para Alessandra, viúva do guarda municipal Horley.
Às 11H realizamos uma reunião entre os vereadores do Democratas eo presidente Amagai Sam. Na pauta constava as contribuições partidárias e um possível projeto político "vitorioso" para 2012.

Pela tarde os coordenadores do Cursinho e Educação e Atitude vieram falar sobre a necessidade de uma sala para continuar um projeto de 4 anos com bons resultados.
Foram confirmados os músicos que gravarão as marchinhas do Matinê do Jacinto.
O amigo Ítalo passou junto com a Dona Regina, sua mãe, para nos dar um abraço.
O amigo Renato Isique trouxe o seu currículo para indicá-lo para alguma oportunidade.
Confirmou-se a minha indicação para que o carnavalesco Mário Anselmo seja entrevistado pela TV Câmara no programa Gente em Destaque.


Hy Ho!

Erradicar a pobreza

A Constituição Brasileira de 1988 nos convoca para sermos cidadãos e determina no art. 3° para que se erradique a pobreza.

Entendo que mais do que uma simples redistribuição da riqueza; priorizando os que , num lance de olhos, nos pareçam necessitados, erradicar a pobreza exige todo um compromisso com as condições de prosperidade. Antes de alguma precipitação, lembramos que a prosperidade não se resume a uma maior capacidade de consumo, ao que uma publicidade exaustiva tenta nos impelir.

Todos devem almejar um conforto mínimo e dignidade como também podem desejar o máximo de tudo, desde que a sua avidez não tire as oportunidades de outros. Sem pregar o ascetismo e ou o rancor às pessoas bem sucedidas por mérito, esforço, herança ou talento. O movimento literário árcade difundiu poeticamente a vida simples, sem condicionar a felicidade com as futilidades da sociedade. Difícil negar que o liberalismo seja a forma mais justa de distribuição de recursos. O que temos de evitar é o cerceamento de novos talentos e a sabotagem instituídas pelos mono e oligopólios. Deixemos o socialismo ingênuo de que a divisão igualitária de recursos trará resultados iguais para todos. Se dividirmos a terra em vários lotes iguais, comprovadamente pela experiência, veremos pessoas mais prósperas que outras por motivos diversos: mais disposição, presença de espírito, mais diligência e mais um quê de cada um.

Todo este preâmbulo pretende algo muito simples: mostrar que há dois tipos de bens, o privado e o público, e de que os dois precisam ser garantidos. O privado depende do indivíduo e o público da união das pessoas.

Pois bem, os recursos recolhidos pela Adminstração Municipal são, em tese, destinados para o melhor atendimento aos cidadãos. O Prefeito transforma estes recursos em serviços e patrimônios. Se bem geridos teremos serviços de qualidade e excelência simultaneamente com patrimônios durarouros. Elencar prioridades realmente necessárias é diminuir custos. Contratar pessoas eficientes é diminuir custos. Satisfazer as necessidades, e não os caprichos, da população é diminuir custos. Isto é, cuidados ao comprar e manter o que for adquirido é diminuir custos.

Uma praça que não é usufruída pelas pessoas é uma praça cara. Se ela não é usada por falta de estímulos é mais cara ainda, porque sem o uso ela se deteriora. O espaço público, se não é preenchido por ações do poder público, pode e deve ser preenchido por quem quiser fazê-lo. O problema resulta do péssimo hábito, entre várias pecuinhas, de não fazer e não deixar ninguém fazer para que demais pessoas não sejam promovidas ou exponham os que ficam de braços cruzados esperando o tempo passar. Este foi somente um exemplo, mas ainda não é disto que pretendo falar.

No Jardim Jacinto, onde moro desde nasci, as ruas sofrem com a sobrecarga de veículos. Em um solo instável como o do bairro, antigo brejo, o excesso de trânsito provoca o deslocamento dos paralelepípedos, a ruptura das tubulações de água e esgoto, ou seja, danos ao bem público com o desperdício criminoso de água tratada. Porque cada vez que é feito um reparo, a terra não se compacta como antes e, sujeita ao trânsito contínuo, as ruas e as tubulações precisarão de cada vez mais reparos, o que significa mais custos para o município. Os recursos usados para a manutenção de um mal que poderia ser evitado privam outros lugares de serem atendidos. O problema do Jardim Jacinto, devido ao mau gerenciamento, passa ser um problema de todos.

Fora tal transtorno não podemos deixar de citar as casas dos moradores depreciadas com muitas rachaduras: propriedades privadas ameaçadas pela ausência do poder público. Não podemos permitir que os esforços das pessoas sejam jogados no lixo por causa de gestores irresponsáveis.

Erradicar a pobreza compreende que a riqueza conquistada, grande ou pequena, não seja jogada fora. Cuidar do dinheiro público é o melhor começo.


Hy Ho!

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO XVI

Recebemos por e-mail a arte das camisetas dos blocos. Os desenhos turbinaram o nosso dia.
Fazendo o check-list do Matinê do Jacinto ficamos aliviados com o andamento dos preparativos.
Às 10H eu e o vereador Itamar nos reunimos na Comissão de Educação, Cultura, Saúde e Assistência Social. A pauta foi sobre o projeto de autoria de Itamar instituindo o dia municipal da Folia de Reis, definida para o 2° domingo de janeiro. O vereador pretende estimular o encontros dos grupos de Jacareí e de outras cidades.
Rivelino trouxe o cd com as suas poesias que serão colocadas na revistinha do Matinê do Jacinto. Também me falou da parceria com o Partido Verde e de futuras reuniões com os deputados Marcelo Ortiz e Afonso Lobato.
Zala (Rosália) e Janaína, do Jardim Jacinto, trouxeram o abaixo-assinado a respeito dos problemas da rua Venceslau Braz: rompimento da tubulação por ser antiga e excesso de trânsito. Zala ficou sabendo da Associação de Diabéticos e Janaína ainda falou sobre a dificuldade para regularizar o seu trailer de lanches.
Maristela veio nos mostrar o destaque da Associação Jacareiense de Diabéticos no site na Sociedade Brasileira e da International Diabetes Federation.

