segunda-feira, 10 de setembro de 2007

O JARDIM JACINTO É UM BAIRRO RICO !

Queridos Vizinhos Jacintenses,


O JARDIM JACINTO É UM BAIRRO RICO !



Muitos devem se perguntar como eu cheguei a esta conclusão.

É simples. Com algumas noções básicas de Economia e de Política.

Ao longo da História, a Humanidade veio aperfeiçoando as maneiras de suprir as suas necessidades essenciais, a saber: de alimento, de abrigo e de afeto.

Com a nossa inteligência, ao acumular experiências, ao trocá-las e ao observar tudo que acontece ao nosso redor, conseguimos facilitar o acesso a tudo que nos é necessário.

DA COLETA À COLHEITA


No início, bem lá atrás, estávamos totalmente à mercê da Natureza.

Por isso viajávamos procurando frutos e caças. Parece que não, mas a nossa vontade irressistível de viajar, de conhecermos novos lugares e a sensação de que vamos encontrar o pote de ouro no fim do arco-íris é, de certa forma,uma saudade inconsciente daqueles velhos tempos. Eram os tempos da coleta.

Com o longo inverno - sem condições de caça e de coleta- surgiu um novo desafio: de armazenar os alimentos, bom, creio que o de fazer dieta também. Como dizia o sábio Salomão " não há nada de novo debaixo do sol".

Ao percebermos que muitas coisas se repetiam, por exemplo, os ciclos da Natureza, nasceram as noções de Passado e de Futuro.

Com desejo de superar o Futuro com menos esforço deu-se origem à valorização do Presente. O trabalho de viajar para coletar, correndo o risco de nada encontrar, foi substituído pelo o de plantar. Assim nasceu a Agricultura e passamos a administrar a quantidade de frutos disponíveis.

Uma decisão ( e toda decisão é política) que facilitou a nossa vida. Assim, também, nós nos plantamos num determinado lugar.

Os mesmos instrumentos que perfuravam as caças foram mais eficazes na maciez da terra. Para aumentar o plantio foi inevitável derrubar as florestas - novas necessidades resultaram em novos instrumentos - e a nossa inteligência se transformou em tecnologia.

Com mais tempo livre, mais pudemos nos dedicar na imaginação de facilitar o nosso trabalho.


ENTRE A COLETA E A COLHEITA


Ir ou ficar - é a decisão mais difícil de tomar.

Tudo implica na existência de políticas para a fixação ou não das pessoas.

O mais importante é termos condições para avaliarmos onde pode ser melhor apreciado o nosso talento, aqui ou em qualquer outro lugar.

Estar em outro lugar por opção é muito melhor do que por falta de opção. Mas lá, seja onde for, é tão difícil quanto aqui ! Basta observamos que o que pretendemos coletar em algum lugar foi plantado por alguém, e é, de fato, a colheita de alguém. Quem sabe se valorizar não irá dispor do que construiu de graça.


O PRESENTE E O FUTURO NOS PERTENCEM.


A nossa amiga Tecnologia está, cada vez mais, nos tirando das fábricas e dos escritórios e nos guiando para outros empregos. Os setores que mais crescem é o de SERVIÇOS e de TURISMO.

A maior riqueza do Jardim Jacinto é a sua tranquilidade e ótima localização - uma área nobre - a alguns minutos do centro de Jacareí e de São José dos Campos.

As imobiliárias sabem muito bem disto e nós também precisamos saber.

Jacareí é uma cidade com 200.000 habitantes sem opções de lazer ou de aquisição espontânea de conhecimentos.

Com a grande facilidade que o Jardim Jacinto possui de acesso tanto para motoristas quanto para pedestres, se nos tornarmos um pólo Cultural da Cidade, teremos muitos rendimentos e oportunidades de negócios.

A onda do "Progresso" está aí, dita inevitável, cabe a nós decidirmos se morreremos afogados por ela ou "surfaremos" nela.

A primeira coisa é acreditarmos que o Jardim Jacinto pode ser para Jacareí tal como a Vila Madalena é para São Paulo ou o que Santa Teresa é para o Rio de Janeiro.

A matéria-prima do Turismo é a harmonização daquelas necessidades essenciais das quais falamos no começo de nossa conversa : uma comida deliciosa, um abrigo agradável e uma recepção calorosa - tudo o que podemos oferecer. Uma tarde no Jardim Jacinto, em meio a alguns eventos interessantes, pode ser inesquecível.

Mas uma coisa poderá arruinar tudo isto !

De solo frágil, o nossso bairro não suportará o impacto do trânsito e os recursos que poderíamos investir estarão condenados a consertar trincas e por desgosto acabaremos vendendo as nossas casas por um preço vil.

Se continuarmos proprietários no Jardim Jacinto teremos rendimentos e até compraremos o tão sonhado sítio em Minas, portanto aproveitemos as condições que temos para valorizar o que é nosso.

Toda hora é hora de decidir.

Há decisões para o bem de todos, isto é Política !

Vocês vão abrir mão desta riqueza ?
Hy Ho!

Um comentário:

Célio disse...

so temos uma coisa a dizer parabens pela vereança e vc é nossa esperança que vc seja um otimo vereador valeu a luta de um burro so mas inteligente

abraço celiao cabeleireiro