Mais um dia sem almoço.

Pela tarde o assunto do gabinete era as atividades do Democratas.
Assistimos pelo youtube vários vídeos do Blue man group.
Para nossa grande alegria, Elza e Fernando, a presidente e o diretor do Sindicato dos Servidores, juntos nos deram a boa notícia de que a kombi está disponível para o carnaval.
Hoje saio mais cedo para me preparar para a Sessão Ordinária.

Hy Ho!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO XV

A segunda começou a plenos pulmões com o ar revigorado da viagem à Batatais, ao Evangelho pintado pelo comunista "ateu", Portinari.

Antes de chegar ao gabinete cumprimentei os técnicos da TV Câmara e lhes dei dois livros, um sobre a história da TV Tupi e o outro sobre a TV Manchete, comprados na loja da Imprensa Oficial, em São Paulo. É um presente para a Biblioteca da TV, que se não existe, este pode ser o preimeiro passo.
Fred Albano, o poeta, tardou, mas apareceu! Solicitou um projeto de lei instituindo uma Semana Literária, a exemplo da Semana José Maria de Abreu. Expliquei que, embora seja lei, ao se tratar de cultura e desta Adminidtração municipal atual, não há nenhuma garantia de que seja cumprida. Só para citar o Concurso de Poesia Henrique de Macedo é lei, foi realizado? Pelo que consta o Salão de Artes Plástica -SAJA- também é lei, foi realizado? Apaludimos a livre iniciativa da Escola Nossa Senhora das Graças, no Parque Califórnia, em fazer a sua própria Semana Literária. Da necessidades de somarmos aos realizadores. De não criarmos concorrência, sobretudo no que tange aos patrocinadores. Enfim, eu ouvi pela milésima vez a história da Academia Jacareiense de Letras, da qual ele é um dos idealizadores, mas para os assessores era inédita.
Rivelino chegou e a conversa pegou rosca. Poesia, ecologia e as soluções para o Brasil.
David, meu irmão, trouxe a preocupação dos Servidores Municipais com as disfunções, principalmente dos motoristas. Está na pauta, quando os motoristas e demais funcionários quiserem, encontros sistemáticos duas vezes por semana com a finalidade de conhecermos o leque de problemas e formularmos ações.

Pela tarde um casal do 1° de Maio nos pede o mundo e encaminhamos para a Assistência Social.
Mário Anselmo, o carnavalesco nos traz o seu livro de ouro. Colaboramos com a confecção da fantasia que homenageará os seus próprios 25 anos de carnaval em Jacareí.
Os membros do Sindicato dos desempregados pediram a nossa ajuda. Propusemos-nos ajudar de um modo que eles ficaram aparentemente frustrados. Organizar um grupo de teatro, a la Brecht, para prticipar dos eventos, da conscientização política e atrair mais filiados.
Sr. Francisco Beljak traz mais documentos, os quais nos faz entender a indisposição da Prefeitura. Os fiscais estão protegendo o patrão.
José Antero teve um pequeno derrame no olho esquerdo, fácil de perceber pela vermelhidão. Falamos sobre a contribuição partidária e marcamos uma reunião com o presidente do partido, Amagai Sam, quarta-feira.
João do Ovo, deu um rasante no nosso gabinete e, de todos, foi quem mais ficou feliz ao ganhar os postais com as obras de Portinari.
Vilma, da equipe de limpeza da Câmara, agradeceu a nossa participação na Escola de Samba Jacarezão, ao perguntar-lhe o motivo do agradecimento disse-me que era uma das diretoras da Escola. Ficou mais uma vez provado que se há hierarquia, depende das pessoas e dos lugares. No Jacarezão estarei feliz em atender as solicitações da minha Diretora.


Hy Ho!

AMOR À ARTE

Portinari é demais! Batatais linda!
Rever o amigo Squarize, depois de dez anos, guiando os turistas com o mesmo entusiasmo foi emocionante.
Direi como descobri as obras de Portinari em Batatais:

Ao ver o Jornal Hoje, na TV Globo, a matéria sobre o risco de incêndio, devido à má conservação da instalação elétrica na Matriz Bom Jesus da Cana Verde, igreja que abriga várias obras sacras de Portinari, prestei atenção às lágrimas do guarda ao falar da possível perda das telas do grande pintor brasilseiro. Eu quis, de pronto, ir à Batatais. Em 1999, fui bem recebido por Squarize, que me falou sobre as obras e sobre a sua aproximação com tão rico acervo. Por ter se ferido, o policial militar Squarize foi incumbido de cuidar da Matriz, um trabalho aparentemente leve porque ficava parado na igreja, porém de uma responsabilidade sem dimensões.

O maior peso veio da curiosidade dos turistas que lhe perguntavam sobre a vida do pintor, sobre a técnica, cronologia e motivo das telas. Sem saber responder, em meio ao constrangimento de não obter respostas com facilidades, começou a pesquisar. O mais bonito é que de tão envolvido com a pesquisa, decidiu cursar a faculdade e se tornou uma das pessoas mais respeitadas no assunto.

Portinari foi convidado para fazer as 14 Estações da Via Sacra em Batatais depois te-las feito em Belo Horizonte, na Pampulha. O Bispo de Ribeirão Preto rechaçou a idéia conforme fez o Bispo da capital mineira, e pelo mesmo motivo; porque o pintor era comunista. Desta celeuma entre o bispo, Portinari e a sociedade local, que patrocinou o trabalho, resultou um inscrição pública que não permitiria a retirada dos quadros da igreja por nenhum motivo. Tanto é que o Itamarati e o Vaticano já solicitaram as pinturas para exposições e lhes foram negadas.

A singularidade do conjunto de Batatais advém de um projeto arrojado de Portinari usar a técnica de transparência de cores e nele sintetizar o seu projeto didático que pretendia ensinar o expressionismo ao apreciador leigo.

Quanto à Matriz, uma reprodução em menor escala da Basílica de São Pedro, uma beleza sublime; quanto o jardim ao seu redor, outra manifestação grandiosa do bom gosto. Independente de tudo um ótimo lugar para se comer pipoca, namorar e fazer votos de amor eterno ( É o que eu e a i..Lu...minada Lu - Dona Burra - fizemos).

Na primeira viagem, aprendi o que compartilhei com vocês sobre Portinari. Na segunda, neste fim de semana, aprendi que o que é feito com arte permanace. Encontrar alguém com o mesmo entusiasmo pelo que faz depois de 10 anos e a felicidade de rever seus incidentais aprendizes é uma grande lição de amor, mais do que pela arte, pela vida.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO XIV

Li o jornal de ontem e passei os olhos no de hoje!

Logo pelas 8H em ponto, Agnaldo Dias descarrega em nosso computador um pendrive cheio de músicas de Alvarenga e Ranchinho. Foi um presente maravilhoso! Admiramos a dupla cada vez mais.
Joaquim fica o dia fora com o desenhista para adiantar as artes dos Blocos da Canoa, Esqueleto e do Burro.
Rivelino chegou com o alto astral e palavras de justiça de sempre. Cuidará da gravação da marchinha do Bloco da Canoa e de quebra declamou algumas poesias ecológicas de sua autoria.
Procurei o vereador Itamar Alves para decidirmos a participação dos membros da Comissão de Educação, Cultura, Saúde e Assistência Social. Na necessidade de rever a proporcionalidade das comissões, abri mão da minha titularidade na Comissão de Meio Ambiente para o PPS.
Vimos os discursos da Sessão do dia 20 e tecemos comentários.
Roninha do Parque Meia Lua, Presidente da Escola de Samba do Jacarezão traz o seu mestre de bateria mirim e mais um ritmista mirim e cantam o enredo deste ano para mim e para a Joana. Vibramos com a história dos Mamonas Assassinas. Não foi embora sem antes nos convidar para desfilarmos na Escola. Aceitamos e eles ficaram muito felizes.
Não saí para o almoço. Meu irmão David nos deu um abraço e falamos sobre Ivanhoé.
Fugi para comer um pastel no Mercadão.

Às 15H, Sr Francisco nos trouxe alguns documentos solicitados pelo jurídico da Câmara para resolvermos o seu caso.
Toninho do Delta do Parnaíba veio saber a resposta se eu compraria o seu carro.
Depois da Lu, a Dona Burra, esperar por mais de 1/2 H, conseguimos siar conforme combinado para acertamos as coisas da viagem para Batatais.

Amanhã iremos para Batatais apreciar as 14 estações da Via Sacra pintadas por Portinari que ficam na Catedral de Bom Jesus da Cana Verde.

Inté segunda!

Hy Ho!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO XIII

Bons comentários sobre a Sessão de ontem!

O dia correu de tal jeito que não consegui ler o jornal.
Logo que cheguei escrevi a reflexão sobre a Sessão. Bem cedo recebi o telefonema da Secretaria de Meio Ambiente. Falamos sobre a solicitação de uso da Praça Tancredo Neves para o carnaval, cuidados com a grama, de cachorros de rua e de como criarmos leis e projetos e inicitaivas para tudo. Um telefonema gratificantemente ecológico. Marcamos uma reunião na Secretaria para próxima semana.
Eu, Joaquim e Joana discutimos previamente a agenda. Pike procurou os taxistas para participarem do Contur (Conselho Municipal de Turismo). Descobriu que a categoria está sem representatividade.
Paulo do Paulistano chegou com a filhinha Ana Paula de 3 anos para continuarmos o projeto do Corpo de Bombeiros. Depois conversamos com o vereador Diobel na sala da presidência.

Pela tarde, uma munícipe pede estágio para o filho e reclama sobre as grades nas praças e no Mercadão. Muitos ligam com saudades da Maria Correia.
Lá pelas 15:30 o gabinete virou uma ventania;Sr. Francisco apareceu e conversamos com o jurídico da Câmara, veio o Seu Zuza com o filho acompanhado do Dr. Pascoal, Francisco Nunes do Bela Vista trouxe os projetos sobre a praça em homenagem ao Sr. Moura, Pastor Rogério Timóteo nos deu a benção...tudo ao mesmo tempo agora, uma coisa de cada vez... Saí para atender um chamado do vereador Diobel e de quebra adiantei o assunto dos Bombeiros com vereador Arouca, porque ele quando prefeito, ao fim do mandato, doou a área a instalação da base, que não foi construída pelas administrações anteriores. Ao voltar para o gabinete tdo mundo havia sumido.

Por fim, avaliamos o Especial Elis. Pesquisamos e definimos a marchinha para o Bloco do Esqueleto. Será o Romance da Caveira da dupla caipira Alvarenga e o jacareiense Ranchinho.


Hy Ho!

O valor das idéias à procura de harmonia

Das idéias de Jeca Tatu Monteiro Lobato deu conta e as de Jerico deixem comigo !

A harmonia, se ninguém tocar na natureza, nasce do chão. Porém, desde que adquirimos a habilidade de alterar as coisas, a harmonia passou ser de responsabilidade nossa e a sua falta é a evidência incontestável da nossa incapacidade. Se a harmonia nasce do diálogo, é de suma importância lembrar que o diálogo nasce do respeito. A=B, B=C; logo: A=C; chegamos a uma fórmula simples na qual percebemos que a harmonia e o respeito se igualam. O que nos permite definir o respeito como o primeiro passo para tudo. Este seria um exercício desnecessário desde que todos lembrassem o que diziam as nossas avós.

Usar o expediente de afirmar que quem cala consente, impedindo as pessoas de falarem é uma tremenda falta de respeito. Deixá-las falarem sem dar a mínima atenção também é uma falta de respeito. Fazer estica e puxa da Constituição Federal, Estadual e da Lei Orgânica do Município significa não dar ouvidos às idéias registradas em tais documentos, portanto uma falta de respeito. A Lei Orgânica de Jacareí determina que seja acrescentado ao salário dos servidores municipais o repasse da inflação do ano e quando isto não acontece por arbitrariedade do Executivo Municipal somado com a conivência de um Legislativo omisso...repito: falta de respeito.
Pergunto: Quem consegue dialogar com tanta falta de respeito? Quem contesta tal estado de coisas pode ser taxado de desviar o debate para picuinhas pessoais? Reclamar que a carga está pesada é faltar com a harmonia? Não aceitar o chicote e a mordaça é ser baderneiro?

A oposição em Jacareí se fortalece porque assim foi eleita em outubro de 2008. A união do grupo ante todo esforço do governo municipal em desarticulá-la ofende o absolutismo de uma mediocridade que se angustia com a sua própria decrepitude. O povo está cansado de artifícios, paliativos e outdoors. Em outras palavras: o papinho furado não cola mais! A simpatia histriônica extrai, no máximo, o bocejo da platéia. Por isso é impossível acreditar nos rogos de diálogo e harmonia solicitados pelos vereadores do governo na primeira Sessão de 2009. Tal súplica não nos convence.
A oposição veio para servir e fazer servir. Convocar a intelectualidade para o trabalho e deixar o fastio voltaireano que, com a máxima rir e fazer rir, desvirtuadamente, acalentou o sono dos acomodados.
Debater idéias é o que mais quero, mas lembrando que as idéias são vestidas de palavras e que o fiador das palavras são os gestos. Idéias fracas; palavras vazias; gestos desastrosos. Esta concatenação de fatos foram tão bem ilustradas nos últimos 8 anos em Jacareí. A ruptura deste círculo vicioso será realizada com uma oposição que veio pra valer.


Hy Ho!

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO XII

Hoje será a primeira Sessão do ano e do Burro como vereador.

Um telefonema animado inicia o dia. Paulo do Jardim Paulistano quer uma reunião para conversarmos sobre o Corpo de Bombeiros no São João. Marcamos para amanhã pela manhã.
Ás 10H, na sala da Presidência realizamos uma longa reunião sobre as Comissões Permanentes.
Enquanto isso, os assessores estudavam o Estatuto do Contur (Conselho Municipal de Turismo). 2009, por ser ano ímpar, renova-se a diretoria.

Pela tarde enviamos os ofícios às autoridades sobre o Carnaval "Matinê do Jacinto".
Varrendo a net encontrei o livro A Economia das Trocas Simbolicas de Pierre Bourdieu por um bom preço em um sebo da 7 de abril em Sampa.
Um munícipe me pediu um botijão de gás e dizer não foi uma tarefa difícil. O apelo de fazer comida para as duas crianças comove a gente, porém sem graça e diante da frustração, orientei para que fosse procurar a Secretaria de Bem Estar Social.
Por telefone recebi os cumprimentos de Francisco Nunes, Presidente do Jardim Bela Vista, e marcamos para tarde de amanhã uma conversa sobre as melhorias do bairro.


Hy Ho!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO XI

O Especial Elis foi maravilhoso. Todos felizes: Patrícia, vizinhos, Vivian, Ordilei, Agnaldo, os apreciadores do que há de melhor na MPB e eu.


A manhã de hoje começou com a visita de um munícipe super irritado com o aumento de salário dos Secretários Municipais. Saiu mais irritado ainda ao explicarmos que sozinhos nada faremos com resultados satisfatórios e se ele estava interessado em mobilizar a Educação, onde trabalha.
O aniversário do Veloso ocorreu com ar triste porque era também a sua despedida. Aposentará pela idade. Ele é um grande colaborador e fará muita falta na Casa.
Na saidinha para o almoço, várias manifestações de apoio da população e muitos pedidos.
Ás 15H fui entrevistado pela Sônia Soluna, da TV Câmara. A pauta tratou das expectativas, da irreverência da campanha e dos projetos no Jardim Jacinto, em especial da Livroteca Saci.
Na reunião da bancada ficou definido como líder José Antero e conversamos também sobre as comissões que serão indicadas na Sessão de amanhã. Serei membro das comissões de Meio Ambiente e da Educação, Cultura, Saúde e Assistência Social. Pois é, também acho absurdo tantos assuntos importantes numa comissão só.
Encerramos o dia planejando o Matinê do Jacinto.


Hy Ho!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO X

Amanhã é o dia do Especial Elis.

O primeiro a passar pelo gabinete foi o Vini, falando sobre o vídeo que irá para o telão durante o show.Depois a manhã foi preenchida pelo amigo Silas, do Jornal Classificados. O tema era os eventos de louvor que realizou todo 1° sábado do mês no ano 2006. Esta iniciativa foi interrompida pela Prefeitura que começou exigir autorização para o uso das praças. Tal medida contraria o art. 5°, XVI. O caso do Silas justifica a insatisfação da maioria dos evangélicos porque esbarram numa burocracia. Refletimos sobre os embaraços originados pela administração municipal e deduzimos que a reforma da Prainha, mais do que criar uma área de lazer seria dificultar os cultos da Umbanda que acontecem algumas vezes por ano. Estranho, porém plausível porque a quadra poliesportiva localizada do outro lado da ponte está de qualquer jeito. Para quem remodelou uma área, nada custava dar um tapinha na outra a 10 metros de distância. Ademais, os 8 anos de governo Marco Aurélio o espaço serviu de estacionamento para o Buffet da Delma. O que intriga é uma intervenção tão barata ser feita apenas poucos meses antes de deixar a Prefeitura, sendo que a população poderia usufruir de qualquer benfeitoria que fosse desde o início de tão demagógica gestão.Sr. Francisco apareceu apenas para nos desejar um ótimo fim de semana e tomou um café conosco. Reinteramos que a gabinete é dele e que seria bem-vindo sempre que passase por aqui.

Pela tarde tivemos a presença da Maristela Prilips, da Associação de Diabéticos de Jacareí. Estava animada porque deu xabu no pregão para compras de monitores de glicemia. A razão da alegria é que assim poderá especificar o aparelho e comprar-se um artigo com maior desempenho, usando o mínimo de sangue do paciente.
João do Ovo veio com o entusiasmo de sempre e nbos abasteceu de ânimo.
Depois de um telefonema de um munícipe, que não quis se identificar, brincamos de detetive na fundação Pro-Lar. Fomos verificar a denúncia de ter sido removida uma árvore e de uma edificação irregular na própria sede, que é alugada.
Ao chegarmos lá, ficamos mais com dó dos engenheiros e funcionários d que motivados em colocá-los em situações complicadas. A Pró-Lar é o testemunho de que não há políticas sérias para habitação, tanto é que os próprios engenheiros estão desabrigados. A edificação denunciada era puxadinho no fundo do quintal que funciona como setor de projetos. Quanto à árvore, o problema é que seria possível apurar com fotos do local antes da edificação. Aproveitamos a viagem ao conversamos sobre a ocupação do Bananal. Elencamos vários obstáculos que podem, por meio do diálogo, serem resolvidos com a boa vontade de todos os envolvidos.


Hy Ho!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO IX

Mc Dia Feliz! Dia de adiantamento!

Tirei uma angústia do coração. Consegui visitar o Sr. Francisco.
Conheci a Dona Regina. Uma casa linda! Com um jardim pequeno e formoso. A verdadeira casa do vovô e da vovó! Em plena Olímpio Catão. O problema é que a construção ao lado realmente usou o seu muro. Um sobrado de grande porte que não justificava o abuso. É o forte contra o fraco. Ficaram felizes com a nossa presença. E nós? Compramos a briga!
O Sardinha ligou reclamando da internet ( Jacareí Digital). O troço é lento, em sua análise, e está injuriado com o investimento na placa que capta o sinal.
O Sr. Jorge, isto é, Ror-rre, porque ele é boliviano, veio nos dar um abraço. Disse que votou no Burro e queria me conhecer. Conheceu Evo Morales e o abrigou em São Paulo durante a repressão boliviana. Natural de Cochabamba, parte para Bolívia para receber os seus benefícios por ser idoso. Está muito surpreso porque o consulado de seu país o localizou para contemplá-lo.
Joel, o enfermeiro, passou aqui com uma lista de queixas: Por que não se paga mais o IPTU atrasado em 100 parcelas? Por que o morador é cobrado pelo hidrante que é instalado pelo SAAE? E está indignado pela continuação da cobrança do ISS de seu padrasto, que já faleceu há 7 anos!

Pela tarde, Paulo, Presidente da SAB do Jardim Paulistano, se apresentou para nós a pedido da minha tia e da minha madrinha. Falamos sobre o problema da fossa, do trânsito intenso da Av. São João e da necessidade da instalação de um posto do Corpo de Bombeiros na região. A conversa foi longa e animada. Foi eleito recentemente e eu lhe disse sobre as dificuldades do relacionamento da Prefeitura com as SABs e ratifiquei o meu comprimisso em apoiar todas as lideranças. A vantagem é que ele também entende que Orçamento Participativo é um expediente para enfraquecer os moradores. Quanto ao Corpo de Bombeiros, informei-lhe que esta era uma bandeira antiga do vereador Diobel, atual presidente da Câmara, o que significa parcerias importantes para a sua viabilidade.
Dr. Reginaldo, o Pezinho, passou pelo gabinete e desfilou o seu conhecimento jurídico nos assuntos em questão.
Às 16H, como combinado, recebemos a Maristela, presidente da Associação Jacareiense de Diabéticos. Nos deu uma aula sobre a diabetes e sobre a ausência de política municipal para os diabéticos. Levantamos várias carências e disponibilizei toda a nossa estrutura para a causa: internet, telefone, cópias, cabeças, braços e pernas. Vislumbramos muitas ações educativas. Durante a prolongada conversa, abaixou a sua taxa de açúcar e ficamos impressionados com o seu auto-controle. Nada que umas doses de glicose que ela trazia no seu quite de primeiros socorros não resolvesse. Joana D´Arc, a nossa enfermeira, teve mais trabalho para nos acalmar, os leigos.

Hy Ho!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO VIII

Às 8:45, quando cheguei, minha tia Neusa e minha madrinha, Glória, já me esperavam. Foram notificadas pela Prefeitura por causa de não haver fossas sépticas em suas residências. No Jardim Paulistano, onde elas moram, é uma faixa intermediária entre a zona urbana e a zona rural. Os efluentes são lançados indevidamente em uma valeta, porém a discussão é que seria melhor fazer uma fossa coletiva ao invés de fazer uma para cada casa. Assim ficaria mais fácil a coleta por parte da Prefeitura e incomodaria menos os moradores. Outro tema discutido foi o deswcaso com que a Prefeitur atrata os assuntos deste local por considerar como área clandestina. Isto revolta porque é difícil aceitar o fato quando lhe é cobrado o IPTU. Vamos trabalhar com a questão, intermediando a conversa para evitar a multa e construir a fossa coletiva. No mais, a tia Neusa disponibilizou a charrretinha para o Bloco do Burro e minha madrinha vai todos os netos ao Matinê do Jacinto.
Outro problema da mesma região foi trazido pela Célia, esposa do nosso amigo Agnaldo. Ela veio acompanhada da Camila, irmã do Raico, o artista plástico que desenvolveu a estatueta do Corvo de Gesso. Elas pedem providências para acabar com os acidentes frequentes e perigosos da Av. São João. Ocorreram algumas mortes e muitos foram feridos gravemente. Começamos estudar o caso e a primeira medida será pedir para a Prefeitura o número de veículos que passam pela avenida diariamente. Para quem vai do Centro aos bairros São Luís, Esperança, Nova Esperança, Nova Jacareí, Imperial, Tanquinho, Igarapés, 1° de Maio, 22 de Abril, Alvorada, Parateí e à cidade de São Paulo, não tem alternativa. É obrigatório passar por este gargalo.
Distribuí os princípios fundamentais da Constituição Brasileira de 1988 para os membros do gabinete. Eles serão a nossa política de qualidade.

Pela tarde panfletamos o Jardim Jacinto com o convite para o Especila Elis.
José Roberto troxe a preocupação com as calçadas da Av. Malek Assad. Fomos até lá e constatamos muitas precariedades, desde a falta de padronização da largura das calçadas como vários galhos de árvore que obstruem a passagem dos pedestres, obrigando-os a transitarem pela pista. Outras observação deste trabalhosde campo foi a condição do sistema de drenagem. Não há tubulação e o crescimento imobiliário está impermeabilizará as margens da avenida, que é importante saída dos motorista do centro de Jacareí com destino a São José.
Visitamos também o Parque Santo Antônio para verificar o da figueira que foi arrancada sem uma boa justificativa há mais ou menos 2 anos.
Renato, filho da queridíssima Beth Togni, explicou o seu projeto no Jardim das Indústrias com o Esporte Clube Fênix, um time de adolescentes que está dando muita alegria para a SAB do bairro. Queixa-se da falta de bebedouro na quadra e da não reposição dos chuveiros roubados. Disse que a arquibancada possui capacidade para 500 pessoas. Chegamos a conclusão de que é um espaço pouco aproveitado, ali poderia ter mando de jogo.
Enfim, depois de quase 2 semanas, a nossa amigona Bianca - fillha do Joaquim - veio com a mãe nos visitar e disse que está muito feliz porque o seu pai está trabalhando conosco.
Vini, fez um pouco de hora aqui antes de ir para a reunião do Cineclube e me contou que o Veloso riu por 10 minutos depois de me telefonar e eu o atender com o tradicional zurro.

Hy Ho!

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO VII

O dia começou com Franco, motorista da Câmara, nos apelidando de insulina. Ele precisava aplicá-la 5 vezes ao dia e afirma que depois da chegada da nossa equipe precisa de apenas 2 aplicações. A explicação é que a nossa presença é terapêutica. Diz que mudamos o ar local.
Ao editar o vídeo sobre os problemas das ruas do Jardim Jacinto, me dei conta do tempo que ficamos por lá. Tínhamos 40 minutos de material bruto, o qual, com o suor do Fabinho da TV Câmara, reduzimos para 4 minutos para melhor ser usado na tribuna no horário dos temas livres.
Jussara do Rio Comprido passou por aqui e iniciou a explicação sobre a regularização do bairro. Ela pagou o lote, mas não ainda não recebeu a escritura. Precisaremos de várias palestras porque o assunto vai longe.
Minha prima Ana, que trabalha na prefeitura de uma cidade do Canadá, responde felicíssima o e-mail. Parabeniza-me pela vitória e cita o exemplo dos políticos canadenses. Vibra por eu me assemelhar com eles, isto é, com o desejo de servir a cidade com toda dedicação.
O grande amigo Fred Baccaro apareceu com o filhote Felipe e levaram algumas petequinhas da sorte. Falamos sobre Foulcault, mais um assunto para várias palestras.
Eu e Joaquim fomos ao Maria Amélia. Os moradores precisam de muitas benfeitorias. Os pontos de ônibus estão abandonados, porém começaremos por indicar iluminação e bebedouro para o campinho de futebol. O burromóvel quase não subiu um dos morrinhos. Os moradores gostaram da visita e se mostraram animados para formar a sociedade de amigos de bairro.


Hy Ho!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO VI

Manhã calma, porém com um stress.
Adotamos o procedimento de não fazer currículos e tirar xerox. Os três primeiros atendimentos eram currículos e xerox. Pedimos para a recepção informar as pessoas. A recepção disse que não daria o recado e que os assessores deveriam dizer à população. Bem, os assessores disseram que os recepcionistas poderiam colaborar. Eu assisti à e assisti a discussão. Todos crescemos; foi ótimo!
O último xerox da manhã era um morador do bairro Maria Amélia III. Conseguimos trocar o xerox por uma visita ao bairro para verificar problemas com os lotes baldios sem capina.
Lemos o jornal e reproduzimos uma matéria interessante da revista Época sobre a desaceleração do consumo e do capitalismo. (É pra isso que serve o xerox! Divulgar idéias!).
Rivelino pergunta quando iremos gravar a sua marchinha. Em breve é a reposta.
Mandei um e-mail para a minha prima que trabalha na prefeitura da cidade de Guelph, no Canadá.
O gabinete extrapolou os limites do cubículo parlamentar e durante o caminho e em meio ao almoço, em casa ,atendi quatro pessoas.
Pela tarde temos a surpresa do dia da recepção. Anuncia-se o Sr. Onofre Candelária de Souza. Quem é? O queridíssimo Nozinho, do Cidade Salvador. Veio nos visitar e expressou que o seu sonho, algo pelo qual lutaria se ganhasse a eleição para vereador seria a de conseguir uma linha de ônibus Jacareí- São José, que passasse pelo Cidade Salvador. Alega que muitas pessoas perdem a oportunidade de bons empregos em São José por precisar pegar mais de uma condução. Ainda sobre transporte coletivo diz que os novos letreiros luminosos nos ônibus confundem todo mundo. Porque quando conseguem ler o letreiro, o ônibus já passou. Também lamenta o fato do ex-prefeito não ter cumprido a palavra com os condutores do transporte alternativo, os perueiros.
A conversa foi interrompida por termos agendado uma visita para filmar e fotografar o Jardim Jacinto. A pracinha está sem manutenção, mato na altura do joelho de um adulto e as ruas estão condenadas com o aumento do trânsito. Registramos a equipe do SAAE consertando dois vazamentos na Epitàcio Pessoa. A esquina da Afonso Pena com a Rodrigues Alves está destruída e a Eurico Gaspar Dutra deplorável.
Conversamos com a diretora da Escola Estadual Prof. Amância. Foi o primeiro contato sobre o Festival Escolar de Teatro Grego, destinado para o Ensino Médio.
Itamarzinho, o filho do Itamar nos presenteou com a sua presença e o convidamos para o Especial Elis.
Terminamos de ler atentamente a peça orçamentária do município para 2009 e continuamos com muitas dúvidas.

Hy Ho!

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO V

A semana passou rapidinho!

Hoje foi um dia tranquilo pela manhã. Pensei que fosse apenas em noso gabinete, mas ao trotar pelos corredores percebi que este era o ritmo da Casa toda.
Cabral das Antenas passou muito triste logo cedo porque foi assaltado no dia anterior. Os bandidos levaram o seu carro cheio de materiais de trabalho. Abatido, quer recomeçar. Pediu-me informações sobre como adquirir um box no Mercado Municipal. O jurídico da Câmara, Dr. Vitor Roberto, nos respondeu que não existe venda direta dos boxes porque o Mercado é uma concessão pública feita por meio de editais publicados no Boletim Oficial do Município. No mais, pedi para que não desistisse da sua candidatura para vereador. Seria muito bom tê-lo como parlamentar. É boa gente, de ótimo convívio e quer um mundo melhor.
Emocionante foi a visita da Senhora Léia Mota. Não a conheço e veio ao gabinete apenas para me dar um abraço. Disse que com 51 anos de idade de idade nunca tinha visto uma coisa tão bonita: uma campanha eleitoral criativa, humilde e divertida. Com ela estava Ana Biatriz, uma menina de 5 anos e fã do Burro. A pequena conversou bastante e brincou com o burrinho do Shrek. Ela trouxe um boneco de anjinho e colocou os dois para conversarem.
Ivana, da Sala das Atas, fará 59 anos em março. Não acreditei. Ela é tão jovial! Disse-me que a atual localização da Câmara era o antigo lixão da cidade. Outra lembrança: a dos banhos no Rio Paraíba quando as águas eram limpas.
Mais uma surpresa da recepção: anunciou-se a entrada do Sr. Pedro Luís Monteiro e era o artista gráfico Dudu.
José Roberto Rodrigues solicita sinalização de silêncio próximo de hospitais, escolas, bibliotecas e igrejas.
A tia Neusa, esposa do tio Dito, foi a primeira das tias a prestigiar o gabinete. Trouxe queixas sobre o esgoto do Jardim Paulistano.
Vitor Cobrador, candidato a vereador pelo Democratas, também apareceu e está motivado em levantar o nosso partido.
Ailton dos Santos veio e prometeu trazer o Super Jegue na próxima visita.
Sobre o Especial Elis o ânimo é total e o convite já está no Youtube!
http://br.youtube.com/watch?v=qQM5rzv9e-4


http://www.youtube.com/watch?v=vPy8TLl9VuI


Hy Ho!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO IV

O que diz o Valeparaibano!

O vice-prefeito, recém-empossado, fez um atestado de pobreza só para receber a defesa gratuita na justiça ao entrar com um processo contra a Santa Casa, que está sob a intervenção da Prefeitura. Creio que ele tenha todo direito devido à sua pobreza de espírito somente. Médico pediatra, com consultório próprio desde de mil e noventos e guaraná com rolha. Estamos em boas mãos! (isto foi uma ironia!). Grande parte das complicações de que reclama foi gerada na gestão de seu aliado político: o Partido dos Trabalhadores, sigla que governa a cidade desde 2001 que, mais por incompetência da oposição do que por méritos próprios, foi reconduzida ao executivo em 2008.

O que diz o Diário de Jacareí!

Começam os preparativos para o Carnaval Matinê do Jacinto!


Duas realidades bem distintas: um grupo que procura parasitar na cidade e outro que procura trabalhar e ser feliz.


O gabinete abriu com a presença de Rivelino cantando a marchinha do Bloco da Canoa composta por ele. É de gente assim que eu gosto! Pá-pum! A nossa Joana D'Darc pediu ontem e hoje já estava pronta.
João do Ovo também apareceu e empolgado com a bandeira de se fazer a conscientização política. É uma presença muito colaboradora e quer trabalhar contra o voto nulo. Falei-lhe sobre a minha dedicação em valorizar todas as lideranças da cidade e ele sentiu firmeza.
Rosana Midori explicou que não poderia aceitar o convite de trabalhar na Câmara porque está muito envolvida com o seu trabalho na Cruz Vermelha. Ficamos tristes por nós e ficamos felizes pela Cruz Vermelha poder contar com uma profissão de grande qualidade. Ela recomendou a Cristiane Endo e acho que dará muito certo; a japinha tem experiência na assessoria do SESC em São José dos Campos.
O Canny - ator, autor, diretor, músico, cantor e compositor - também esteve aqui e nos falou do seu repertório teatral em que prepara a estréia umaa peça do saudoso Denon: O Artista na Privada.
Hoje, às 20h, Vini e Serginho, ambos do Cineclube Jacareí, farão a filmagem do spot para o Especial Elis lá na Pizzaria do Moraes.

Hy Ho!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO III

Dia vibrante!

Tivemos várias visitas. A primeira foi do ilustre Luiz Gonzaga Pinheiro, mais uma surpresa da recepção! A celebridade era o amigão Rivelino do Partido Verde. Nos desejou muito sucesso e a sua voz tonitroante ainda nos lembrou dos compromissos em respeitar a natureza. Fechou com a nossa Joana D' Arc compor a marchinha para o Bloco da Canoa ( Carnaval Matinê do Jacinto).
Pedimos para a Copa três cafés, dos quais um era sem açúcar. Aprendi com uma ânsia que sem açúcar para as meninas da copa significa: café com adoçante. Horrível! Prefiro café amargo e DETESTO adoçante. Da próxima vez, café amargo será o pedido.
Quem faltava apareceu: meu irmão David, que também colocou a cabeça de Burro, rabo e bateu garrafas durante a campanha. Dei-lhe um exemplar do Ivanhoé que o esperava desde o Natal. Para selarmos a visita, almoçamos no Damasco.
Eu, José Antero e Valmir começamos a conversa sobre a liderança da bancada dos Democratas.
Rosana Midori, editora do Dedinho de Prosa (informativo do Jardim Jacinto), também esteve aqui para verificar com a Graziela as atribuições do Assessor de Redação para decidir-se sobre o meu convite de trabalhar na Câmara.
Divertido, porém sério foi o episódio com a secretária do Prefeito. Ela pediu o meu telefone celular, ao que respondi que não usava por aversão a celulares; depois pediu o meu telefone residencial, ao que respondi que este eu jamais daria. Incomodar minha mãe pra quê se estou o tempo todo no gabinete? Vai me ligar a que horas? Deveria ter dito ainda mais: que se quisesse falar comigo seria só atravessar a rua.
Peninha chegou com a talentosa Rafinha e nos desejou muita sorte.
Dulce, Jânio e Maurílio também deram o ar da graça.
Sobre o Especial Elis já está tudo combinado com a Vivian Pelodan, Ordilei Moraes e Agnaldo Dias.

Hy Ho!

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO II

Dia de Reis, segundo dia de trabalho no gabinete.
Fechadura trocada,chegada dos pertences pessoais: um Novo Testamento, um relógio com a gravura de Nossa Senhora Aparecida e um boneco do BURRO (amigo do Shrek); respectivamente, um presente de mim para mim, de minha mãe e da i..LU...minada Luciana - a Dona Burra.
Empolgante foi o artigo sobre a Revolução possível se houvesse a consciência municipalista de prefeitos e vereadores ,escrito pelo Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves (Polícia Militar de São Paulo) e publicado no Diário de Jacareí de hoje.
Com um dia de atraso, devolvi o terno alugado para a posse e o comentário principal foi o cravo que eu usei na lapela. Doralice, proprietária da Deville a Rigor, foi compreensiva, simpática e atenciosa como sempre. No trajeto da Câmara à loja, o assunto era o mesmo de há muito tempo: baixa venda no comércio e alguns pedidos de capina.
Iniciei com a equipe a leitura de uma apostila do SEBRAE sobre sensibilização para o turismo. Dentre várias visitas, destaco a de Odair Batista, quer dizer, a do querido Perna, lá do Sindicato dos Servidores Municipais. Creio que devo me acostumar com as surpresas da Recepção.
Os funcionários da Casa são muito atenciosos e prestativos, o que me deu a impressão de que eles querem que os atendimentos aconteçam. Os sorrisos foram inevitáveis quando eu lhes dei as famosas Petequinhas da Sorte. É, confesso, meu grande desejo, que a cidade esteja repleta de girassóis.
As meninas responsáveis pela redação das atas elogiaram o meu discurso de posse e me desejaram um ótimo mandato.
O zurro ecoa a cada telefonema e a alegria salta pelas salas e corredores.

Hy Ho!

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

DIÁRIO DE BORDO

Hoje foi um dia muito interessante: o primeiro dia de gabinete!
O zumzumzum de organizar tudo, de ver o gabinete vazio e sendo preenchido com nossos sonhos em meio aos cumprimentos de todos os funcionários da Câmara, fizeram do nosso cantinho um ponto "equidistante entre o Atlântico e o Pacífico".
A equipe (Joaquim, Pike, Joana e Vlademir) se espremiam no cubículo parlamentar e se exprimiam nas novas veredas que o entusiasmo abria.
Nosso primeiro atendimento foi para o Sr. Francisco (65 anos). O seu problema é irregularidades na construção do vizinho, ele se queixou de ter sido feito uma parede em cima de seu muro.
Nossa primeira visita foi o ilustre João do Ovo, figura emblemática na Câmara Municipal. Nos trouxe muita energia oferecendo a sua colaboração ao mandato e trazendo algumas fotos da cerimônia de posse. Muitas pessoas nos visitaram e fiquei muito feliz com a presença da Luciana "Dona Burra", que remexeu os móveis e ampliou o espaço exíguo. Três maravilhosas criaturas representaram a força das crianças: Murilo, Marcela e Mariana.
Um incenso de sândalo era o que faltava para, definitivamente, dar outro ar ao ambiente e fomos até a loja Erê buscá-lo.
Muita gente procurava emprego e constatamos que essa é a grande ferida da nossa cidade.
Com um delicioso Abadejo à parmeggiana no Gordo, eu e a i..LU..minada LU almoçamos e brindamos o primeiro dia de gabinete e os nossos mágicos três meses de namoro.
Todo o dia foi um fuzuê e terminou com um suave sereno.

Hy Ho!